quarta-feira, dezembro 31, 2008

Desejos para 2009

Que neste ano, que se inicia, eu esteja cada vez mais consciente de mim e dos outros, por isso aqui fica mais uma partilha de coração, em jeitos de oração para o fim de ano.

Que o nosso corpo seja fértil e puro, para podermos trilhar o Caminho que em Espírito escolhemos. Que a nossa vida profissional seja próspera e as recompensas abundantes, pois vivemos no Mundo Manifestado e precisamos dos seus recursos. Que os Gnomos nos tragam às mãos as oportunidades de abundância e nos ajudem a mantermo-nos Firmes.
Que os nossos corações se abram ao Amor e à Beleza, permitindo-nos conscientemente percorrer um Caminho de Compaixão e Respeito, tornando a nossa vida emocional mais saudável. Que as Ondinas nos favoreçam e protejam, mantendo puras as nossas águas interiores.
Que a nossa intuição esteja clara e consciente de que também ela tem pontos mortos e que necessitamos de nos elevar para os reconhecer, ajudando-nos a desenvolver o nosso mundo espiritual. Que as Salamandras mantenham acesso o nosso Fogo interior para podermos Combater um Bom Combate.
Que a nossa mente seja ágil e as comunicações entre os Mundos sejam permitidas sempre que dela necessitemos, permitindo-nos compreender os mistérios do Universo. Que as Sílfides nos soprem as novas com delicadeza e nos tragam os melhores projectos e ideias para o nosso Caminho, permitindo-nos ter uma vida mental equilibrada.

Que tudo se cumpra segundo a Harmonia do Universo!


Estes são os meus votos e desejos para este ano 2009, um ano regido pela carta do Tarot - O Eremita!
Para Todos um Bom Ano 2009, já só voltarei em Janeiro, espero que nos voltemos a encontrar Todos na mesma Paz e Partilha!

Amo-vos a Todos com Amor Incondicional

Num dia de São Silvestre e de Rafael, Regente da Energia de Mercúrio

terça-feira, dezembro 30, 2008

Reflexão de Fim de Ano

Como todos os fins de ano, este não poderia ser uma excepção e a reflexão é obrigatória. A única diferença é que este ficará escrito e público...os outros eram privados e partilhados com os amigos íntimos. Como todas as mudanças há sempre algo de positivo e partilhar com Todos trará, sem dúvida, uma aprendizagem pessoal.
Este ano começou de forma simples, intimista e minimalista. Eu tenho uma crença engraçada que me foi transmitida por uma amiga. Ela sempre disse que o que começamos o ano a fazer reproduzir-se-à ao longo do ano. No início julgava apenas que era mais uma superstição mas aos poucos fui interiorizando e agora também verifico isso. Com esta consciência, escolho as minhas passagens de ano muito bem!
Mas como estava a dizer, o ano começou de forma intimista e serena, o que se reproduziu ao longo de todo o 2008. Foi um ano como os outros, nada de muito fenomenal nem de muito negativo.
Foi um ano de crescimento, mas sinceramente para mim são-no todos, este porém, teve uma particularidade.
Como marcas tenho a mudança para a minha casa, o rompimento com alguns relacionamentos, um curso de alquimia e uma proposta.
Ao longo de 2008 fui aprendendo a lidar com um handicap meu, os relacionamentos pessoais, principalmente de amizades. Nada na vida se repete, pelo menos nas mesmas circunstâncias, mas quando há pontos em comum com situações anteriores é porque a aprendizagem não foi feita, pelo menos na sua totalidade. Assim, este ano fui percebendo onde estavam os meus erros, quais eram os comportamentos incorrectos que eu tinha e dessa forma fui podendo alterá-los. Tornei-me numa pessoa mais aberta aos outros, mantendo, porém, em mente que tipo de pessoas (energias) desejo que circulem à minha volta.

O curso de alquimia foi algo que fiz, mas que nunca dei muita importância. Quando o fiz, não foi com a intenção de me vir a tornar numa alquimista, mas sim como forma de complementar o meu caminho de Magia. Há elixires, tinturas que um Mago deve conhecer e saber fazer, quer para si quer para os outros. Contudo, essa ramificação não foi explorada. Não por falta de vontade, mas por o caminho da Magia me exigir dedicação e estudo constante, quer dos temas, quer de mim. Espero que neste ano que começa consiga enquadrar a alquimia na minha rotina diária, não que ela não faça já parte, quem me conhece sabe que quando entro numa cozinha me transformo numa alquimista ou que a minha busca da pedra verde é constante. Mas pretendo encontrar a alquimia mais virada para a Natureza, para o colher e realizar elixires, tinturas, compostos… Vamos ver!
Por último, a proposta! Esta proposta foi lançada ao ar e vindo de quem veio, com todo o respeito, tinha mais possibilidades de nunca ser concretizada do que o contrário. Porém, ela fez-me estar em constante reflexão sobre o caminho que quero para a minha viagem. Ao início acreditei que deveria experimentar pois só a prática nos dá experiência, podemos ler muita coisa, mas se não a aplicarmos à nossa vida não passa de mera informação (já perdi a conta às vezes que referi isto aqui, mas é uma das minhas crenças profundas). Todavia, e com o decorrer do ano, fui verificando que afinal desejo permanecer sozinha, que prefero ser apenas eu e controlar bem as intenções com que as coisas são feitas, do que depois não saber o que estou a enviar para o Universo. Mais vale só do que mal acompanhada. Sei que isto pode parecer estranho, mas passo a explicar. Quando se faz magia devemos saber o que está dentro de nós, o que nos vai no coração e nos pensamentos, senão poderemos estar a fazer algo "errado" e que se tornará prejudicial para todos. Se estiver com outras pessoas que eu não conheço bem, não sei o que lhe vai na alma, que desejos estão a colocar ali naquele momento sagrado e isso pode dar para o torto. Por isso, a não ser que os termos da proposta mudem e antes de se fazer seja o que for haja convívio mundano para se conhecerem uns aos outros, a minha resposta será não. Pois também eu tenho medo, medo do que outros possam desejar e querer sem eu saber! Não desejo entrar num caminho sem consciência! A manipulação de energias é um assunto sério e como não confio, desconfio, logo não posso poluir o ambiente com a minha desconfiança, não outra vez!

Bom…creio que o balanço está feito. Agora vêm os projectos, mas esses precisam ainda de um pouco de fermento antes de serem partilhados.

Num dia de São Sabino, São Anísio e de Samael, Regente da Energia de Marte

segunda-feira, dezembro 29, 2008

O Elemento Água

Depois de ter feito um texto sobre o elemento Terra e de ter andado pelo Convento da Vitória a alinhar o meu terceiro Chakra e a trabalhar a minha água interior, surge esta partilha.
A Água, com a Terra, faz o segundo elemento feminino da Natureza. Está associado aos mistérios e à magia da Lua. A sua natureza, como a da Terra, é densa, mas ao contrário do outro elemento, este adquire já fluidez. A este elemento associamos as transformações interiores, as mudanças profundas, pois rege a nossa Intuição e os nossos Sonhos uma vez que à Água associamos o nosso Eu Psíquico.
Os rituais que tenham como objectivo a purificação, a transformação interior, os empreendimentos psíquicos, a adivinhação, as emoções, o amor romântico ou o acesso às vidas passadas deverão ter como elemento base a Água, pois ela domina todos estes aspectos, bem como o nascimento e a gestação.
O ponto cardeal que lhe corresponde é o Ocidente (a nossa área), o seu Anjo é Gabriel, as cores a si associadas são a azul, a prata, a púrpura, a índigo e, obviamente, o chakra é o umbilical (aqui há várias correntes que defendem outros chakras, cada um deve encontrar o seu, acho eu). No altar o caldeirão, o cálice e a água consagrada estão em sua representação e os elementais são as ondinas e os banshees. No Tarot está representada pela carta XIII A Morte e a XVIII A Lua e na alquimia pelo triângulo simples invertido.
Para meditarmos sobre este elemento, pois podemos ler tudo o que desejarmos mas nunca ficaremos a conhecer o elemento verdadeiramente, é necessário meditar e “ver” o que ele representa para nós. Assim, podemos usar o triângulo ou o animal Águia.
Este elemento é importante para nós na medida em que nos coloca em contacto com o mundo do Além. Apesar de ser ainda uma representação deste mundo físico já contém em si algumas características que nos permitem vislumbrar o Reino dos Deuses. Este elemento é a chave para o outro mundo, sendo que a porta somos nós próprios. Só conhecendo o nosso interior poderemos ascender ao Divino. Se estiver desequilibrado podemos revelar alguns destes aspectos:
  • Ser emocionalmente distante dos outros.
  • Falta de compaixão
  • Problemas crónicos de relacionamento
  • Ataques de mau génio
  • Pouca intuição
  • Perda ou falta de habilidades psíquicas
No dia-a-dia podemos realizar algumas pequenas acções que nos coloquem em sintonia e equilíbrio com este elemento. Beber chá de tília, jasmim, baunilha ou valeriana; meditar; manter um diário de sonhos (risos); ter ligações com crianças ou mulheres grávidas e comer: leite, iogurtes, queijos, ovos, maçãs, amoras, sumos de frutas e peixe ou marisco.
Antes de exagerar na dose, medite e verifique os seus níveis deste elemento, não se esqueça que um elemento em exagero também não é produtivo.
Por último os deuses que se podem identificar com este elemento são Vénus, Poseidon/Neptuno ou qualquer outro representante noutra cultura destes deuses.

