segunda-feira, dezembro 28, 2009

2010 o Ano da Roda da Fortuna

Meus doces amigos,

estarei ausente até dia 3 ou 4, todavia, deixo-vos com uma reflexão sobre o que este Novo Ano nos poderá trazer.

2010 é o ano da Roda da Fortuna, energia dez. Depois de termos tido um ano com o eremita, onde a reflexão, ponderação e introspecção predominaram, é tempo de nos viramos para o exterior e conectar com ele.

Este ano é um ano de novas oportunidades. Parecerá que as coisas irão acontecer de mãos beijadas. Muita prosperidade e actividade, amor e alegria, saúde e paz. Porém, não será assim tão fácil, pois a Roda não pára e tudo tem o seu reverso!

É preciso estarmos constantemente em contacto e alerta para podermos ver as oportunidades que surgem ou elas passarão e teremos de esperar que a Roda gire outra vez para as agarrar ou pagaremos uma factura alta.
Este ano, mais do que nunca, o Destino vai actuar e se temos andado "desviados" do Caminho este será o ano em que tudo acontecerá para nos recolocar no trilho certo!

Vamos redefinir as nossas prioridades e começar o ano em grande, cheios de boas energias e grandes planos para o futuro! Este ano é regido por Vénus, saiba mais aqui!

Desejo a todos um ano Mágico, que os Mestres nos Acompanhem e guiem para que o nosso Destino seja cumprido!

Beijos mágicos

Shin Tau

domingo, dezembro 27, 2009

A Justiça trouxe o Karma

Na semana das festas, foi isto que o Tarot nos ofereceu! Alegria andou a patinar rkrkrkrrk

Para a última semana do ano saiu a carta O Diabo! Será um encontro muito interessante! as vamos lá ao Alegria e à sua partilha!

Alegria seguia o seu caminho, com aquela nova segurança de quem sabe que será sempre ajudado, o seu coração celebrava! No alto de um pequeno monte viu uma mulher. Era bela com um ar egípcio como nunca tinha visto!

«Eu sou a base da tua experiência. Os quadrados negros trazem-te julgamentos, os brancos realizações: pisa ambos ao de leve. Eu sou a pedra preciosa escondida dos teus esforços máximos!»
E magicamente um trilho de azulejos brancos e pretos aparece na sua frente. Alegria, hesitante, questiona-se qual dos dois deverá pisar primeiro! Levanta o pé determinado, mas no mesmo instante o volta a colocar no lugar de partida. Pensa e decide optar pelo outro. Tenta e mais uma vez hesita e volta onde estava.

Triste e vencido, senta-se no chão e as lágrimas começam a rolar pela sua face. Ele sabia que era demasiado hesitante nas suas escolhas e mais uma vez havia provado que não sabia decidir! E desesperadamente chora!

No fundo do seu ouvido interno uma melodia começa a soar. Aquela melodia hipnótica lembra-o que só ele tem o poder de decidir a sua vida, que as escolhas devem ser feitas. Mas a verdade é que ele se sente incapaz de o fazer e, assim, desisti.

O trilho começa a desaparecer e azulejo por azulejo se desfaz na sua frente.

«Meigo e verdadeiro de coração, eu Sou a visão que te saúda ao crepúsculo, no limiar do sonho. Todos os que desejam servir têm de beber do meu cálice!»

A mulher do alto do monte desce e olha para Alegria, uma verdadeira criança desamparada.

«És integro, isso revejo em ti! Apesar de teres falhado em aceitar a oferta, o meu cálice está aqui, para que bebas e aprendas a verdade do te coração. Esta é a tua prova, conhece-te, prepara-te pois tê-la-ás de passar!»
Na segunda hora de Júpiter do dia de Sol, S. João Evangelista

quarta-feira, dezembro 23, 2009

Boas Festas

O Grimoire vai estar encerrado durante estes dias, tempo para estar com a família e em sossego! Ficam aqui os desejos de umas santas festas no seio de todos os que amam!

Deste lado, em homenagem à chegada do Inverno, são lançados pós mágicos pela Rainha do Inverno ;)
Try JibJab Sendables® eCards today!

terça-feira, dezembro 22, 2009

Mensagem do dia

Queridos amigos, hoje não consegui resistir e tenho de deixar um post com a mensagem da carta do dia.


