quarta-feira, janeiro 27, 2010

Tenho pena e não respondo.

Tenho pena e não respondo.
Mas não tenho culpa enfim
De que em mim não correspondo
Ao outro que amaste em mim.

Cada um é muita gente.
Para mim sou quem me penso,
Para outros - cada um sente
O que julga, e é um erro imenso.

Ah, deixem-me sossegar.
Não me sonhem nem me outrem.
Se eu não me quero encontrar,
Quererei que outros me encontrem?

Fernando Pessoa

Na segunda hora de Júpiter do dia de Mercúrio, S. João Crisóstemo, S. Ângela Merici, Julião Hospitalário

terça-feira, janeiro 26, 2010

Se eu tivesse isto....

A energia do dia hoje é o Cavaleiro de Discos e traz consigo uma reflexão interessante «De que estás dependendo?»
(foto retirada daqui)
Quantas vezes deixamos de buscar a nossa alegria por nos colocarmos metas? Quantas vezes dizemos: Se eu tiver isto, poderei fazer aquilo? Por exemplo, quantos de nós dizemos se tivesse dinheiro faria aquele curso de auto-ajuda. Se fizesse o curso a minha vida mudava. Se tivesse um emprego estável, teria um filho. Se tivesse casa, a minha vida seria diferente!!! E por aí fora.

Sabem o que é isto? É adiramos a nossa vida, a nossa realização pessoal. Nada do que precisamos está fora de nós. É claro, dir-me-ão os mais racionais: Todos precisamos de comer! E para isso precisamos de dinheiro e para isso precisamos de trabalhar e para isso precisamos de deixar de fazer coisas que gostamos mais... e por aí fora!

Claro está, nem só de prazer vive o Homem. Todavia, mesmo trabalhando há tempo para nós, mesmo tendo filhos e outras responsabilidade há tempo para nós, mesmo tendo uma casa para governar há tempo para nós. Se não há...algo está mal planeado na nossa vida.

Mas não é por aí que hoje vos pretendo guiar. Hoje quero vos levar ao fantástico mundo da liberdade das condições!
Quando colocamos condições a algo na nossa vida, estamos a impossibilitar que o maravilhoso actue. É como se colocássemos condições ao nosso Amor, se ele fosse assim eu gostava mais dele, hão-de convir que isso é porque não amamos mesmo aquela pessoa! Amar é incondicional, amar o pacote todo, defeitos e qualidades, sem condições!

Hoje o Cavaleiro relembra-nos que depender de algo é estar parado no tempo, é condicionar a nossa Vida quando na verdade ela deve ser sinónimo de liberdade!
Hoje, e só hoje, digamos «EU vou fazer isto porque me dá prazer!» Permita-se sair da rotina e ter tempo para si! Permita-se sentir a liberdade de Ser e Fazer o que EU quero. Siga a sua Vontade sem condicionamentos, larguemos os "Ses" e digamos "Eu vou".

Eis o que o cavaleiro nos oferece:

«Eu sigo o caminho até ao fim, através de neve e de gelo, buscando tanto de dia como de noite. Se o seu coração está firme, leve-me como seu guia e eu nunca o desapontarei ou desviá-lo-ei.»

Na segunda hora de Vénus do dia de Marte, S. Paula, S. imóteo, S. Tito, S. Gonçalo Osório

segunda-feira, janeiro 25, 2010

Equilíbrio versus Karma

Depois de algumas provas na semana anterior, esta semana temos a energia do equilíbrio para nos ajudar!
Podemos esperar ajuda em conflitos, conflitos esses que podem surgir sem que nos apercebamos. Acho que esta semana alguns karmas virão ao cimo, para serem limpos! Vamos aproveitar a integridade que aprendemos esta semana e usá-la!

Usemos este momento para avaliar, ponderar e reprogramar as nossas questões interiores! Aprendamos a reflectir, sigamos o exemplo do Alegria e elevemos os nossos pensamentos ao Mundo das Ideias para compreender bem cada situação, de onde provém!