Num dia de São Tomás da Cantuária, São Trófimo e de Gabriel, Regente da Energia da Lua

domingo, dezembro 28, 2008

Melodia da Semana XXXIII

Para esta última semana do ano escolho uma música antiga, uma música que me encanta, que me faz sonhar e acreditar que vale a pena sonhar! Criada para o filme O Feiticeiro de Oz de Victor Fleming, Over the Rainbow é a melodia perfeita para concluir um ciclo da minha vida. Porém, recordei-me desta música pelo simples facto de ela estar presente no filme Australia de Baz Luhrmann.

Este filme é um conto de fadas como já não via há muito tempo, conta a história de Nullah, um menino mestiço que anda no meio dos brancos e dos negros sem se sentir parte de nenhum (sensação que tão bem conheço). Nas suas viagens com o avô vai aprendendo a ser um homem e um mago, acreditando veementemente nos seus poderes, nas canções que o Uno transmitiu aos seus Ancestrais e que ele humildemente aprende e sabiamente utiliza. É através dos olhos profundos desta criança que um casal encontra o seu caminho e uma nação o seu reinício. Aconselho vivamente este filme, cinematograficamente o realizador já conseguiu muito melhor, Romeo + Julliet ou Moulin Rouge, mas espiritualmente encontrou o seu apogeu, a sua mensagem é clara e translúcida, mas cada um retirará o que de si houver para retirar. Eu fiquei maravilhada e com uma paz no coração, relembrei que afinal esta vida é que é a Viagem e não a Outra!
Depois deste belo filme e porque normalmente no fim do ano gosto de fazer o balanço, considerei esta melodia apropriada para este estado que me assola a alma nesta época. A seguir ao Natal, o momento é ideal para fazer planos e com Marte em Capricórnio, não podia ser melhor a conjunção, vamos aproveitar esta boa Energia.
Desejo a todos um fim de ano maravilhoso e que 2009 seja um ano de conclusões, mas lembrem-se depois de uma conclusão, vem sempre um recomeço.
Fiquem com a letra maravilhosa desta música e lembrem-se "There's no place like Home!" por muito que nos façam, não permitam que a vossa essência seja corrumpida e sejam sempre vocês próprios!

Somewhere over the rainbow
Way up high,
There's a land that
I heard of
Once in a lullaby.

Somewhere over the rainbow
Skies are blue,
And the dreams that you dare to dream
Really do come true.

Someday I'll wish upon a star
And wake up where the clouds are far
Behind me.
Where troubles melt like lemon drops
Away above the chimney tops
That's where you'll find me.

Somewhere over the rainbow
Bluebirds fly.
Birds fly over the rainbow.
Why then, oh why can't I?
If happy little bluebirds fly
Beyond the rainbow
Why, oh why can't I?

Num dia dos Santos Inocentes e de Miguel, Regente da Energia de Sol

sábado, dezembro 27, 2008

Marte em Capricórnio

O Céu mudou e desta vez é Marte, o signo da acção, das batalhas, das direcções que tomamos na vida que está em jogo, saindo de Sagitário e entrando em Capricórnio.

Marte adora esta casa, sendo ele um planeta orientado para a acção encontra neste signo uma orientação efectiva. Os astrólogos dizem que Marte se encontra exaltado em Capricórnio, o que significa que as suas energias se encontram poderosas e harmoniosas neste signo, fluem naturalmente. Este período será então excelente para assumirmos grandes tarefas e levá-las a cabo, levá-las até ao fim. Para aqueles que, como eu, sentem alguma dificuldade em concluir os projectos este será um período a aproveitar, sem dúvida!

Nem Marte nem Capricórnio têm medo do trabalho e são, até, do tipo trabalhador árduo, que se esfolam e rebentam para levar os seus trabalhos a bom porto. Se não temos um objectivo em mente, ou um bom objectivo, este é o momento ideal para o encontrar, criar um próprio desafio e focalizar a vontade para o alcançar. Não há nada que não se consiga se estivermos com a mente clarificada, empenhada e mantivermos a nossa Vontade direccionada para esse objectivo. Nada nos poderá parar!

Porém, Capricórnio é um signo de autoridade e de organização e a natureza independente de Marte pode levar a algumas dificuldades com chefes, pais e instituições neste momento, figuras de autoridade em geral. Então, neste período que vai até 4 de Fevereiro, deveremos encontrar um escape saudável para a energia agressiva de Marte, caso contrário poderemos cair nas armadilhas do ego e tornarmo-nos em rebeldes sem causa, apenas com desejo de desafiar os superiores.

Por última, nem Marte nem Capricórnio são reconhecidos pela sua sensibilidade, todavia, podem dar-nos a qualidade de superarmos tudo e todos. Cuidado apenas para não sermos demasiado insensíveis ao ponto de não ligarmos a quem estamos a pisar na nossa subida para o sucesso. O truque será a utilização da Compaixão, quer por nós quer pelos outros.

Mais uma vez, reforço a ideia deste período ser excepcional para quem tem dificuldades em conseguir levar os seus projectos a bom porto, durante este mês e pouco, aproveitemos esta energia planetária e façamos os rituais para conseguir direccionar a nossa vida.

Num dia de São João Evangelista e de Cassiel, Regente da Energia de Saturno

terça-feira, dezembro 23, 2008

Prendinha de Natal para os Espíritos livres que por aqui passam

Eu acredito no Natal! Acredito neste espírito natalício, acredito que é um momento especial, acredito que nos dedicamos aos outros de forma mais sincera, acredito que há uma luz especial que nasce e que nos ilumina, acredito simplesmente nesta Energia que se gera e na qual gosto de participar!
Por isso, deixo-vos um pequeno desabafo como prendinha para pôr no sapatinho...espero que gostem, será a expressão da minha gratidão por tudo de bom que fizeram ao se revelarem e me permitirem conhecer-vos e partilhar convosco quem eu sou!

Feliz Natal

Neste época tão especial
olhe à sua volta,
veja tudo ...
Tudo o que plantou na sua vida.


O que já foi não voltará e agora é necessário seguir.

Os seus olhos brilharão e o coração sorrirá
Será invadido pela Energia mais poderosa
do Universo - o Amor!

Receba a maior prenda que existe no mundo
o Amor que andou a semear por todas as pessoas
deixe que elas se expressem e exprima-se também.

Liberte-se e entregue-se...
esse é o espírito do Natal:
- Levar-nos de volta à Luz do Amor!

No caminho da Luz só há serenidade,
Tudo o resto são estados para nos levar até ela.
Assim, aceite a sua vida e viva-a plenamente!
No Amor e na Beleza!


Assim seja!

segunda-feira, dezembro 22, 2008

Ritual do Solstício de Inverno

É a terceira vez que realizo este ritual. A primeira fui apenas assistente/participante, esse ritual foi muito importante para mim, fi-lo com uma prenda no bolso, a chave do meu Templo.
O segundo, realizei-o no meu Templo, com três mulheres a assistirem/participarem e foi um dos mais belos que realizei, dirigindo pessoas.
Este foi feito sozinha, mas na companhia de Todos! Têm sido muito bonitos, diversificados e reveladores.

Nestes últimos tempos, tenho sido questionada sobre estas práticas que realizo, como nunca tive problemas em justificar os meus actos, as minhas crenças, decidi esclarecer aqui algumas coisas, são as minhas visões pessoais sobre estes rituais e, por isso mesmo, têm a validade que têm.
Há oito rituais que realizo imperativamente, 4 dedicados ao Sol (os dois solstícios e os dois equinócios) que marcam a marcha da Luz, o Ritmo da Natureza, e 4 dedicados à Lua (Luas Cheias) estes relacionados com a fertilidade do campo, com o cultivo, a prosperidade. Estes rituais são de origem incerta, alguns crêem que vêm dos tempos egípcios, outros dos celtas, ou de mais tarde ainda. A mim a origem não me interessa, pois cada coisa tem o valor que lhe damos e eu atribuo a estes rituais um valor simples: colocar-me em sintonia com a Natureza.

Desde que comecei este Caminho, sinto-me mais equilibrada, mais em harmonia com os ciclos naturais da Vida. O meu corpo adaptou-se aos ciclos lunares e a minha mente/espírito aos do Sol. Sinto as coisas exteriores como reflexo de mim própria e vejo no mundo o meu próprio mundo interior. Estas são tão simplesmente as razões e os objectivos dos meus rituais de comemoração.
Quanto aos outros, nada têm a ver com a dita bruxaria popular, são complementos que realizo para treinar as técnicas e pedir prosperidade para o Universo. Os rituais têm bases pagãs, as tradições vem quase todas dessa cultura, mas não sinto qualquer problema em associar estes rituais à religião cristã. Para mim podemos chamar o nome que quisermos a Energia Primordia é simplesmente uma Energia e se lhe damos um nome diferente de cultura para cultura, religião para religião, as suas características não são diferentes. Eu posso chamar-me Maria, Shin Tau, Gally ou Nada, mas a minha essência é sempre a mesma.
Posto isto, espero que os Curiosos (risos) que me questionaram se sintam satisfeitos com a minha resposta, que compreendam acima de tudo que isto nada tem de Oculto, Misterioso ou Hermético, é apenas uma forma diferente de nos podermos encontrar enquanto parte Manifestada da Grande Obra Divina. Tão-somente isto!

