quarta-feira, julho 07, 2010

O que ficou por dizer

Se soubesses o quanto tocaste o meu coração. O quanto o teu rir me contagiou e inspirou a conseguir erguer-me de manhã e sair para um dia cinzento mesmo quando não apetecia. Se soubesses o quanto recordo o brilho dos teus olhos, a alegria com que me encaravas e o desejo espelhado na tua face. Se soubesses...

Mas como poderias saber que mudaste a minha vida se eu nunca to revelei. Se cada vez que me apetecia descalçar os saltos altos e sentar-me a teu lado, agarrar-te pela mão e pedir-te: «Ensinas-me como?», o meu lado sério vinha ao de cima e a responsabilidade tomava conta de mim e da minha vontade.

Se soubesses como guardo neste coração arrependido as palavras que me disseste e que nem sempre retribui, as vezes que me fizeste rir e o não expressei, as perguntas que me dirigiste e as respostas que te dei, as dúvidas nos teus olhos à procura das certezas nos meus. Se soubesses que me arrependo, o que farias? Dar-me-ias uma nova oportunidade? Teremos ainda uma nova oportunidade?

Como o não sei, expresso aqui tudo o que me vai na alma e nunca te disse.
Tudo o quanto és eu louvo e só posso dizer que serei eternamente grata por ter estado na tua vida. Serás grande, muito grande. Um dia ouvirei falar de ti e no fundo deste pequeno e cansado coração surgirá uma luz que me dirá: «Eu mudei porque te conheci!».

Obrigada pelas aprendizagens que me proporcionaste, segue em paz...

Na segunda hora de Mercúrio do dia de Mercúrio, S. Pulquéria, S. Cláudio 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...