sábado, setembro 18, 2010

As cores no Tarot

Hoje apetece-me retomar a temática da aulas iniciais do Tarot. Então, depois das posições que as figuras podem tomar e os significados possíveis, foquemo-nos nas cores.

Com base no tarot de Marselha, o primeiro tarot, aquele que determinou todos os outros que se seguiram, podemos verificar a existência das seguintes cores: branco, preto, verde, vermelho, amarelo e azul. Todas as outras cores que invadem os tarots mais recentes são derivadas das misturas das cores primárias, por isso, as suas interpretações deverão ter por base o significado das duas que a originam.

O vermelho representa a actividade do dia-a-dia, física e espiritual. É a força, a energia, a base, o físico, o bruto.

O amarelo representa a inteligência e tudo o que a envolve. São as nossas capacidades intelectuais e emocionais. É o suave, revigorante, inatingível, etéreo é o subtil.

O azul representa o lado criativo, sensível, a comunicação e a gestão.
O verde representa a consciência e tudo o que a envolve. Nesta cor, unindo a inteligência e a criatividade, conseguimos desenvolver a consciência. Atingir uma forma de actuar que esteja de acordo com o inatingível, conseguindo gerir tudo o que recebemos e percepcionamos, faz-nos desenvolver a consciência no dia-a-dia. Um lançamento com abundância desta cor, poderá querer chamar a atenção do consultante para a sua consciência.

Já o laranja representa a forma como conseguimos aplicar a nossa força vital, comandada pela inteligência, no dia-a-dia. O laranja alerta o consultante para a forma como lida com o exterior. Onde aplica a sua energia e dependendo da tonalidade, poderá dar uma indicação mais para o exterior (se o laranja for mais forte) ou para o interior (se o laranja for mais leve, quase amarelado).

Por último, temos o preto e o branco. 
O preto representa a evolução da matéria/espírito, é a sua transformação e o branco representa a espiritualidade e tudo o que a envolve.  Então, imaginemos que num lançamento os nossos olhos focam-se na cor cinzenta que abunda a lâmina, poderemos imaginar que aquela pessoa ou situação se encontra num fase de enorme transformação, estando quase a conseguir, dependendo da tonalidade do cinzento, chegar a um dos dois pólos, ou ao branco ou ao preto.

A escolha do tipo de cor primárias que fizermos será importante. Para mim faz mais sentido, pois oferece-me maior possibilidade de cores secundárias, usar o magenta/vermelho, ciano/azul e amarelo. A partir do significado destas três criei um código para as secundárias que derivam sempre das três principais. O vermelho é o físico na sua capacidade de interacção com o exterior, o amarelo é a inteligência e a sua capacidade pensante e o azul é a inspiração sobre a qual não temos controlo, é a influência divina, a comunicação no seu estado elevado. A partir daqui serão apenas misturas sobre estas três temáticas.

Tudo o que se encontra na carta de tarot deverá falar connosco, para isso, é importante começarmos a criar um código pessoal, sobre o qual nada nem ninguém terá influência!

Acham que faz sentido para vós? As cores falam convosco? Qual a cor que mais gostas?

Na primeira hora de Vénus do dia de Saturno, S. Tomás de Vilanova, S. José de Cupertino
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...