Agora o ritual retirado do livro Rituais Antigos para um Mundo Novo – Manual de Magia de José Medeiros :

Colocar uma vela verde dentro da Taça do Fogo e as outras em volta da mesma, uma branca à esquerda, uma vermelha ao meio e uma preta à direita.
Tocar o sino três vezes e dizer:

- Hoje termina a regressão e começa a expansão. A Luz triunfará de novo. Energia Primordial Pai/Mãe do Universo, que o novo Sol conduza ao Espírito das tuas duas polaridades. As Águas Primordiais farão com que a Vida se volte a manifestar, renascendo do interior da Mãe Terra e a nova luz do Sol lhe dará força e vigor para que se multiplique. Hoje recomeçamos a avançar na espiral da evolução que dirige o nosso Plano.

Acender incenso de Olíbano e dizer:
- As Energias adormecidas vão despertar e aumentar com a força do Amor, enquanto farão avançar a Roda da Vida. A noite fria aguarda a chegada da aurora, anunciadora do novo Sol que ajudará a Grande Mãe a fazer ressurgir a Vida guardada no seu ventre. De novo as trevas darão lugar à Luz e as Energias Telúricas se manifestarão no nosso Plano. O novo ciclo começou.

Acender a vela branca e dizer:

- Que a Luz branca da Virgem me Ilumine no novo Caminho e faça germinar as sementes de novas iniciativas.

Acender a vela vermelha e dizer:

- Que a Luz vermelha da Mãe desperte a minha mente criativa, e auxilie na minha realização e me dê força para o Bom Combate.

Acender a vela preta e dizer:

- Que a Luz negra da Sábia me ajude a compreender os mistérios e me dê a Sabedoria para percorrer o Bom Caminho.

Acender a vela verde e dizer:

- Que a Luz verde da Grande Mãe das Três Faces, representando a Vida que ressurge da Terra e o Sol novo que Hoje se vai manifestar, me ilumine durante este novo ciclo.

Tocar o sino, uma vez, para Oriente e dizer:

- Regente da Porta de Oriente e Génios do Ar, acolhei a nova Luz que hoje se manifesta.

Tocar o sino, uma vez, para Sul e dizer:

- Regente da Porta de Sul e Génios do Fogo, acolhei a nova Luz que hoje se manifesta.

Tocar o sino, uma vez, para Ocidente e dizer:

- Regente da Porta de Ocidente e Génios da Água, acolhei a nova Luz que hoje se manifesta.

Tocar o sino, uma vez, para Norte e dizer:

- Regente da Porta de Norte e Génios da Terra, acolhei a nova Luz que hoje se manifesta.

Em frente ao altar, virada para Oriente, tocar o sino três vezes e dizer:

- Eu te saúdo, Sol Invictus, Luz da Nova Vida. Abençoa-me e ilumina a minha nova vida e o meu Caminho.

Tocar o sino três vezes e dizer:

- Eu te saúdo, Grande Mãe da Tripla Face, Senhora do Passado, do Presente e do Futuro, Renovadora da Vida. Abençoa-me e protege-me no Bom Combate. Que assim seja.

Saudar o Oriente flectindo a cabeça e cruzando os braços sobre o peito.
Colocar a taça com o vinho sobre o pentagrama e tocar-lhe com a Vara para Consagração.
Erguer a Taça, para Oriente, e beber um pouco de vinho; o resto será vertido sobre a Terra, no exterior depois de terminado o ritual.

Saudar o Oriente.

Meditação sobre o ressurgimento da Luz. Elaboração mental de planos para o novo ciclo.
Dizer:

- Que a Força do Tempo Velho seja transferida para o Tempo Novo. Pai/Mãe, Energia Primordial, dá Força ao Tempo Novo para que o Caminho se cumpra com Beleza e Sabedoria.

Saudar o Oriente, com os braços cruzados sobre o peito, o esquerdo sobre o direito, e dizer:

- Energia Primordial, Pai/Mãe do Universo, ajuda-me a percorrer o Bom Caminho e a vencer o Bom Combate. Que assim seja.

As velas do ritual deverão arder até ao fim, ou então, ser enterradas.


Num dia de São Honorato, São Flamiano, São Filadelfo e de Gabriel, Regente da Energia de Lua

domingo, dezembro 21, 2008

Melodia da Semana XXXII

Para esta semana de Natal fica uma das minhas músicas preferidas Have yourself a merry Little Christmas cantada por Aimee Mann no álbum Another drifter in the Snow. Esta semana vou estar outra vez ausente, ainda a terminar reuniões e começam as celebrações, que em minha casa são levadas muito a sério (risos), por isso há muita coisa para preparar. Assim, amanhã colocarei o ritual de Solstício de Inverno e depois não sei bem quando regressarei, estou a precisar de férias (risos). Mas há novidades para Janeiro...coisas boas, claro!
Faço das palavras abaixo as minhas próprias palavras e espero que esta celebração seja plena, que a esperança e a tranquilidade nasçam nos vossos corações com o nascimento da Luz da Luz. Beijos e abraços para todos vós e...


Have yourself a merry little Christmas
Let your heart be light
From now on, our troubles will be out of sight
Have yourself a merry little Christmas
Make the Yuletide gay
From now on, our troubles will be miles away
Here we are, as in olden days
Happy golden days of your
Faithful friends who are dear to us
Gather near to us
Once more
Through the years, we all will be together
If the fates allow
Hang a shining star upon the highest bough
And have yourself a merry little Christmas now

Oração aos Anjos de Capricórnio

Acaba de chegar o Inverno, o que é o mesmo dizer, que Sol acabou de entrar no signo Capricórnio, marcando assim a mudança da estação. Com este Solstício chega a Luz, o deus nasce pois a partir de hoje muda a sua rota e teremos mais luz na Terra, os dias começam novamente a "crescer" e com ela a esperança de uma nova Vida.
Para nos ajudar nesta transição vou partilhar uma oração lindíssima aos Seis Anjos de Capricórnio, esta oração é de Haziel.

Vinde a mim, Senhores do Porto Alto do Zodiaco:
O meu Palácio Interno acaba de ser renovado!
Eu era, talvez, errante, presentemente sou estável para ver brilhar a vossa luz, límpida, transparente como cristal, iluminadora.
A Centelha Divina de que sou portadora incita-me a querer compreender o porquê de todos os acontecimentos.
Incita-me a agir no seio desta Grande Obra que é a Criação.
Ajudai-me, Anjos, Irmãos mais velhos dos Homens, a agir mais e melhor, a não pecar por omissõa, por falta de interesse, por ausência de Amor.
Ajudai-me a ter sucesso para o maior bem do próximo e de mim mesmo, para Glória do Criador!
Ámem!

Num dia de São Tomé, São Pedro Canísio e de Miguel, Regente da Energia de Sol

sexta-feira, dezembro 19, 2008

6.ª Lição do Mago

O conhecimento do mago é um campo que está em todo o lado
As correntes de conhecimento contidas no campo são eternas e fluem eternamente
Séculos de conhecimento estão comprimids em momentos de revelação
Vivemos como ondas de energia num vasto oceano de energia
Quando o ego for posto de lado, terá acesso à totalidade da memória.

in O Caminho do Mago, Deepak Chopra

Num dia de Santa Fausta e de Anael, Regente da Energia de Vénus

quinta-feira, dezembro 18, 2008

Matar Saudades

A única coisa que vale a pena matar...as saudades!
Que bom ter nascido portuguesa e poder sentir este sentimento, para com um amor romântico o poder assassinar. Deixo as palavras do mestre Pessoa para me encorajar, acalmar...

Navegue, descubra tesouros, mas não os tire do fundo do mar, o lugar deles é lá.
Admire a lua, sonhe com ela, mas não queira trazê-la para a terra.
Curta o sol, se deixe acariciar por ele, mas lembre-se que o seu calor é para todos.
Sonhe com as estrelas, apenas sonhe, elas só podem brilhar no céu.
Não tente deter o vento, ele precisa correr por toda parte, ele tem pressa de chegar sabe-se lá onde.
Não apare a chuva, ela quer cair e molhar muitos rostos, não pode molhar só o seu.
As lágrimas? Não as seque, elas precisam correr na minha, na sua, em todas as faces.
O sorriso! Esse você deve segurar, não deixe-o ir embora, agarre-o!
Quem você ama? Guarde dentro de um porta jóias, tranque, perca a chave!
Quem você ama é a maior jóia que você possui, a mais valiosa.
Não importa se a estação do ano muda, se o século vira e se o milénio é outro, se a idade aumenta; conserve a vontade de viver, não se chega à parte alguma sem ela.
Abra todas as janelas que encontrar e as portas também.
Persiga um sonho, mas não deixe ele viver sozinho.
Alimente sua alma com amor, cure suas feridas com carinho.
Descubra-se todos os dias, deixe-se levar pelas vontades, mas não enlouqueça por elas.
Procure, sempre procure o fim de uma história, seja ela qual for.
Dê um sorriso para quem esqueceu como se faz isso.
Acelere seus pensamentos, mas não permita que eles te consumam.
Olhe para o lado, alguém precisa de você.
Abasteça seu coração de fé, não a perca nunca.
Mergulhe de cabeça nos seus desejos e satisfaça-os.
Agonize de dor por um amigo, só saia dessa agonia se conseguir tirá-lo também.
Procure os seus caminhos, mas não magoe ninguém nessa procura.
Arrependa-se, volte atrás, peça perdão!
Não se acostume com o que não o faz feliz, revolte-se quando julgar necessário.
Alague seu coração de esperanças, mas não deixe que ele se afogue nelas.
Se achar que precisa voltar, volte!
Se perceber que precisa seguir, siga!
Se estiver tudo errado, comece novamente.
Se estiver tudo certo, continue.
Se sentir saudades, mate-a.
Se perder um amor, não se perca!
Se achá-lo, segure-o!
Porque quem ama nunca sabe o que ama
Nem sabe porque ama, nem o que é amar
Amar é a eterna inocência.
E a única inocência, não pensar...

