segunda-feira, fevereiro 16, 2009

Escolhas

Bom meus amigos, hoje vou fazer uma partilha sobre mim, não que as outras não o sejam também, mas esta tem mesmo mais a ver comigo, o meu Interior.
Fugi este fim-de-semana e foi o melhor que fiz, fugi da rotina, do conforto do lar, das distracções, das seguranças e fui ter com os meus problemas, com o meu Interior. Quando cheguei a casa e tirei a carta da semana, fez-se mais luz, é um momento de escolher, escolher quem quero ser.
Tenho andado demasiado envolvida com aspectos menos positivos, tenho esperado que algo aconteça, que algumas pessoas ajam, que outras não ajam, que o Universo me dê um sinal. Tenho estudado muito, procurado ainda mais e no meio de tudo isto esqueci-me do essencial, a Paz, a Calma, a Confiança - o básico, o simples. Tive de me confrontar com este aspecto, esta característica minha que sempre tive, a paixão tolda-me a percepção, envolvo-me demais com a espiritualidade, esqueço-me de manter os pés na Terra, esqueço-me de que a regra é básica, viver a Vida simplesmente!

Creio que quem está ao pé de mim já se cansou de me chamar à Terra, que já espera que seja eu sozinha a compreender que não estou a viver e ele tem razão. Quando as pessoas nos avisam é para a nosso bem, mas não podemos esperar que elas lá estejam sempre a desempenhar esse papel. Para mim era bastante confortável, deixava-me ir e quando era de mais, lá estava o neon do namorado a dizer: "Hello, põe os pés na Terra! Estamos aqui e não lá em cima nesse mundo de fantasia" (risos, é mesmo assim, acreditem!).
Viver os problemas da sociedade foi mais uma coisa que me fez andar à deriva. Não posso, nem quero mudar o mundo, as notícias já há muito tempo que não as oiço, mas infelizmente na minha profissional tive de ver o que se passava. Porém, chegou o momento de escolher e eu não quero viver os problemas criados pelos outros, problemas para os quais eu não tenho a solução, quero sim viver a minha vida, ajudar os meus amigos e todas as pessoas reais que se cruzarem na minha vida. Isto não quer dizer que não seja solidária e envie as minhas preces para quem mais necessita, que não fique triste pela forma como estamos a caminhar. Todavia, nos meus rituais começo por pedir que a luz que se vai gerar se expanda pelo Universo em particular pelos lugares onde houver obscuridade. E é só isso que eu posso fazer, enviar energia e esperar que tudo corra bem. Mas o mais importante é realizar a minha vida, se todos fizéssemos isso, a Luz aumentaria mas rápido, sem dúvida.

Posto isto, eis a minha escolha – fazer um caminho mais simples. Dedicar-me a quem está próximo e de mim necessitar, dedicar-me à minha vida. Ouvir o meu coração que me pede para fazer umas coisas, ir em busca de uma paixão – a fotografia! Tenho muitas paixões, a dança (fica cá por casa e pelas saídas), a mitologia (já sabem dessa), a música (tocar flauta, tambores, fazer barulho, muito!) e a fotografia. Esta vai começar a ser experimentada com mais rigor. Aguardem algumas partilhas sobre o tema, vou-me dedicar a encontrar a Beleza e prometo partilhá-la convosco.

Num dia de São Porfírio, Honesto e de Gabriel, Regente da Energia da Lua

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...