A sugestão musical esta semana pode ser um pouco agressiva para alguns, escolhi-a em homenagem ao nosso amigo Marcelo Dalla que hoje está a dar uma entrevisat fantástica no já célebre Cova do Urso!

Animal Collective, Lion in a Coma, que esta música nos inspire a sair da inércia e a domar o Leão egóico que há em todos nós!

A todos uma excelente semana!

Na segunda hora de Sol do dia de Lua, S. Elvira, Conversão de São Paulo

domingo, janeiro 24, 2010

A Força com a Imperatriz

Esta semana, não sei para vós como foi, mas para mim foi uma prova constante ao meu equilíbrio. Foi uma semana em que teria sido interessante a Força, não sei se passei a prova com distinção, mas que me fez “mal” lá isso fez! Dedos apontados, questionamentos injustificados e, coincidentemente, alguma solidão. Sempre grata pelas experiências e agora que passou, um pouco mais confiante, até as aceito, mas que foi difícil, lá isso foi!

Vamos ver o Alegria, que terá feito? Cedeu à Imperatriz ou não?
Alegria sabia que esta prova iria exigir de si próprio uma luta interior de grande nível. Aluno de astrologia compreendia que esta prova iria activar Marte, só dependeria se ele queria activar esta energia em Leão ou em Escorpião. Fosse como fosse, era uma prova de fogo e água, teria de destrinçar os seus desejos e as suas verdadeiras emoções.

A Mulher estava na sua frente, agora dócil e afável. Os seus olhos tinham um brilho diferente daquele que vira no exterior. Havia desejo ardente espelhado no seu rosto e na sua expressão física. Lasciva e tentadora, era assim que se mostrava.

Alegria treme pois o seu desejo de mergulhar naquela mulher cresce, mas há medos. Alegria receia não ser capaz de sair a tempo daquela ilusão, pois apesar do desejo ele sabe e reconhece a ilusão da situação. Compreende que assim que ela obtiver o que deseja a ilusão cairá e ele verá a verdade. Que verdade será essa? Esta é a questão que provoca ainda mais desejo, descobrir uma Verdade sempre foi e será para Alegria uma força motriz.

Ela continua serena na sua frente, dando-lhe o tempo e o espaço para que ele se decida a agir. A acção, o início está nele, ela sabe-o e respeita, espera pacientemente.

Alegria continua a meditar e eleva um pouco mais a sua energia de forma a poder contactar o seu Eu Superior. Aumentando a energia sobe ao Mundo das Ideias e aí pondera nos seus desejos. Aceita que deseja a experiência, vê a sua ideia cristalizada, afinal aquela situação era fruto de muitas vontades emanadas anteriormente. Era o culminar de desejos enviados! O Uno não tem tempo e só agora pudera atender a todos esses desejos.

A sua reflexão muda de rumo, afinal não teria de pensar sobre o facto de a desejar ou não, fora essa a sua vontade anterior. Agora deveria ponderar se essa experiência continua a fazer sentido ou não à luz da sua posição actual, mas mais importante ainda se alguma vez mais poderá voltar a acontecer. Arrepender-se-á algum dia se recusar e se aceitar?

A mulher continuava deliciada a olhar Alegria e parecia que conseguia compreender cada questão que se desenhava no seu rosto. Sorridente, oferece-lhe algo de beber, acreditando que isso o ajudaria a clarear a mente.

Nesse momento Alegria vê o que está na sua frente. A ilusão é cada vez maior mas a oferta foi reveladora. A bebida era como se fosse veneno naquele momento que precisava de manter o seu corpo puro para poder destrinçar as linhas da mente e do coração. Ela era afinal apenas a tentação.

«O meu corpo é um templo e não deverá ser desonrado. Agradeço a tua amabilidade mas devo partir agora. Agradeço-te tudo o que me ofereceste, ajudaste-me no meu crescimento interior, mas é tempo de partir.»

«Assim seja feita a tua Vontade!»