Num dia Nossa Senhora do Ó e de Saquiel, Regente da Energia de Júpiter

terça-feira, dezembro 16, 2008

Mercúrio em Capricórnio

Desde 11 de Dezembro a 1 de Janeiro de 2009, Mercúrio estará em Capricórnio.

Esta conjuntura, pela primeira vez desde que escrevo sobre isto neste espaço, não é muito positiva. Vai ser necessária uma grande concentração da nossa parte, para conseguirmos contrariar alguns dos aspectos que serão evidenciados por esta conjunção energética, mas nada é impossível e, como diz a Sabedoria popular, "O que não nos mata, torna-nos mais fortes".

A comunicação será orientada, racionada de acordo com os objectivos pretendidos. Capricórnio é um signo de Terra, regido por Saturno, as conversas podem seguir rumos pouco alargados, a informação será controlada e, além disso, uma vez que Capricórnio se interessa por hierarquias, os diálogos poderão estar dirigidos para quem diz em vez da informação que é dita.

Não obstante, será uma excelente altura para organizar, tornarmo-nos mais práticos e focalizarmos as nossas energias mentais. Capricórnio dará à nossa comunicação um sentido mais prático, apenas será dito o essencial, o prático, o estritamente necessário. Será bom para quem está interessado em construir os seus modelos, esquemas mentais, pois Capricórnio dará uma visão mais matura das coisas, realista até.
Como sempre, nada é bom ou mau, isso são qualidades humanas. Tudo depende da forma que queremos dar às coisas.

Num dia de Santa Adelaide e de Samael, Regente da Energia de Marte

segunda-feira, dezembro 15, 2008

Herança

Eu vim de infinitos caminhos,
e os meus sonhos choveram lúcido pranto
pelo chão.

Quando é que frutifica, nos caminhos infinitos,
essa vida, que era tão viva, tão fecunda,
porque vinha de um coração?

E os que vierem depois, pelos caminhos infinitos,
do pranto que caiu dos meus olhos passados,
que experiências, ou consolo, ou prémio alcançarão?

Cecília Meireles

Hoje só há tempo para isto...

Num dia de São Eusébio, São Faustino e de Gabriel, Regente da Energia da Lua

domingo, dezembro 14, 2008

Melodia da Semana XXXI

Esta semana estarei ausente, o que significa que não sei a regularidade com que aparecerão partilhas. Estas semanas fizeram-me repensar alguns aspectos da minha vida e, ontem, na minha visita à Cova da Iria, recebi algumas mensagens que preciso digerir. Na volta, parei na Batalha e fui trabalhar a minha Água, através do percurso de Marte.
Curiosamente o meu Carro parou e preciso de me ausentar, não só para descansar, pois de facto ando muito exausta, mas também para poder, sozinha, compreender o que se passa.
Deixo-vos esta semana com uma música muito pessoal do meu amado Anthony & the Johnsons Shake that Devil, só no fim de Janeiro sairá o novo álbum Another World...

That dog had its way with me
Shake that dog out of the tree
That dog had its way with me
Shake that dog out of the tree
Shake that dog right out of me
That dog
That dog
That dog had its way with me
Shake that dog out of the tree
Shake that dog right out of me
That dog
That dog
That bird came at me with a knife
Told me she wanted my life
Shake that bird out of the tree, so that everyone can see
Shake that bird right out of me
That bird
That bird
Shake that bird out of the tree, so that everyone can see
Shake that bird right out of me
That bird
That bird
That pig took everything i had
That pig made me feel so bad
Shake that pig out of the bush, now lets give that pig a push
Shake that pig right out of me
That pig
That pig
Shake that pig out of the bush, now lets give that pig a push
Shake that pig right out of me
That pig
That pig
Shake that devil
That dog had its way with me
[That dog, that dog]
Shake that dog out of the tree
That dog, that dog
Shake that dog
Shake that dog
That dog had its way with me
Shake that dog out of the tree
That dog
That dog
That bird came at me with a knife
That bird
That bird
Told me she wanted my life
That bird
That bird
Shake that bird
Shake that bird
Shake that bird out of the tree
So that everyone can see
Shake that bird right out of me
That bird
That bird
That pig took everything i had
That pig
That pig
That pig made me feel so bad
That pig
That pig
Shake that pig
Shake that pig
Shake that pig out of the bush, now lets give that pig a push
Shake that pig right out of me
That pig
That pig
Shake that dog
Oyeah, shake it, shake it, shake that dog
Shake that dog out of the tree, so that everyone can see
Shake that dog right out of me
That dog
That dog

Num dia de São João da Cruz, São Fortunato e de Miguel, Regente da Energia de Sol

sábado, dezembro 13, 2008

Anjos novos ... novos Anjos

Desde o ano passado que estou envolvida com o ensino do Inglês no 1.º Ciclo. Para ser completamente honesta, comecei para ver se completava o horário e para ganhar uns trocos, pois esta novidade no ensino português deixava-me um pouco de pé atrás. Porém, não há nada melhor do que experimentar para conhecer a realidade. Com tudo na vida devíamos ser assim, pois não nos basta ouvir a descrição sobre o cheiro de uma rosa, há que cheirá-la e testar com o nosso próprio olfacto.
Este ano calhou-me na rifa uma turma de 1.º ano, mais uma vez, eu não estava ainda completamente confiante nesta novidade, mas decidi aceitar o desafio. Para quem não conhece a realidade de um 1.º ano de escolaridade eu vou alargar-me na minha descrição.
Temos pela frente crianças com 5/6 anos, muitas delas, apesar de tudo o que se ouve nos media, sem terem passado por um Jardim-de-infância. Isto quer dizer, sem estarem habituados a permanecer sentados, pedir autorização para falar ou distinguir qualquer regra de sala de aula. A confusão chegava a ser tanta que não me restava outra alternativa senão os colocar de castigo. Braços cruzados em cima da mesa e cabeça em cima dos braços. Obviamente que muitos não conseguiam e eu tinha de gritar, o que me custava horrores, mas tinha de ser. Depois dos meus gritos eram os deles, desesperados a chorarem que queriam ir para casa. (risos) Foram momentos conturbados, mas lá demos a volta.
O reforço positivo é sempre uma boa solução e optei por começar a escrever no quadro o nome dos alunos que estavam a cumprir as regras. Eles ainda não sabem ler, mas aos poucos vão reconhecendo os seus nomes e ver os olhinhos dos que lá estavam era uma delícia. Claro, os outros que ainda não conseguiam comportar-se de forma adequada, demoraram a compreender que tinham mesmo de se portar bem para terem direito a ver o nome escrito no quadro, mas quando não estava...choravam, birras atrás de birras. Enfim, uma bola de neve. Não quero demonstrar a dificuldade do trabalho, não é essa a intenção, mas numa altura em que se fala tantos dos professores, pareceu-me bem mostrar às pessoas que, como em qualquer outra profissão, temos de ter competências para a desempenhar e não é qualquer um que conseguiria aguentar estes episódios. Uma coisa é brincar com crianças, outra, completamente diferente, é ensinar!
Mas a razão da minha partilha de hoje é simples. Ontem tive uma recompensa enorme por todos estes meses de luta, não só com o comportamento dos alunos, como muitas vezes dos próprios pais. É que acrescido ao 1.º ano está o facto de ser num bairro problemático de Lisboa, onde os pais entram pela escola de arma em punho para dar tiros ao professor que bateu no seu menino, acaba sempre por ser mais fogo de vista, pois depois de muita conversa acabam por compreender que afinal não foi bem como o menino contou em casa. Contudo o desrespeito e a desmoralização acaba por se ir sentindo. Acreditem, faço isto mesmo por gosto e não necessito do reconhecimento de ninguém, as coisas são como são, ou aceito ou saio.
Mas estava a dizer...Estamos em preparação para a Grande Festa de Natal. Calhou-me na rifa ensinar uma música ao bendito 1.º ano. (risos) Foi uma dor de cabeça...a dicção deles não é das melhores, a sua capacidade de concentração é reduzida, a afinação da professora é um caos...enfim, parecia um desafio insuperável.
Primeira tarefa - a escolha da música, uma simples de cantar mas intensa...depois de muita pesquisa...achei!
Oh Christmas tree, oh Christmas tree
How lovely are your branches.
Oh Christmas tree, oh Christmas tree
How lovely are your branches.
Lovely and green they always grow
Through Summer sun and Winter snow
Oh Christmas tree, oh Christmas tree
How lovely are your branches.
Segunda tarefa colocá-los a dizer as frases correctamente (difícil!) e só depois ensinar a melodia.
Depois de algumas semanas de desespero, por mais que fizéssemos nada parecia resultar, eles queriam era cantar, sem consciência de que estavam desafinados ou as palavras mal pronunciadas. Quando comecei a ser mais exigente, eles perdiam o interesse. Mais um problema...foi então que me lembrei de lhes dizer que tinha convidado um amigo especial para ir à Festa e que se eles estivessem de cara triste o meu amigo ia ficar triste. Houve logo um que perguntou quem era o amigo, para ver se valia a pena o esforço. Mas a minha resposta cativou-os a todos - o PAI NATAL. Claro, agora a teacher não pode ir à festa, porque tem de se mascarar de Pai Natal, jamais quebrar uma promessa feita a uma criança, isso pode arruinar-lhes a magia do Natal.
Então, (quando escrevo sobre a minha profissão é sempre assim, longo...sorry) como já disse, hoje recebi a recompensa por todas as dores de cabeça, rouquidão e dores de garganta, desânimo...enfim, por todos os problemas que foram surgindo. Uma aluna, depois de eu lhe pedir com ternura, porque não estava a cantar no ensaio, foi à frente da sala toda cantar sozinha a música. Sentei-me atrás de todos os alunos, fechei os olhos e, por instantes, fui ao céu e à minha volta estavam milhares de querubins a dançar envoltos de uma alegria e felicidade nunca sentidos antes. Quando abri os olhos, estes estavam inundados de lágrimas e ela deu-me um abraço do tamanho do Universo. Tudo foi esquecido!
Creio nunca ter encontrado na minha vida um abraço tão puro, tão sincero, tão inesperado, tão repleto de Amor e, acreditem, já abracei pessoas bem bonitas. Senti que ao contrário dos crescidos, pois também ela já sofreu muito, apesar de ter 6 anos, não havia recordações de mágoas no seu coração e isso foi tão bom...que me limpou o meu também.
Hoje voltei a ser lembrada que qualquer desafio, por muito impossível que pareça, pode ser sempre superado se soubermos utilizar as Armas certas, isto é, o Amor!
Que eu me lembre sempre deste dia, que o relembre nos dias em que a Força fraqueja, que ele seja como um sinete avisando-me de que o meu trabalho é para as crianças, para aquelas almas que me foram colocadas à frente, e nunca para os pais, para o Ministério, para os outros!
Estou pronta para ir a Fátima! Desde miúda que o meu pai se aborrecia comigo pois eu tinha sempre velinhas a queimar na mesinha de cabeceira. Ele aborrecia-se pois achava aquilo perigoso e perguntava-me, em tom de desafio, tens sido muito ouvida, estás sempre a pagar promessas. Nunca lhe disse que eu antes de pedir dava as velas, nunca coloquei a condição de receber e depois pagar. Assim, só depois de ter feito a minha tarefa, me sinto pronta para ir ter com a Terra. Estou limpa e não vou deixar lá mais más energias, isto é no que EU acredito, não quer dizer que é o mais correcto ou menos correcto, é como eu sou, só isso.

