sábado, setembro 20, 2008

A Faca ou Athame

Faz algum tempo que iniciei o tema sobre os objectos ritualísticos, mas com a variedade de assuntos por que me tenho debruçado nunca mais voltei a falar sobre eles. Contudo, são a base de qualquer ritual e precisam de ser esclarecidos, pelo menos para mim eles são importantes. A introdução foi feita antes e por isso não vou perder muito mais tempo a fazê-la, se quiserem ler basta clicar aqui e serão direccionados para o texto.
A Faca, ou como algumas tradições lhe chamam, o Athame representa o elemento Fogo, sendo que está directamente relacionado com o masculino. Neste ponto convém mencionar que em algumas tradições Wicca a Faca representa o Ar e é utilizada para realizar todas as actividades relacionadas com este elemento. Porém, na Tradição que me iniciei foi-me mostrado que a Faca deveria representar o elemento Fogo não para se ser diferente dos outros mas porque só o Fogo pode vergar, manipular e modificar o metal que constitui a Faca. Esta razão parece-me suficiente para a aceitar como verdadeira, deixando assim a Varinha, que dança ao sabor do Vento, para o elemento Ar.
A Faca ao representar o Fogo deverá estar colocada a Sul, o ponto cardeal que lhe corresponde e deverá ter uma lâmina de duas faces, isto é, não deverá ser plana. Os dois gumes que a Faca contém simbolizam os dois caminhos que se podem trilhar, mas que será na união dessas duas faces que se deverá percorrer o Caminho.
Nas lojas de apoio a esta Tradição poderão encontrar várias Facas para todos os gostos, mas eu considero que é sempre melhor ser o Mago a construir os seus objectos, pelos menos o que for possível. Ao construir os seus objectos, o Mago está-lhes a transmitir a sua energia, a criar algo que lhe agrada ou simplesmente a construir o que for capaz, aproveitando momentos astrológicos especiais poderão ainda os objectos adquirir características especiais. Enfim, não há melhor objecto do que aquele forjado pela nossa Vontade e Dedicação.
A minha Faca tem um cabo de madeira que eu própria construi com restos de uma caixa de fruta, por ser uma madeira mais frágil é mais fácil de manipular. A lâmina foi retirada de uma espada miniatura (não era muito fácil ser eu a forjá-la, mas se pudesse tê-lo-ia feito) e encaixada no tal cabo que eu construi e que pintei de preto, para melhor armazenar a minha energia.
Foi um dos momentos mais belos que já tive neste Caminho da Magia e a minha faca mostra mesmo isso, a minha Beleza e a minha Dedicação.

Num dia de Saturno e de Cassiel, de São Eustáquio e de São Socior
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...