terça-feira, setembro 14, 2010

Meditar com a Imperatriz

Hoje deu-me para isso. Acordei cedo e tinha tempo, sem grande vontade para fazer nada por ter em mente uma questão. Decidi, então, fazer a meditação que partilhei há uns bons tempos atrás. Fui ao encontro da Grande Mãe e pedi-lhe colo, além de ajuda a compreender onde estas raízes se encontravam.
Pygmalion and the image IV - The Soul Attains de Edward Burne-Jones

Ela foi benevolente e revelou-me tudo. Estas raízes estão num passado longínquo, quando ainda havia donzelas e cavaleiros. Depois desse passado Ela mostrou-me o presente e como aquele momento passado influenciava o meu comportamento presente.

Compreendi finalmente o que quero e porque quero, sinto-me calma e pronta para agir e reagir de forma correcta, livre de karmas passados.
Para quem quiser aproveitar esta lua em crescente e a energia acolhedora da Mãe/Imperatriz, força!

Deverão estar numa outra paisagem, onde ao fundo avistam uma mulher sentada num trono, eis a Imperatriz. Como de costume observem tudo o que tiverem para observar, registem na vossa mente todos os pormenores que conseguirem. Aproximem-se e esperem que ela vos diga algo, se isso não acontecer sentem-se ao pé dela, aos seus pés e esperem. Será neste momento que terão oportunidade de lhe fazer as perguntas que prepararam, se não o fizeram correm o risco de depois não se lembrarem bem o que perguntaram. Quanto terminarem de fazer as vossas perguntas vejam se a Imperatriz vos oferece algo ou dá outras informações. Neste momento poderá acontecer de tudo, é o momento de liberdade para cada um receber o que precisar desta mulher. Quando sentirem ou souberem que está tudo dito, agradeçam à Grande Mãe que vos surgiu, que vos aconselhou e que se dispôs a ouvir-vos.

Na primeira hora de Mercúrio do dia de Marte, S. Salustia, Exaltação da Santa Cruz
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...