Num dia de Santa Luzia, Santa Odília e de Cassiel, Regente da Energia de Saturno

sexta-feira, dezembro 12, 2008

Lições através de mensagens de amigos

Uma das coisas que me ajudou a compreender o que se passava à minha volta, foram as mensagens que alguns amigos me trouxeram. Por vezes, senão mesmo sempre, são eles os Anjos Mensageiros, uns de forma consciente, outros nem por isso, mas todas foram tidas em consideração e agradecidas devidamente.
A partilha de hoje vem nessa corrente, recebi esta mensagem de uma amiga que achei tão bela e tão em sintonia com a conjuntura actual, que decidi partilhar. Faço uma tradução só para ajudar, pois todos sabem um pouco de inglês, o suficiente pelo menos para desenrascar, e há coisas que uma tradução nem sempre consegue captar, o que aqui, algumas vezes, é o caso.Espero que gostem, eu adorei e por isso partilho. Deixo ainda uma frase de Paul Coelho que me tem vindo a "assombrar":
«Somos todos protagonistas da nossa existência e, muitas vezes, são os heróis anónimos que deixam marcas mais duradouras.»

You can't be all things to all people.
You can't do all things at once.
You can't do all things equally well.
You can't do all things better than everyone else.
Your humanity is showing just like everyone else's.

So, You have to find out who you are, and be that.
You have to decide what comes first, and do that.
You have to discover your strengths, and use them.
You have to learn not to compete with others, because no one else is in the contest of "being you".

Then, You will have learned to accept your own uniqueness.
You will have learned to set priorities and make decisions.
You will have learned to live with your limitations.
You will have learned to give yourself the respect that is due.
And you'll be a most vital mortal.

Believe, That you are a wonderful, unique person.
That you are a once-in all history event.
That it's more than a right, it's your duty, to be who you are.
That life is not a problem to solve, but a gift to cherish.

And you'll be able to stay one up on what used to get you down.

Não podes ser tudo para todas as pessoas.
Não podes fazer tudo ao mesmo tempo.
Não podes fazer tudo igualmente bem.
Não podes fazer tudo melhor que os outros.
A tua humanidade está à mostra, como a de todos.

Por isso, Tens de descobrir quem és, e ser essa pessoa.
Tens de decidir o que vem primeiro, e fazê-lo.
Tens de descobrir as tuas forças, e usá-las.
Tens de aprender a não competir com os outros, porque mais ninguém está no concurso para ser Tu.

Então, terás aprendido a tua singularidade.
Terás aprendido a definir prioridades e a tomar decisões.
Terás aprendido a viver com as tuas limitações.
Terás aprendido a respeitares-te devidamente.
E serás um mortal importantíssimo.

Acredita, Que és uma pessoa maravilhosa e única.
Que és um acontecimento que ocorre uma vez na história.
Que é mais do que um direito, é o teu dever, ser quem és.
Que a vida não é um problema a resolver, mas uma dádiva para acarinhar.
E assim serás capaz de estar bem naquilo que te costumava fazer mal.
Num dia de São Justino, Santa Joana de Chantal e de Anael, Regente da Energia de Vénus

quinta-feira, dezembro 11, 2008

Prova superada

Depois dos acontecimentos das duas últimas semanas, coincidentemente nas quintas-feiras, decidi de forma consciente esperar pela próxima para verificar o que acontecia. Assim, foi com alguma apreensão que comecei o dia, mas mantendo em mente que tinha feito o trabalho de casa e que, provavelmente, estaria mais preparada para o que pudesse acontecer.
Tentei manter a minha percepção constantemente virada para mim e para o que estava à minha volta.
Já disse aqui por várias vezes que a condução é um momento importante para mim. Não só me apercebo da minha forma de estar, por me irritar mais facilmente com os erros dos outros, mas também pela própria posição do meu corpo, às vezes tenho de ajustar o espelho retrovisor, só eu conduzo aquele carro, logo, o espelho está sempre na mesma posição. Mas, por vezes, estou mais cabisbaixo, os ombros curvados, menos firme e tenho de adaptar o espelho para poder ver a estrada. Noto logo que há algo de “errado” comigo e tento modificar a postura. Hoje, enquanto estava a conduzir para o trabalho, um carro começou a lançar-se para cima de mim, senti imediatamente a onda de medo do acidente baixar o meu nível vibratório. Corrigi o acto e cheguei à escola alinhada como tinha saído de casa.
A minha apreensão não tinha só a ver só com o facto de recear que me fosse mostrado que as minhas conclusões estavam erradas, eu sabia que hoje, como nas outras quintas-feiras, havia uma pessoa à minha espera e que mais uma vez iria tentar dominar-me, humilhar-me para que ela própria saísse bem no papel (se o faz de forma consciente ou não, não sei, mas que o faz, faz). Porém, o conhecimento espiritual serve para melhorar a nossa capacidade para lidar com estas pessoas, sendo que estas pessoas são aquelas que, apesar de não estarem viradas para o esoterismo, sentem as energias dos outros e quando estas não são como as suas tentam subjugar os outros até tudo ficar como sempre foi, sob o seu domínio.
Bem energizada e consciente do trabalho que ela iria tentar realizar para me destabilizar, coloquei-me no papel de observador e, sempre que ela avançava, eu sai de mim e não conseguiu nada do que pretendia. Cansou-se de estar a falar com um saco vazio, com alguém que anuía a tudo e sorria. No fim, tentou ainda uma última carta: falar mal de outra pessoa para eu a apoiar, elogiando-me a mim em detrimento do outro. Nem vou fazer juízos de valor sobre tal atitude, pois qualquer ligação que eu neste momento permita fazer, significa rapidamente voltar para o seu jogo de roubar energias, o que não quero!

Hoje, foi um dia abençoado, pois consegui provar tudo o que já suspeitava.
No caminho de regresso, para outra escola, mais uma vez o IC19 estava com fila. Telefonema rápido para avisar que poderia chegar atrasada ou nem sequer chegar, pois deveria haver um acidente, dado o comprimento da fila e o número de ambulâncias que passavam. Quando desliguei o telefone pensei “Que bom, estou mesmo alinhada, nem sinto a energia do acidente.” Contudo, essa não foi a verdade, o que se passava não sei, mas não havia acidente, junto às bombas da BP no Cacém havia pelo menos cinco carros da GNR e BT e muita polícia a andar pelos matos adjacentes, mas nada de acidente. Como já estava atrasada nem pensei mais no assunto, mas agora que reflicto não deixo de considerar curioso que não tenha sentido nada, pois, de facto, não havia nada. Quanto a essa habilidade ou não, terei de esperar por uma próxima para constatar se é ou não.
E é desta forma, limpa e bem disposta que chego ao fim do dia sabendo que superei a prova que o Universo me colocou à frente. Limpei o meu passado e estou a dar passos para o meu futuro, construindo um presente bem alicerçado em Amor e Paz.
Quando temos certeza de quem somos, de quem fomos e de quem queremos ser, os outros podem dizer, fazer, pensar, o que quiserem…nada nos atingirá.