Depois de termos celebrado a noite passada e redefinido as nossas prioridades, escolhendo novos trilhos, hoje sai o 2 de Discos, que a carta do tarot de Klimt demonstra muito bem, "Qual das crianças vamos saciar primeiro?"

Hoje é um dia importante, de escolhas reais, não as devemos evitar ou elas mais uma vez serão congeladas no tempo. E quem sabe quando voltaremos a ter essa oportunidade. É bom que tenhamos os olhos bem abertos hoje para ver o que é melhor para nós!

Vamos lá!! A todos um belo dia!

Na primeira hora de Marte do dia de Marte, S. Honorato, S. Flamiano, S. Filadelfo

segunda-feira, dezembro 21, 2009

Noite de Solstício, Noite de Festança

E hoje às 17 horas e 47 minutos (hora local) o Deus Invictus regressa até nós!
Estão prontos para realizar as vossas celebrações? É que hoje é mais um ciclo que termina, mais uma oportunidade para redefinir as nossas prioridades e que melhor lugar para o fazer senão num círculo mágico?!?

Hoje o Universo está a dar-nos uma energia ideal para nos recolhermos um pouquinho e sentir o nosso coração, o nosso Eu Interior. Se não são dados a rituais, podem sempre optar por realizar uma meditação indo ao encontro do vosso Eu e avaliando o caminho até aqui trilhado.

Ou a simplesmente fazer um jantar mais elaborado com muitas velas acesas para mostrar que hoje é a noite mais longa do ano, mas que a partir de agora a Luz triunfará e os dias tornar-se-ão maiores.

Se quiserem fazer o ritual, podem sempre vir aqui e usar o que está publicado no livro de José Medeiros.

A todos um dia e noite muito especial, que o Deus renasça dentro de cada um!!!

Na primeira hora de Marte do dia de Lua, S. Tomé, S. Pedro Canísio

domingo, dezembro 20, 2009

O Equilíbrio é preciso

Nesta semana em que O Inverno chega, trazendo com ele a esperança da Vitória da Luz, temos para nos ajudar a ultrapassar as dificuldades a Justiça, energia número 8. Não sei se nos fará muito bem, principalmente depois de tudo o que temos passado, enfrentar agora a nossa Justiça Interior, mas é como é!
Para esta semana podemos esperar dias de necessidade de equilíbrio, pois o nosso Karma vai ser acesso pelas acções que temos tomado. É altura de enfrentar a espada da Justiça e avançar com a consciência tranquila.

Fiquemos com o oráculo do Tarot Arturiano:
Eu ofereço a taça da verdade para os verdadeiros de coração. Eu sou o bem permanente da justiça cujas nascentes nutrem a terra. Ninguém pode pronunciar-se e desfrutar do seu reinado sem beber a minha bebida. Ela é amarga, mas impregna o bebedor com a chama da integridade.
Para esta semana a música é simples, um clássico em Português! Fiquem com Rosa de Rodrigo Leão, Enjoy! Melancólica mas linda!

A Todos uma excelente semana de avaliações ;)

sábado, dezembro 19, 2009

Como aprender com a Morte a escolher com o Coração

Não há de facto nada neste Cosmo que funcione por mero acaso, mais uma vez tudo se encaixa para nos ajudar a melhor compreender as nossas questões pessoais.
Reparem na reflexão conjunta das duas semanas anteriores e digam-me se acreditam mesmo que eu não fiz a da Morte apenas por falta de tempo (e alguma vontade).


Alegria estava perante uma imagem pouco acolhedora, na sua frente estava um esqueleto preto com uma foice na mão que parecia varrer as margens do vale por onde passava, limpando todas as impurezas que nelas se encontravam. Sentia-se encurralado, estava numa esquina mas compreendia que jamais poderia voltar para trás.

A Morte ao dar conta da presença de alguém, olhou para trás e enfrentou Alegria. Este rapidamente pensou que fosse quem fosse aquele ser o poderia de certeza ajudar e com essa bravura inspirou e deu um passo em frente.

Assim que o seu pé direito ficou seguro no chão, Alegria teve um flash e lembrou-se das palavras da Sacerdotisa. Compreendeu que mesmo aquela figura na sua frente estava repleta da mesma energia que o resto, Amor. Também ela vinha do grande caldeirão da Mãe, também ela servia um propósito neste grande Plano que é o Uno, também ela tina a mesma origem - a Fonte.

