domingo, abril 25, 2010

A Estrela Perseverante

Em termos de Tarot esta semana foi tão repetitiva. Serão efeitos de Mercúrio retrógrado? Obrigando-nos a voltar atrás e rever o que fizemos, alterar erros e aprender lições? Não sei honestamente o que foi mas o 9 de Bastões foi sem dúvida o tema desta semana com a Estrela.

Vamos ver o que Alegria nos ensina sobre isto:
As preparações para a festa de Touro decorreram de forma harmoniosa. A população não se opôs à Vontade do Líder Espiritual que havia chegado até eles. Ordeiramente realizaram as tarefas como alegria lhes propôs.

Assim, o surpreendido foi ele. Ao constatar que afinal todos seguiam as suas directrizes foi obrigado a mergulhar dentro de si e compreender o que o estava a guiar. Aquilo que desejara estava concluído e agora qual o passo que deveria dar a seguir.

Alegria sempre fora um peregrino que agira por desafios, por etapas e oposições. Agora que estava num lugar onde tudo era fluído, não podia deixar de sentir uma ligeira insatisfação. Enquanto a azáfama dos preparativos para Beltane continuava, Alegria afastou-se e foi até uma colina que ficava nem a 100 passos dali.

Sentou-se em posição de lótus, fechou os olhos e esperou que a sua mente se acalmasse. Inspirou e expirou até que os seus pensamentos ficassem todos uniformes, uma mescla de tom vermelho.

Na sua mente uma imagem surgiu, muito calmamente, como se estivesse a sair de um nevoeiro. Era uma mulher, linda, brilhante. Cabelos loiros, enormes, ondulados que lembravam as próprias ondas do mar em formação. Trazia nas mãos duas ânforas, uma em cada. Na testa brilhava uma estrela de nove pontas.

«Procuras mais uma vez conselhos sobre que passo dar a seguir. E eu venho lembrar-te que a partilha da tua água é aquilo que deves sempre almejar. A estrela que te guia dirige-te para a Grande Fonte Eterna.»

«Não compreendo porque consegui o que desejava de forma tão fácil. Receio que me estejam a enganar e que, desejoso de alcançar o objectivo, falhe em vê-lo.»

«A eterna suspeição, a eterna desconfiança dos outros. Porque te haveriam de querer enganar? Achas que brincam com as suas próprias vidas?»

«Não consegui deixar de pensar nisso.»

«O teu receio é outro! Quererás descobri-lo ou desejas apenas que te dê a resposta?»

«Bem sei. Receio não estar à altura de viver este sonho. Habituei-me de tal forma a viver em desafios e a ter constantes obstáculos a superar que agora não sei viver de outra forma. Quando tudo fica tranquilo, eu desconfio. Quando os outros me ajudam, eu desconfio. Quando os outros se opõem, eu transformo-me no meu melhor e dou a volta.»

«Ora aí está! Egriala, aquilo que te faz perseverar não é a necessidade de desafio, mas sim a necessidade de ser útil. Estar em paz e harmonia para ti é uma ilusão, às vezes até uma mentira. Não estará na altura de encontrar paz em ti?»

As palavras foram tão cortantes que Alegria não conseguiu continuar a meditação. Inspirou profundamente e a imagem desvaneceu-se. Abriu os olhos e uma lágrima rolou pela face.
Seria isto verdade? Seria ele merecedor de viver em Paz?

Ergueu-se, ajeitou as roupas, secou a lágrima com o indicador e iniciou a descida até ao vale. Uma pergunta estava agora na sua cabeça: «Seria capaz de perseverar na paz e harmonia?»

A semana com a Estrela foi óptima para mim. Senti que tudo se colocou no sítio certo, na hora certa e no lugar certo. Houve muita harmonia. Todavia, a reflexão de Alegria levou-nos para uma questão central «O que nos faz perseverar?» Será que como ele ainda precisamos de desafios, obstáculos para que a nossa Força se manifeste?

Na primeira hora de Lua do dia de Sol, S. Marcos, S. Aniano
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...