Num dia de São Dâmaso, São Franco e de Saquiel, Regente da Energia de Júpiter

quarta-feira, dezembro 10, 2008

Vénus em Aquário

No passado Domingo, dia 7, Vénus entrou em Aquário.
Temos menos de um mês para aproveitar ao máximo esta conjuntura, uma vez que, no dia 3 de Janeiro, Vénus mudar-se-á para Peixes.
Este Planeta que representa as relações amorosas e de prazer, adora Aquário, um signo que lhe dará liberdade para se poder expressar. Portanto, podemos esperar que as barreiras dos relacionamentos de amizade e românticas se tornem menos espessas e adquiram uma tónica menos pesada. Porquê? Simplesmente por este signo ser de Ar e as qualidades deste Elemento são exactamente essas, liberdade, inovação e intelectualidade.
Este é um momento em que as cobranças não podem existir, a não ser que se pretendam os conflitos, pois Aquário não gosta de amarras e Vénus poderá exprimir assim o seu Amor Livre, por tudo e por todos. É uma excelente oportunidade para renovar as nossas relações, as românticas necessitam de novos enquadramentos, uma escapadinha a dois, um jantar romântico num restaurante chique (fará bem à relação contraria a crise económica!), fazer algo de diferente. As relações de amizades precisam de se deixar exprimir de outras formas, uma mensagem especial, um telefonema inesperado, uma prenda, um beijo intenso. Seja o que for que decidamos fazer deve ter como intuito ser diferente, mostrar a nossa gratidão por ter pessoas tão especiais à nossa volta. Não quero dizer que normalmente não o devamos fazer, mas esta conjuntura torna o processo mais fácil, as nossas intenções serão bem dirigidas, pois os astros enaltecem-nas.
Não há bela sem senão... Por isso, neste período não podemos esperar que os actos venham com sentimentalismos. Há pessoas que tem dificuldades, ou não, em exprimir os seus sentimentos, neste período será talvez necessário tentar ver as provas de amor por detrás dos actos que cada um consegue ter. Ou seja, talvez a forma que o outro tem de mostrar os seus sentimentos não seja aquelas que esperaríamos, por isso, há que ser tolerante e compreender as diferenças de cada um.

Mas Vénus não tem só a ver com o Amor, a Beleza também lhe está associada. Assim, nestes dias vamos sentir uma compulsão por arte diferente, coisas bizarras, estranhas. É um excelente momento para abrirmos os nossos horizontes e experimentarmos aquilo que normalmente não faríamos.

Num dia de São Melquíades, São Pedro Crisólogo e de Rafael, Regente da Energia de Mercúrio

terça-feira, dezembro 09, 2008

Aprendizagens...

Estas semanas forma intensas, como sempre, as reflexões são muitas. Há coisas do meu passado que voltaram e que me fizeram ter sonhos com o meu Anjo onde ele me mostrou o que era urgente aprender, por isso, nos próximos dias aparecerão textos onde faço as minhas reflexões.
Hoje quero falar sobre o regresso da minha mestre de meditações. Ela trouxe-me uma mensagem importante “A mim nada me pertence”. Na semana anterior tinha descoberto um código que não permitia a quem usasse o meu blogue copiar os meus textos. Na altura foi um acto impulsivo que me fez usar esse código, deixando a mensagem “Ai…ai…apanhado a copiar!”. Lembro-me que já na altura esse meu acto me fez pensar no que tinha escrito sobre tentar ser um modelo para as pessoas seguirem, mas não lhe dei continuidade. Fiquei apenas pela reflexão de que era uma incongruência em mim, pois tento ser o modelo mas quando alguém me copia fico irritada, não fazia sentido. Porém, com tanta coisa a acontecer ao mesmo tempo, ficou em stand-by.
Depois aparece a frase da Salomé…ficou a bater em mim e por isso a publiquei. Às vezes, quando não estamos muito consciente do que fazemos, temos atitudes intuitivas que mais tarde, se fizermos uma reflexão, nos mostra algo importante. Foi o que aconteceu!
Portante, aqui vai o que me ficou a matutar: crio um blogue para partilhar as minhas aprendizagens e depois impossibilito as pessoas de copiar os textos, não faz sentido! Se o que realmente pretendo é partilhar, todos devem poder usar a minha informação como lhes aprouver. Assim, no Sábado retirei o código e voltou tudo a ser como antes, mas esta minha atitude não podia acontecer sem um texto público onde assumisse o meu “erro”, a minha aprendizagem.
Fica aqui exposto que quem por aqui passar e pretender copias os textos, tem essa liberdade. Se esse seu acto for para o publicar também, sinta-se à vontade para colocar a fonte, ou não. Escrever aqui é algo que requer muito tempo da minha vida, é uma dedicação que me exige organização e empenho, mas é algo que faço com muito prazer. Se a pessoa que utilizar essa informação desejar valorizar essas coisas, muito bem, mas senão…afinal nada me pertence também. A partilha é assim mesmo, damos algo nosso que o outro acaba por receber e a partir desse momento passa a ser dele.
Com esta aprendizagem feita, creio que será mais fácil para mim ver as pessoas a utilizarem expressões que eu uso, como se tivessem sido elas a descobri-las. Talvez eu estivesse a precisar de compreender que dizia uma coisa quando na verdade sentia outra e isso não pode ser, devo tentar ser coerente, estar em harmonia! O que estava por de trás desta incongruência era o valor que temos por criar algo, a obra que fazemos e o tempo que lhe dedicamos, mas afinal não há neste mundo nada que eu possa fazer que outra pessoa já não o tenha feito, não há palavras que eu escreva que outro já não tenha usado, as minhas ideias são me trazidas pelas Sílfides e por isso não me pertencem, assim só me resta partilhar. O meu coração aumentará a sua energia pelo simples facto de dar e o Ego, que precisa de se sentir único, terá de aprender que a forma é diferente, mas o conteúdo será sempre o mesmo.

Num dia de Santa Leocádia, Santa Valéria e de Samael, Regente da Energia de Marte

segunda-feira, dezembro 08, 2008

Nossa Senhora da Conceição - padroeira de Portugal- bom dia para reflectir

Nunca compreendi muito bem porque razão se celebrava a Imaculada Conceição a 8 de Dezembro, até hoje!
Sempre julguei que esta celebração tinha a ver com o facto de ela ter sido mãe sem ser corrompida (um dos dogmas que me fazem afastar da Igreja, mas para agora isso não interessa) e não entendia porque era no mesmo mês em que ela dá à luz, nunca me tinha apercebido que festejávamos neste dia 8 a concepção da Virgem e não de Jesus.
Na verdade 8 de Dezembro é a festa sobre a fecundação de Sant'Ana, é o dia em que Maria desce à Terra para nos dar o Redentor de Todos os Pecados, é o dia em que ela é concebida para, nove meses mais tarde, a 8 de Setembro, dar o seu primeiro sopro neste Mundo Manifestado e com isso poder dar seguimento ao Plano de Deus.
Curiosamente, ou não, neste dia, para muitas das culturas antigas, já se celebrava uma deidade feminina. Para os Maias era o dia de Ixchel, deusa da Lua, do Amor e da gestação, os egípcios festejavam Neith, a deusa criadora de todos os deuses, e os gregos celebravam Astraea, a deusa da Justiça.
Será então mera coincidência este dia ser o dia da celebração da Virgem Maria, mulher que a Igreja construiu para conter em si todas as deidades femininas existentes em todas as culturas antigas? Por que razão passou Maria a conter o papel de todas as mulheres? Sempre me fez, em pequena ainda mais, confusão haver só uma Virgem mas depois ter vários nomes: Nossa Senhora dos Remédios, de Fátima, Conceição, Lourdes... Foi muito tarde na minha vida que compreendi que todos os nomes eram a mesma Entidade, que mudavam de acordo com o lugar da aparição ou com a virtude que representa.

Mas bom, isso são as minhas questões, interrogações...a Igreja fascina-me e ao mesmo tempo repugna-me. Quando penso no início desta Igreja, naquilo que ela pretendia representar, fico empolgada, vendo os valores que ainda hoje, dois mil anos depois, se mantêm. Mas depois penso no jogo de poder, de violência e corrupção moral que ela representa hoje e fico indignada. Mas verdade seja dita, não me é indiferente. Talvez eu seja aquilo a que poderemos chamar uma cristã joanina, preferindo a construção do templo interior seguindo João, do que exterior, seguindo Pedro.
Voltando ao tema... Fiquei deveras admirada com este facto, não sabia que a Igreja dava assim tanta importância a Maria. Compreendo que ela tem um papel importante, mas a mulher sempre foi mal tratada pela Igreja, dai a minha admiração.
Esta data está também associada com a aparição mariana em Lourdes, um dia tenho de lá ir. Esta semana estou a fazer intenções de ir até Fátima...preciso apanhar Ar!

