quinta-feira, setembro 25, 2008

Exprimindo emoções

Ai, ai... isto hoje está complicado para os meus lados. Chegando ao fim do dia, e quase da semana, não posso deixar de exprimir as minhas ideias sobre como andamos nós a exprimir as nossas emoções.
Depois de alguns acontecimentos bizarros, atitudes incorrectas de algumas pessoas comigo, respostas ríspidas da minha parte, cobranças de gestos que não foram realizados, enfim, depois de muita confusão, tenho de fazer a seguinte pergunta:
Será assim tão difícil exprimir de forma correcta as nossas emoções?
Aquilo que sinto hoje é que andamos todos muito confusos e quando deixamos que seja a cabeça (o mental) a governar as nossas decisões, acabamos por ter resultados nebulosos que se manifestam em gestos de cobrança, inquisição ou simples indiferença.
Será assim tão difícil de dizer à outra pessoa "Tenho saudades tuas e sinto a tua falta, gostava que me ligasses mais vezes?" Se um amigo me disser isto, creio que não me vou sentir mal, pois sei que ele está apenas a expressar as suas próprias emoções, mas se me disser "Então, não ligas, não dizes nada!?!" a minha reacção não será a mesma.
Estarei eu errada de considerar estas duas situações completamente diferentes, sendo a primeira saudável por ser sincera e a segunda pouco saudável por se tornar numa cobrança?
Por que razão continua a ser mais fácil colocar a tónica no que o outro não fez, ou pior, deveria ter feito? Por que razão consideramos que os outros têm de saber quando precisamos deles se quando falamos dizemos que está tudo bem? Por que razão não somos sinceros uns com os outros?
Em defesa de todas as situações, posso compreender que há coisas que quando acontecem pela primeira vez não sabemos muito bem como lidar com elas e que por essa mesma razão temos atitudes estranhas, diferentes daquilo que seria o correcto, acabando por magoar as pessoas que gostamos. Todavia, há que ser reflectido e perceber que fizemos asneira e tentar remediar. Um erro depois de feito não pode ser apagado, mas podemos sempre evitar cometê-lo outra vez, fazendo assim uma verdadeira aprendizagem.

Será assim tão difícil conseguir isto? Conseguir ser melhor e aprender com os erros?
Aprender a exprimir as nossas emoções é, para mim, de uma importância vital. Primeiro porque elas devem ser expressas de forma saudável, para não criar emoções reprimidas ou deturpadas, para evitar magoar os outros, algo que às vezes é demasiado fácil. Segundo, porque as emoções são para ser exteriorizadas, partilhadas com aqueles que nos rodeiam, para podermos criar relações estáveis e honestas. Por último, e esta para mim é muito importante, porque o nosso coração deve estar saudável, livre, desinibido, para melhor sermos nós próprios.
Posto isto, urge fazer um mea culpa pois ontem tive uma atitude pouco saudável, não por estar a omitir o que sinto, mas por não ter sido capaz de dizer que estava preocupada com a outra pessoa pois era tudo muito novo para mim, fiquei desarmada e sem saber o que fazer. Hoje já pedi desculpa e já reflecti sobre as minhas acções, creio que se voltasse a acontecer não faria o que fiz, o que por si só já é um grande avanço.
Agora, espero estar aqui presente para remediar o erro, pois acreditem, fizemos algo muito grave, apodrecemos um sentimento com tanta preocupação mal direccionada. Em vez de ajudar, prejudicámos, fica a lição aprendida: não oferecer ajuda a quem não a pediu!!!

Num dia de Júpiter e de Saquiel, de São Firmino e de Santa Aurélia
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...