De tal forma foi a sua certeza que nesse mesmo segundo a Morte desapareceu e se transmuta em Pajem com o Bastão na mão e lhe diz:

«Eu sigo a corrida do cervo com pés ligeiros. Eu sou a liberdade da floresta, o que abre o seu caminho. Alarga o teu grilhão e voa livre!»

Era o momento de largar mais uma vez tudo o que o prendia, Alegria compreendeu isso. Mas como poderia ele saber de coração aquilo que deveria ser liberto? Teria de parar e analisar todo o seu percurso para ouvir o que o coração lhe dizia ou seguiria em frente confiando que no preciso momento tudo lhe seria colocado à frente?

Enquanto pensava nestas questões, observa o Pajem a largar o Bastão e a segurar o Disco de protecção:

«Eu agarro a cabeça do sacrifício e digo as palavras dos ancestrais. Contempla, o sangue na espada é o sinal para que ajas. Não vagueis sem rumo sobre a terra, mas pergunta por que e como andas.»

E então compreendeu que jamais se deve parar para pensar, sentar-se no caminho e reflectir era já um luxo que não poderia ter. Com todo este conhecimento de si próprio era altura de Alegria compreender que é preciso continuar a avançar com fé e olhos abertos, sabendo que os sinais surgirão sempre que precisar deles para escolher. Não precisa parar.

Alegria sentia que agora nada o poderia parar e dentro de si uma Força crescia de forma incrível. Como poderia nunca ter compreendido que tantas reflexões o tinham deixado demasiado tempo em determinados lugares que não valiam a pena.

E com este pensamento na sua frente surge um Cavaleiro que lhe diz:

«Eu sigo a visão do Graal, onde quer que me leve, porque eu estou destinado a encontrá-lo e a manejá-lo. Chamam-me de “Louco” e “Sonhador”, mas eu nasci para esta missão e em seu serviço morrerei.»

De facto não vali a pena pensar que teria sido em vão parar em determinados lugares
pois fora dessa forma que chegara onde estava hoje. Novamente Alegria se sente ridículo por ter pensado em tal barbaridade e deixado de lado algo em que sempre acreditou. Esta dualidade sempre existira dentro de si, uma necessidade de reavaliar constantemente as suas crenças. Sempre que aprendia algo novo por experiência fazia com que essa aprendizagem entrasse em harmonia com as anteriores e caso isso não acontecesse, tudo seria colocado em causa.

Caminhou e entretanto dá consigo perante uma festa enorme. Observou cuidadosamente e compreende que estava a assistir a um casamento, um ritual de união. Quanta alegria e amor havia naquele novo casal que se unira. Alegria felicitou-os de coração e afastou-se para continuar o seu caminho, mas algo que ficara a matutar o pensamento.

Quantas vezes fizera escolhas na sua vida pela segurança que elas lhe ofereciam? Quantas vezes arriscou tudo e seguiu os desejos do seu coração? Sempre que uma escolha se havia colocado à sua frente, Alegria escolhera pelo seguro ou não escolhera de todo, deixando que o tempo levasse as oportunidades.

Sentiu-se triste, apesar de não estar magoado, sentia que havia errado vezes de mais, mas o pior era não ter a certeza se na próxima oportunidade iria escolher de forma diferente. No seu corpo ecoaram as palavras:

«Eu agarro a cabeça do sacrifício e digo as palavras dos ancestrais. Contempla, o sangue na espada é o sinal para que ajas. Não vagueis sem rumo sobre a terra, mas pergunta por que e como andas.»

Por que andava ele? Como andava ele? Seria isso que deveria usar para fazer as suas
escolhas? As pernas começaram a vacilar e Alegria sentiu-se muito inseguro. De repente tem uma visão. Uma imagem linda de uma Santa, era santa Fausta que emanou uma energia tão doce e lhe sussurrou:

«Eu retiro fogo do mais profundo dos rochedos. Eu sou a luz que dança, a lança que canta. O lugar dentro de ti que mais ferido estiver, é o lugar de onde vem o teu maior poder.»

Então seria isso, era essa a sua resposta. Aquilo que mais lhe custasse seria o que deveria fazer. Alegria seguiu em frente, mesmo sem ter a certeza de que aquela seria a resposta. Iria caminhar até ao Graal olhando para a espada sempre que tivesse dúvidas. Se ela sangrasse deveria seguir, senão deveria mudar de rumo.
Que mais lhe estaria reservado? Numa semana em que as festas se iniciam, Alegria estará sozinho ou reencontrará a Sacerdotisa?