«Caminho para longe de ti, deixando-te aqui. O que se desperdiçou deve ser lamentado copiosamente. Mas eu navego em frente para sarar os erros que foram feitos.»

E assim partiu!

Bom, Alegria decidiu seguir e não ceder às ilusões. E nós, fincámos o pé perante alguma adversidade? Deixamos que o Ego nos guiasse ou acendemos a Luz do Amor e agimos de acordo com esse farol?
Veio algo do passado atormentar-nos? Profissionalmente? Cedemos ao instinto e lutámos ou compreendemos a ilusão da situação e sabiamente saímos de cena?

Tenha sido qual for a solução escolhida, lembremo-nos que ela nos conduzirá sempre ao nosso interior, pelo “bem” ou pelo “mal”. Despertemos!

Na primeira hora de Júpiter do dia de Sol, S. Timóteo, S. Babilas, S. Francisco de Sales, Nossa Senhora da Paz

quinta-feira, janeiro 21, 2010

O mês de Aquário

A imagem de Aquário é a ânfora, uma mulher a verter água. Apesar de ser um signo de elemento Ar, ele está associado à Água na medida em que esta simboliza a purificação e a compaixão e Aquário é o canal para apaziguar o mundo e o signo da abundância! Toda a água que sai da ânfora é vertida e partilhada, sem cobranças. Este é o símbolo da Era em que vivemos!

Na astrologia cabalística, este mês é excelente para revelar a verdade e a luz, tendo o nome de mês da Redenção. Porquê redenção?
Porque os Aquarianos vivem o mundo de forma unificada, buscam o bem comum de todos e isso em cabala é considerado a redenção. A redenção é o momento em que toda a negatividade é limpa e a humanidade se liberta de toda a fragmentação!

Este mês é óptimo para nos livrarmos das nossas restrições e ligarmo-nos ao infinito.

Vamos nessa!
Na primeira hora de Vénus do dia de Júpiter, S. Inês, S. Públio, S. Ciro, S. Avito, S. Epifânio, S. Frutuoso

segunda-feira, janeiro 18, 2010

A Imperatriz, o lado doce da Força

Na semana em que Vénus entra em Aquário e a Lua e Júpiter em Peixes, hoje mesmo, recebemos do tarot a energia criativa e benevolente da Imperatriz.
Há quem julgue que a Imperatriz é o lado doce e suave da Força. Talvez por a Força manipular e agir com firmeza física, enquanto a Imperatriz age com tanta beleza e Amor que convence os outros naturalmente e as suas acções são de fertilidade emotiva.

O que poderemos então esperar desta semana?

Muita delicadeza nas acções, uma força para iniciar projectos que surgirá naturalmente, tudo andará ao sabor dos nossos desejos.

Cheira-me que esta semana será muito boa para quem quer engravidar e também para quem deseja mostrar todas as suas emoções livremente. É uma semana para abrir o coração ao Amor e à Beleza, confiando que o benevolente Júpiter nos tratará os nossos desejos. A lua em Peixes ajudará!

Fiquem agora com o oráculo da Imperatriz:

«Eu teço a alma da terra. O segmento que gira sob os meus dedos é feito de paz, satisfação, alegria e da doce harmonia da criação. Eu sou a mãe de tudo o que cresce. Onde quer que eu ande, as flores nascem. O meu manto de beleza é lançado sobre os ombros da terra.»

A todos uma excelente semana!

Na primeira hora de Júpiter do dia de Lua, S. Margarida da Hungria, S. Prisca

domingo, janeiro 17, 2010

A Força perante a Tentação

Nesta segunda semana do ano, vindos de uma Morte renovadora, tivemos direito à Força. Foi esta força aplicada com a energia da Lua Nova? Aproveitámos para reprogramar o nosso percurso aqui ou simplesmente ligámos o automático e deixamo-nos ser guiados?

A partilha do Alegria desta semana é muito simples, vamos ver!
Alegria sente-se confiante, depois da Morte sabe que tem pela sua frente a escolha e é precisamente aí que incidirá a sua Força interior.