O que me leva às minhas reflexões deste fim-de-semana. No sábado aproveitei o dia todo para arrumar arquivos! Nunca nada funciona tão bem comigo como limpar a casa, (risos) sempre que dou uma faxina geral na casa, dou uma na alma. Pus tudo em ordem e, no fim, banheira cheia, velas laranja e violeta, sal na água e incenso de menta. Uma música no mp3 (ainda Mercury Rev, desde o concerto que não consigo parar de os ouvir), Vinho Mágico (que conclui, lindo, há uma ingenuidade, uma simplicidade nesta história que a torna magnífica!) e um copo de vinho a sério. Não cheguei a grandes conclusões, na verdade também não é importante. Aconteceu o que aconteceu, firmei em mim que não volta a acontecer, que esse tipo de situações não fazem parte da minha vida e assim deverão permanecer.
No entanto, as ilações continuaram a chegar até mim como que por magia. Depois da Salomé ter partilhado o seu estado actual lembrei-me que E. me tinha oferecido um livro com esse título Ser como o Rio que Flui de Paulo Coelho. Este autor exerce sobre mim uma influência bizarra, um dia tenho de o conhecer pessoalmente. O primeiro livro que li dele (risos) Verónica decide morrer e seguiu-lhe Maktub uma oferta, curioso não? A partir dai foi muito mais tarde que Brida veio ter comigo, seguiu-se o Alquimista, O Diário de um Mago, Na margem do rio Piedra eu sentei e chorei, O Monte Cinco, Onze Minutos e muito recentemente as Valquírias. Tenho mais livros de Paulo Coelho em casa, mas ficam a marinar na estante até ao dia em que estiver pronta para aprender aquela lição. O Zahir já me foi oferecido há 3 anos, por um casal que já nem está junto, mas o livro lá permanece no mesmo lugar à espera que eu me encontre no estado certo, como um bom vinho à espera na adega pelo seu momento.
Foi então que decidi abrir o livro e ver se ali havia algo para mim, agora. Ser como o Rio que flui é uma compilação de histórias da vida do escritor, de contos ou histórias d culturas diferentes e de parábolas. Todos eles tentam transmitir um ensinamento. Passo a transcrever o que me surgiu e que melhor do que Paulo Coelho para concluir as minhas crises?!?

A História do Lápis

Um menino olhava para a avó a escrever uma carta. A certa altura, perguntou:
- Estás a escrever uma história que aconteceu connosco? E, por acaso, é uma história sobre mim?
- Estou a escrever sobre ti, é verdade. No entanto, mais importante do que as palavras é o lápis que estou a usar. Gostava que fosses como ele, quando cresceres.
O menino olhou o lápis, intrigado, e não viu nada de especial.
- Mas é igual a todos os lápis que vi na minha vida!
- Tudo depende do modo como tu olhas para as coisas. Há nele cinco qualidades que, se as conseguires manter, farão de ti uma pessoa sempre em paz no mundo.
A primeira qualidade: tu podes fazer grandes coisas, mas nunca te esquecer que existe uma Mão que guia os teus passos. A esta mão nós chamamos Deus, e Ele deve sempre conduzir-te em direcção à Sua vontade.
A segunda qualidade: de vez em quando, é preciso para de escrever e usar o afia-lápis. Isso faz com que o lápis sofra um bocado, mas deixa-o mais afiado. Portanto, aprende a suportar algumas dores, porque elas farão de ti uma pessoa melhor.
A terceira qualidade: o lápis permite sempre que usemos a borracha para apagar aquilo que está errado. Percebe que corrigir uma coisa que fizemos não é necessariamente mau, mas importante para nos mater no caminho da justiça.
A quarta qualidade: o que realmente importa no lápis não é a madeira ou a sua forma exterior, mas o grafite que está dentro. Portanto, presta sempre atenção àquilo que acontece dentro de ti.
Finalmente, a quinta qualidade do lápis: ele deixa sempre uma marca. Desta maneira, compreende que tudo o que tu fizeres na vida vai deixar traços, por isso tenta ser consciente de todas as tuas acções.

Num dia de Nossa Senhora Imaculada Conceição e de Gabriel, Regente da Energia de Lua

domingo, dezembro 07, 2008

Melodia da Semana XXX

Não resisto a permanecer com as vozes femininas, têm um timbre diferente e colocam-me no estado que preciso com mais facilidade. Só há uma voz masculina que tem esse efeito em mim, a voz do doce e enigmático Thom Yorke.
Como entrámos oficialmente na quadra natalícia, decidi colocar uma musiquinha que se adequa. Esta artista ainda não tinha sido escolhida para estar aqui neste Livro, mas tinha de acontecer pois Aimee Mann é um daqueles nomes incontornáveis para mim. Obteve o seu sucesso internacional e reconhecimento mundial quando a sua música serviu de inspiração de um filme de Paul Thomas Anderson, falo do mágico, incontornável, fatídico mas ao mesmo tempo esperançoso Magnólia. Um dos filmes da minha vida!

A música que escolho é You're a Mean One Mr. Grinch, do álbum natalício Another Drifter in the Snow. Esta música foi criada para um desenho animado de Natal onde se contava Como o Sr. Grinch Roubou o Natal. Apesar desta versão ter outras palavras, mantém a essência da história. Como acredito na Magia do Natal, decidi escolher esta música, para tentar lembrar que apesar de todo o Consumismo que se encontra hoje neste acontecimento, ele é muito mais do que isso. Todos temos em nós este Mr. Grinch, por isso vamos tentar não o deixar roubar a Magia do Natal.
A mistura da voz de Aimee Mann e de outra voz masculina a fazer de narrador (como no original que era Boris Karloff) fica tão bonito e fá-lo tão bem que não resisti. Espero que gostem desta história de natal...oiçam-na tem mais piada!

All the windows were dark,
No one knew he was here
All the whos were all dreaming
Sweet dreams without care
You're a mean one, Mr. Grinch.
You really are a heel.
You're as cuddly as a cactus,
You're as charming as an eel.
Mr. Grinch.
You're a bad banana
With a greasy black peel.
You're a monster, Mr. Grinch.
Your heart's an empty hole.
Your brain is full of spiders,
You've got garlic in your soul.
Mr. Grinch.
I wouldn't touch you, with a
Thirty-nine-and-a-half foot pole.
All I need is a reindeer, so he took his dog, Max.
And he took some red thread and he tied a big horn on the top of his head.
Then the Grinch said, "Giddap!"
And the sleigh started down
To the homes where the whos lay a-snooze in their town.
"This is stop number one," the old Grinchy Claus hissed
And he climbed to the roof, empty bags in his fist.
Then he slid down the chimney.
rather tight pinch.
But, if Santa could do it, then so could the Grinch.
Then he slithered and slunk, with a smile most unpleasant
Around the whole room, and he took every present!
Pop guns! And bicycles! Roller skates! Drums! Checkerboards! Tricycles! Popcorn!
And plums!
And he stuffed them in bags.
Then the Grinch, very nimbly, stuffed all the bags, one by one, up the chimney!
You're a foul one, Mr. Grinch.
You're a nasty, wasty skunk.
Your heart is full of unwashed socks
Your soul is full of gunk.
Mr. Grinch.
The three words that best describe you,
Are as follows and I quote:
"Stink. Stank. Stunk."
You nauseate me, Mr. Grinch.
With a nauseaus super-naus.
You're a crooked jerky jockey
And you drive a crooked horse.
Mr. Grinch.
You're a three decker saurkraut and toadstool sandwich
With arsenic sauce


Mas esta semana ainda há mais um assunto. Em resposta ao desafio feito pela amiga Salamandra aqui ficam as respostas. Uma chamada de atenção para o facto destas respostas apenas representarem o Eu do momento. Se o desafio fosse feito daqui a uma semana, um mês ou um ano, provavelmente seriam diferentes. A brincadeira consistia em responder com o nome de uma banda, álbum ou música às perguntas feitas.

As 10 Perguntas:

1 - És homem ou mulher? Peaches

2- Descreve-te. Tree of Life de Clint Mansell Banda Sonora de The Fountain de Darren Aronofsky

3- O que as pessoas pensam de ti? Fool de Cat Power

4- Como descreves o teu último relacionamento? The Story de Norah Jones na Banda Sonora de My Blueberry Nights de Wong Kar Wai

5- Descreve o actual estado da tua relação. Perfect Day de Lou Reed

6- Onde querias estar agora? In Rainbows álbum de Radiohead

7- O que pensas a respeito do amor? Without you I'm Nothing de Placebo

8- Como é a tua vida? Journey de Nitin Sawhney

9- O que pedirias se pudesses ter um desejo? Wake Up de Arcade Fire

10- Escreve uma frase sábia. Nothing Really Ends de dEUS

Pronto ficaram a conhecer mais um pouquinho sobre mim. (risos)

Num dia de Santo Ambrósio, São Sabino e de Miguel, Regente da Energia de Sol

sábado, dezembro 06, 2008

Tiphareth

Já lá vai algum tempo desde o último texto de Cabala, entretanto tivemos espaço para interiorizar as experiências que cada uma destas esferas nos proporcionou. Tivemos tempo para compreender que de Kether recebemos a Liberdade Absoluta, de Chokmah a ajuda Divina e de Binah a Lei necessária para que a nossa Vontade esteja sempre de acordo com o Plano Original. Em seguida a esta interiorização foi-nos concedida a entrada no Paraíso Terrestre de Chesed e aprendemos que, se desobedecermos às regras estipuladas nesse paraíso, Geburah e a sua Justiça entrarão em acção. Nestas duas esferas a lição a retirar é que não é necessário, para conservar a felicidade, esgotar todas as possibilidades.
Com esta consciência nasce Tiphareth, a sexta Sephira.

É a primeira esfera no Caminho do Meio, depois de Kether, e todos os caminhos da árvore da vida vão dar a Tiphareth e Tiphareth vai dar a todas as outras esferas. É neste centro que o Homem toma consciência e integra todas as experiências vividas. Esta sephirot pode ser denominada de equilíbrio perfeito, pois é o que ela representa na verdade. Aqui podemos equilibrar as forças opostas de Chesed e Geburah.