Na segunda hora de Sol do dia de Saturno e de Santa Fausta

quinta-feira, dezembro 17, 2009

É assim que me sinto

Ai meus doces amigos,
não tenho tido muita disponibilidade para escrever, aliado a isso a falta de vontade ajudou a que quase uma semana este espaço estivesse em stand-by! Agora que a cabeça está um pouco mais descansada e irei ter mais tempo para mim, aliás todo o tempo para mim, voltarei com a actividade regular. Pois já tenho saudades e prometo ir visitar-vos todos!

Irei publicar a reflexão de A Morte em breve. Esta semana já repararam que temos Os Amantes, energia 6, para nos ensinar a ouvir os desejos do coração.

Fiquem então com esta foto de Elena Kalis que representa na perfeição o que tenho vivido...ora sou o Coelhinho responsável e preocupado com as resonsabilidades ora sou a Alice a querer brincar! E vós, este fim de ano está a deixar-vos assim também?

Na primeira hora de Vénus do dia de Júpiter, S. Bartolomeu, S. Geminiano, S. Olímpia, S. Gregório, S. Bega

quarta-feira, dezembro 09, 2009

Vulcano e a Morte

Na sequência do que temos conversado, hoje venho partilha um pouquinho de astrologia esotérica.
A semana passada aprendi que Vulcano se associa ao 1.º Raio, isto é, o Raio do Poder e Vontade, e que é o regente espiritual de Touro, que por sua vez pertence ao 4.º Raio, Arte e Harmonia através do conflito.

Esta semana o amigo Marcelo lembrou-me que a Morte tem a ver com o eixo Touro/Escorpião. Pois está claro, então como me havia esquecido que a Morte é o Arquétipo de Escorpião?!? DAHHH

E assim se faz luz do porquê a Morte ter surgido depois do Juízo Final. Passo a explicar para compreenderem o meu entusiasmo!

Se Vulcano nos levou para Touro, a Morte leva-nos para Escorpião e daí que este ciclo nos esteja a chamar para esse eixo! O que posso eu partilhar sobre isso?!? Pouco, mas vamos lá na melhor das intenções e depois, de certo, que os amigos acrescentarão mais coisas interessantes.

Este eixo faz-me imediatamente pensar na construção e destruição. O empenho de Touro no ter e reter e a vontade do Escorpião em eliminar e destruir. Faz-me pensar na dualidade do físico e do espiritual, na terra e na água, os elementos mais densos.

Ora, mas em termos práticos como podemos usar este eixo em nós. Infelizmente há sempre adversidades a passar, parece que o Ser Humano só aprende através da Dor. Por isso, quando estivermos perante uma adversidade qualquer, algo que nos custe emocionalmente, devemos usar a tenacidade do Touro para batalhar, direccionar essa característica para algo mais positivo e a ela adicionar a faceta destruitiva de Escorpião, entrando na batalha interior até sair de lá completamente renovados!

Se aliarmos estes dois "defeitos" perante algo que queremos mudar, nada nos parará! Depois é inverter as polaridades dentro de nós e deixar que o Escorpião mate a dor e o Touro retenha o prazer.

Assim, tão facilmente, deveremos fazer com este ciclo de Juízo Final/Morte, lembrando que quando a batalha terminar devemos lutar para agarrar os bons sentimentos outra vez! Assim, tão facilmente! ;)

Diz alguém que tem Vulcano na casa 5 no eixo Touro/Escorpião O_o

Na primeira hora de Sol do dia de Mercúrio, S. Leocádia, S. Valéria

terça-feira, dezembro 08, 2009

Nossa Senhora da Conceição

Hoje, num dia poderoso para nós, relembro o que há um ano atrás escrevia! Grandes mudanças! Se quiserem podem ler acedendo aqui! Para os Portugueses um Bom Feriado!



Na primeira hora de Vénus do dia de Marte e da Nossa Senhora da Conceição

segunda-feira, dezembro 07, 2009

Abrir mão do que temos (Actualizado)

A propósito do comentário da IdoMind sobre as mudanças, onde nos disse que não gostava de perder nada, achei que era importante para todos, incluindo eu, relembrar uma lição espiritual.
Seria importante abrirmos a nossa mente para o facto de que nada nos pertence. Possuir algo é retirar-lhe a sua liberdade de ser e pertencer a quem precisar. Tudo na vida é circular, logo, como podem os nossos pertences ficar apenas nas nossas mãos?

