domingo, julho 04, 2010

O Imperador fala-nos das relações

Isis adormecera enquanto Alegria conduzia a carruagem para um lugar seguro, onde os dois pudessem dormir para retomar o caminho.
A ex-Sacerdotisa sabia que as noites a seguir a uma lua cheia seria recheadas de sonhos e desta vez não foi diferente do esperado. Encontrava-se no seu Jardim de Primavera, o lugar secreto que ela tinha para se encontrar com a sua forma energética.
Enquanto banhava os seus pés no pequeno riacho pintado no cenário, um Homem aproximou-se. Era alto, loiro e muito bonito. Os seus braços eram fortes e as coxas musculadas, emanava segurança e ao mesmo tempo severidade. Olhou-o e sorriu. Este sentou-se ao seu lado e começou a debitar:
«Uma força descendente traz sempre benefícios às esferas inferiores, mas uma força que se eleva sem ter sofrido um processo de sublimação extraordinário...traz sempre a desordem. No meu reino ninguém sobe de posto passando etapas, tudo obedece a uma rigorosa hierarquia.»
«Na minha comunidade também o fazíamos. Apesar de agora eu saber que a noviça passará a Sacerdotisa sem ter tido a preparação indicada. Mas eu precisava de seguir o meu Cavaleiro.»
«Teres encontrado este Cavaleiro foi um golpe de sorte, do acaso. Com ele descobrirás o significado  do Amor. Porém...a dificuldade que encontrarás será a de ele expressar as suas necessidades, partilhar o seu mundo interior. No mundo físico uma realidade sublime terá uma duração limitada se não for supervisionada pelo sistema emotivo.»
«Bem sei, mas o respeito e o amor tudo suportam. Se ele é assim, quem sou eu para o querer mudar.»
«Oh minha jovem...Irás muitas vezes colocar a tua crítica na relação. Serás um ditador outras vezes, não te enganes, pois a tua forma de ver as coisas é sempre a correcta. Nada disso trará prazer e alegria à relação. Será preciso que te eleves e mudes a residência do teu Ego para que a violência não ocorra.»
«Será assim tão mau? Acreditas mesmo que não saberei ser respeitadora e paciente?» 
«Refugir-te-ás no passado em busca do momento em que algo não correu como devia, quase numa atitude auto-flageladora. Mas a tua sorte continuará, e encontrarás pessoas do teu passado que activarão essas experiências. Emocionalmente será árduo...mas não impossível.»
Isis suspirou e começou a sentir dentro de si um desânimo a ganhar força. A sua escolha estava feita, não havia volta a dar, mas a tarefa que lhe era apresentada parecia árdua demais para si.
«Por último, - retomou o Imperador vendo esse sentimento espelhado na face dela - devo anunciar-te que a criança que trazes no ventre irá mudar tudo, a tua vontade será não mais a tua vontade de agora.»
Isis ouviu-o com um sorriso esboçado na alma. Aquela criança, pensa ela com um brilho nos olhos, mas no mesmo instante surge uma sombra. Isis recorda o momento em que uma das noviças a amaldiçoou-o e a inquietude voltou a fazer parte de si.
Enfrentou outra vez para o Imperador e pediu:
«Diz-me, ela será perfeita?»
Quando ele lhe ia responder, Isis foi acordada por um som estridente que no sonho não conseguiu identificar. Porém, assim que os seus sentidos despertaram compreendeu que era o som de alguém a rir, a rir que nem um louco. Saiu da traseira da carruagem e deu e caras com ele...  

E foi esta a semana com o Imperador, a semana em que os dois se puseram a caminho e recomeçaram a jornada em conjunto. 
Foi uma semana de reencontros, atrever-me-ia a dizer. Uma semana em que desvelámos algumas características desconhecidas de pessoas do nosso círculo intimo. Uma semana em que compreendemos o perigo de alguma das nossas acções e ... tivemos de escolher. 
Foi???

Na terceira hora de Vénus do dia de Sol, S. Isabel Rainha de Portugal, S. Ulrico, S. Procópio da Boémia
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...