Esta esfera relaciona-se com a mais alta consciência mental que o Homem pode encontrar. O planeta que a representa é Sol e o Deus Apolo. Por essas mesmas razões pode ser associada a Cristo e dá-nos a entender a harmonia existente entre as coisas e o sentido místico do sacrifício e da crucificação.

Normalmente é a esta esfera que me dirijo, em meditação, para me encontrar com o meu Eu Superior. É aqui a morada do meu templo interior. Lembram-se da paisagem que procuramos quando estamos em meditação, depois subimos para outro lado, pois agora, e se quiserem, podem começar a compreender que estão a subir a Tiphareth.

Há já algum tempo que se fala da energia crística, de que todos podemos encontrar em nós a mesma experiência que Jesus viveu ao tornar-se Cristo. Para mim, é nesta esfera que podemos fazer essa união, é em Tiphareth e com as suas qualidades que poderemos integrar a Energia Crística.
Se ele representa o equilíbrio, representa também a harmonia e, por consequência, a Beleza das coisas. A experiência espiritual a retirar nesta esfera é essa mesma, a de encontrar Beleza em tudo, aceitar que todos somos diferentes e que essa diferença não tem conotação positiva ou negativa. Compreender, aceitar e não julgar, é uma tarefa de importância fundamental para essa esfera. Esse tipo de Compreensão está ligado à consciência superior, onde o ser humano se torna puro e se identifica com a realidade maior e transcendente.

A harmonia resulta da analogia dos contrários – Éliphas Lévi

Os anjos associados a esta esfera são Virtudes e o seu Regente é Rafael, o anjo da cura, da energia crística. Fica aqui uma oração.


Glorioso Arcanjo São Rafael, ensinai-nos a viver sobrenaturalmente elevando sem cessar as nossas almas, acima das coisas terrenas.Vinde em nosso socorro no momento das tentações e ajudai-nos a afastar das nossas almas e dos nossos trabalhos todas as influências negativas.Ensinai-nos a viver neste espírito de fé que sabe reconhecer a misericórdia Divina em todas as provações e as utilizar para a salvação das nossas almas. Dai-nos a graça de uma inteira conformidade à vontade Divina, quer ela nos conceda a cura dos nossos males ou recuse o que lhe pedimos. São Rafael, dirigi-nos no caminho da salvação, preservai-nos de todo perigo e conduzi-nos ao Céu.

Assim seja.

Num dia de São Nicolau e de Cassiel, Regente da Energia de Saturno

sexta-feira, dezembro 05, 2008

Ritual para limpeza de Karma

Nas últimas semanas, as conversas com o Viajante tem andado muito em volta do Karma e como amanhã é um dia poderoso, decidi partilhar um ritual que serve para o podermos limpar conscientemente.
Este ritual foi criado por uma bruxinha linda com quem partilhei um ano de rituais. Sei que ela vai ler este texto e por isso, peço perdão aos outros, vou fazer uma pequena homenagem e deixar aqui no meu livro uma mensagem de gratidão e perdão.
Ela foi a minha mestre em meditação. Surgiu na minha vida no momento certo e com ela aprendi a Beleza das meditações e das limpezas Universais (um dia colocarei aqui como podemos limpar o Planeta das energias negativas). Com ela e através dela aprendi o caminho para o meu mundo interior e cresci muito nos seus braços. Um dia levou-me a outro mestre, que me despertou para a Magia. Nesse momento deixámos de ser discípula e mestre para nos tornarmos amigas de Viagem. Não foi fácil esta passagem, pois como em tudo na vida tinhamos formas diferentes de encarar a Magia, eu era obstinada no meu Rigor e ela na sua Tolerância. Por vias do Destino (das nossas próprias escolhas) separámo-nos, fisicamente pois espiritualmente será impossível. Curiosamente, ela regressou e no momento em que eu mais precisava, pois queria muito pedir-lhe autorização para publicar o seu ritual. A sua resposta mostra o ser de luz que se esconde por trás de um nome "Claro que podes pôr o ritual. Nada me pertence." e com esta mensagem ela voltou à minha vida, e agora à vossa também.
Agora o meu perdão público. Nem sempre respeitei a tua forma de ser e por vezes julguei-te. A menina que te acompanhou não conseguiu compreender que afinal eras diferente de mim e que não tínhamos de fazer as coisas de igual forma. Não compreendi que havia uma lição a retirar e que eu me devia ter retirado mais cedo do grupo, pois não comungava das suas crenças e estava a prejudicar todos. Hoje compreendo isso e perdoo-me por ter sido injusta, espero ( e acredito que sim) que me perdoes. Aliás, sinto que já o fizeste há muito tempo, eu é que tinha de desabafar tudo isto!

E desta forma simples, um peso saiu da minha aura, limpei uma parte do meu Karma, ainda por cima num dia de Vénus! Fiquei feliz!
E é para falar de Karma que aqui estou, por isso vamos lá ao ritual.
O ritual deveria ser feito num sábado com a lua em minguante, para diminuir o Karma, mas como este sábado é forte para isso, podemos inverter a intenção e em vez de desejarmos diminuir o Karma desejemos aumentar a nossa compreensão do mesmo, dando-nos força para o eliminar. Apesar dos resultados serem mais eficazes se for feito o ritual fisicamente, este também pode ser feito em meditação.
Precisamos de 9 velas violetas (só de me lembrar a tarefa árdua que foi para as encontrar, dá-me vontade de rir, mas no fim falarei um pouco sobre isso) e 3 flores (uma branca, uma azul e uma rosa).
Em cima do altar dispomos as velas formando um triângulo com o vértice para Oriente, nesse vértice coloca-se a flor branca, no do Sul a flor rosa e no do Norte a flor azul.
Saudar o Oriente e dizer:

- Rafael, Senhor do Ar e da Porta do Oriente; Miguel, Senhor do Fogo e da Porta do Sul; Gabriel, Senhor da Água e da Porta do Ocidente e Uriel, Senhor da Terra e da Porta do Norte, fazei descer sobre estas velas violeta todo o meu Karma acumulado nesta e noutras vidas.

Colocar as mãos sobre as velas e, mentalmente, enviar toda a energia de Karma.
Colocar a mão esquerda em cada Chakra e mentalmente enviar a energia de Karma acumulada em cada um deles, começando pelo chakra raiz.
Com a vara (ou os dedos) desenhar sobre as velas um pentagrama de desprogramação (de acordo com a imagem do texto sobre a Água Benta) e de seguida saudar o Oriente com as mãos cruzadas sobre o peito.
Acender as velas e dizer:

- Grande Pai, que a energia do Fogo purifique todo o Karma, por mim acumulado, em toda a minha existência e agora encerrado nestas velas violeta.
Que a Força do Amor me liberte de todas as relações kármicas e de todos os acontecimentos movidos pelo Karma criado pelas minhas acções passadas.
Que com este ritual eu me livre de todas as doenças físicas ou males provocados por questões kármicas.
Todo o Karma, de todos os tempos, eu queimo agora.

Fazer uma pequena meditação sobre o tema, se houver mais pessoas devem ser colocadas em forma triangular. No final, devemos visualizar um triângulo de luz branca a envolver-nos e a proteger-nos.
Com os dois dedos, médio e indicador, desenhar um pentagrama de desprogramação sobre si próprio, de luz dourada, iniciando na testa e abrangendo toda a zona do peito e até ao plexo solar (zona onde fazemos o sinal da cruz).
Colocar-se de joelhos, com a mão sobre o peito, virado para Oriente, dizer:

- Que a Luz desta estrela me guie e conduza no Bom Caminho, desviando-me de todas as acções e pensamentos que me mantiveram preso à Roda do Karma.
Que esta estrela brilhe casa vez que precisar de luz no meu caminho.
Que a partir de hoje e para sempre eu seja apenas movido pela força do Amor.
Que assim seja.

O ritual fica terminado, a seguir deveremos em casa procurar todas as coisas que temos e que não usamos, todas as recordações físicas de pessoas que já não fazem parte da nossa vida, toda a energia estagnada que ali persista. Depois de as observar deveremos conscientemente livrar-nos delas. A magia precisa sempre que haja um apoio no mundo físico, não basta pedir para acontecer, devemos criar as condições necessárias para que isso aconteça.
O novo ano está à porta e é uma boa altura para renovar as energias. Lembrem-se que as recordações estão no coração, não precisamos de coisas físicas para nos lembrarmos de quem amamos ou dos momentos de felicidade e muito menos das coisas más.
Eu, quando fiz esta parte do ritual, julgava que não tinha nada para deitar fora, pois periodicamente faço estas limpezas, mas fui surpreendida por umas fotos que nem sabia que existiam, a minha reacção foi engraçada. "Fotos, não vou rasgar fotos ou deitá-las para o lixo!" Mas fiz e acreditem que estava a precisar disso para virar o capítulo do meu livro.
No início do ritual falei sobre a dificuldade que vivi em arranjar o material e no caminho para a casa onde íamos fazer o ritual quase tivemos um acidente de carro. Isto é apenas um alerta de que quando se decidirem a fazer este ritual poderão encontrar dificuldades, testes à vossa resistência para saber se o desejam mesmo fazer. Persistam pois vale bem a pena.

Num dia de São Geraldo, São Martinho de Dume de Anael, Regente da Energia de Vénus
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...