Aquilo que hoje temos e possuímos na nossa casa, dá-nos com certeza muito prazer, mas será que precisamos disso tudo para sermos felizes? Não, claro que não. No mundo da prosperidade, cujo acesso é de todos, a prosperidade significa termos aquilo que nos é necessário para crescer saudavelmente, para fazer uma vida sossegada!

Ter uma televisão em cada divisão da casa, um carro para cada elemento da família, uma casa com mais divisões do que o necessário, não é de facto prosperidade. Prosperidade é ter o essencial, mas dirão «O essencial muda de caso para caso!» Talvez, mas se formos analisar as pessoas têm mais do que necessitam na verdade. A ganância, a competição levou-nos a um estado de vida que nos torna consumidores compulsivos e quanto mais temos mais queremos ter.

Mas esta conversa vinha a propósito das mudanças. Custa largar aquilo que temos. Claro, apenas porque temos medo e no fundo dos fundos da nossa alma não acreditamos que vamos conseguir mais. Largar é libertar e quando um acot desses é realizado, com certeza é com Amor. Logo, Amor gera Amor e algo melhor virá!

Quantas vezes teremos de perder tudo para compreender que não temos nada, que tudo na vida é passageiro? Abrir mão do que temos é dar oportunidade para que coisas novas entrem na nossa vida. O espaço livre é importante! Se temos as janelas de casa fechadas como pode o ar novo entrar? Se fechamos as portas do nosso coração como pode o Amor entrar em nós? Se nos regemos por formas-pensamento negativas, claro nunca vamos conseguir acreditar, mas acreditar com o coração, não com a mente, de que quando algo se vai, algo melhor vai aparecer.

Na primeira hora de Júpiter do dia de Lua, S. Ambrósio, S. Sabino
Depois de ter colocado o post e de todos os apontamentos feitos, ficam aqui três sugestões que complementam a ideia expressa neste post.
Um pequeno ritual para a Morte no Via Tarot .
E dois textos inpiradores para aceitarmos as mudanças, um no Difusão da Alma e outro no Jardim. Vale a pena ler!!!

domingo, dezembro 06, 2009

Dancemos com a Morte para regressar à Fonte

Ora, ora, depois de termos sofrido uma ressureição, eis que chega a energia da mudança, da transformação - A Morte!
Quando a carta saiu pareceu-me vir num seguimento lógico, certo? Depois de tantos questionamentos e uma sensação de renascimento, vem a confirmação de que é preciso agora operar algumas mudanças na nossa vida para que a nova pessoa que aqui está se possa movimentar de forma mais livre!

Todavia, pus-me a pensar e questionei-me sobre o sentido da Morte depois do Juízo Final. Talvez não seja uma morte interior, uma vez que essa já foi realizada, talvez sejam apenas pequenas mortes na nossa vida.

Seja como for, preparem-se para uma semana com muitas mudanças (uma mudança de residência, de look, de parceiro..)! Talvez seja o momento certo para pôr um ponto final naquela situação que tanto o incomoda, dar o grito do ipiranga no local de trabalho ou em casa...

Para esta semana escolho mais uma música de uma banda sonora, de um excelente filme, "The Fountain" de Darren Aronofsky. A música é do excelente Clint Mansell, fiquem com "Death is the Road to Awe".

A todos uma excelente semana!!!

Na primeira hora de Marte do dia de Sol, S. Nicolau

sábado, dezembro 05, 2009

O Juízo Final trouxe a Renovação

Esta semana tivemos direito a uma quantidade de experiências novas, foi uma panóplia grande de emoções e revelações. Houve muito questionamento, o que provocou uma montanha russa de sensações.

Vamos ver o que nos diz a história do Tarot e de Alegria.

Depois de ter abandonado a Sacerdotisa e de ter compreendido que há muito andava a recusar ouvir os seus desejos mais íntimos, Alegria começou a ficar desiludido consigo próprio. Afinal porque se reservava ele esse direito, o direito de experienciar novas emoções. Estaria tão determinado a seguir um caminho recto que se esquecera que é importante aproveitar as curvas, os solavancos ou os buracos do caminho?

Na sua frente surge a ajuda que precisava. O Rei de Bastões, uma pessoa querida, calorosa e pró-activa.
«Se queres atingir o alvo, que seja com as mais afiadas das espadas! Para trazer a cura é preciso coragem e uma mão firme. Retira o veneno com a chama da cura.»
Dito isto desapareceu.

De facto para seguir um caminho como esse é preciso muita coragem, mas antes de mais assumir que são esses os meus desejos. Purifico-me de todas as vontades mundanas e confio que apenas seguirei as Paixões que me fizerem evoluir. Liberto os meus quereres!

O seu coração encheu-se de felicidade e o seu corpo entrou em celebração. E foi nessa sensação de prestar reconhecimento e alegria a alguém que se lembrou de onde conhecia a Sacerdotisa. Era ela que guiava os rituais que ele presenciara, como não se havia lembrado disso antes.

«Eu sou a mãe do amor que derrama o seu copo para o bem de todos. O meu carregamento é ilimitado como o mar. Abre o coração de boa vontade e recebe.» Estas foram as palavras que a Rainha de Copas pronunciou na sua aparição. Alegria sorriu e pensou:

«És a Mãe que venerámos naqueles rituais. Eu te agradeço pela tua fonte inesgotável de Amor. Contigo e por ti aprenderei o que é o Amor. Em ti aprenderei a reconhecer os desejos do meu coração. Grato, eternamente grato!»

A Confiança e Segurança voltaram a invadir a alma de Alegria, que seguia completamente entregue aos seus pés e caminho. Sabia que agora havia aberto uma porta nas hipóteses de aprendizagens que lhe poderiam surgir. O Infinito era uma certeza agora. A renovação da sua alma e das suas certezas havia sido iniciada!

E no fim desse percurso Alegria compreendeu que um novo ciclo se iniciava, estava agora pronto para começar a receber no sue trilho os karmas anteriores. A Sacerdotisa havia sido o início desse novo trilho. O que surgiria agora?

Foi um percurso algo interessante. Alegria teve dois encontros que lhe deram palavras sábias. E essas palavras que nos disseram a nós?

Na primeira hora de Júpiter do dia de Saturno, S. Geraldo, S. Martinho de Dume, S. Sabeu

quinta-feira, dezembro 03, 2009

As curvas no Caminho

Com o tempo assim frio, com alguma melancolia que a estação traz, reavivo a memória e busco as recordações quentes e iluminadas. Busco a força dentro de mim, inspiro várias vezes e saio de casa pronta para o Combate.

A Liberdade, a Partilha, a Alegria e o Amor são reacendidos em mim e em vós?

Parabéns Mestre!!!


Na primeira hora de Sol do dia de Júpiter, S. Francisco de Xavier, S. Lúcio, S. Galgano

terça-feira, dezembro 01, 2009

Hefesto ou Vulcano

A propósito da carta da semana, surgiu na minha lembrança uma história mitológica que quero partilhar.

Hefesto é filho de Zeus e Hera, a história muda de acordo com as fontes, mas em todas elas uma coisa é comum. Hefesto foi expulso do Olimpo e na queda que durou um dia e uma noite ficou deformado, ora fisica ora emocionalmente.

Assim é connosco. Em cada queda que temos na vida uma cicatriz é adicionada ora ao nosso corpo físico ora ao nosso corpo emocional. Todavia, como este deus deveremos ser capazes de forjar essas marcas feias e torná-las belas.

Hefesto é o deus da forja, do metal. O metal é um material feio, frio, disforme que só através do fogo pode ser moldado. Hefesto conseguiu moldar o metal e transformá-lo nas peças mais belas que os deuses já tinham visto e assim conseguiu reconquistá-los.

Com este deus e a sua história poderemos aprender a lidar com os nossos aspectos mais feios, aprender a transformar o nosso lado bruto em algo mais delicado e perfeito. Conseguindo assim o perdão dos deuses e de nós próprios.

Lembrei-me desta história pois a carta da semana tem muito a ver com o perdão. Aprendermos a perdoar-nos pelos nossos lados menos belos, que todos temos, é uma das lições mais importantes da vida. Sem perdão não há evolução. Só depois de nos perdoarmos poderemos transmutar o que queremos!

Na primeira hora de Vénus do dia de Marte, S. Eloi, S. Ansano
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...