Na sua frente surge uma mulher enorme, com um cabelo loiro encaracolado a lembrar a juba de um leão, bela como a sacerdotisa que ele vira em tempos atrás.

«Olá Alegria. – cumprimentou-o ela com uma voz que lembrava o canto das sereias. - Faz algum tempo que te espero. Sabes que sou a guardiã deste lugar e para avançares terás de me provar que és merecedor de tal! Para mim nada mais és do que um louco à espera de algo que nunca acontecerá.»

O Peregrino relembra as palavras do Cavaleiro que lhe oferece a Taça, aquele que lhe diz que não importa o que os outros acham dele mas que seguirá sempre a sua visão. Sabe que é um co-criador do seu próprio caminho e aceita a sua responsabilidade.

Sente que nesta prova terá de mostrar algo que nunca mostrou antes. Apesar de ainda não conseguir compreender a dimensão de tal prova, sabe que aqui poderá encontrar os seus tesouros escondidos. Será esta a oportunidade de descobrir que partes há em si que ele desconhece? Mais uma vez confia e aquieta-se, sabe que com Amor e perseverança lá chegará.

«Estou pronto. Que prova é essa?»

«Terás de vir ter comigo e descobrir! Passarás uma noite na minha cama, onde te oferecerei de comer e beber. Na manhã seguinte terás de partir!»

Alegria lembrou-se de ter ouvido falar em tempos sobre esta Mulher. Era ela a culpada de muitos peregrinos como ele se terem rendido às ilusões do corpo e do ego. Ela fala-lhes com palavras mansas, entorpece-lhes o corpo com boas comidas e as bebidas destroem-lhes a percepção. Nunca nenhum conseguiu sair na manhã seguinte.

«Irei contigo Mulher, mas terás de me prometer que apenas faremos aquilo que eu desejar. Se eu recusar algo por considerar que não me leva para o Caminho do Amor, deverás respeitar a minha decisão.»

«Assim seja!»

Alegria entrou pelos portões dourados da propriedade, entrou na cabana cor-de-rosa e sentou-se numa mesa luxuriante! Os seus olhos revelaram um brilho.
Nesse preciso momento Alegria compreendeu que não era a Mulher com quem ele teria de competir, mas consigo próprio. O Desejo por toda aquela Beleza começava a crescer e Alegria não sabia se iria resistir, era ele o seu próprio adversário!

Bom, confesso que este episódio na novela do Alegria foi uma surpresa completa! Será que conseguirá sair desta?
E nós? Teremos tido durante esta semana provas onde deveríamos mostrar a nossa força? Teremos tido a percepção nublada e não compreendemos que éramos nós os nossos próprios inimigos? Agimos por Amor ou por egocentrismo?

A todos uma excelente reflexão!

Na primeira hora de Saturno do dia de Sol, S. Antão, S. Leonilla, S. Alberto de Sena

quinta-feira, janeiro 14, 2010

A Frustração

Como podemos lidar com este sentimento tão negativo? Como poderemos aceitar que por causa de outro eu não consiga superar uma prova? Sim porque há provas, aquelas que envolvem relações, que estão dependentes da participação do outro.

Eu sei que o outro está no seu direito de se recusar a participar em algo, bem sei que lhe devo respeito, sincero... mas como lidar com aquela sensação de que eu poderia terminar esta tarefa já aqui, se ao menos me ouvisse!!!

Para mim é difícil esperar, aquilo que quero, quero já e agora (isto não é exagero, é mesmo assim). As minhas necessidades devem ser atendidas no momento em que as sinto, exigente e apressada, nada menos!!! Bem sei que a paciência tem vindo a ser trabalhada, sei desfrutar de uma agradável espera, talvez apenas quando sei que a concretização acontecerá, mas quando não há certezas (na medida em que as pode haver!) ... tudo se complica.
A minha mente torna-se obsessiva, toda a minha energia é direccionada para ali e ali apenas. Foco a minha atenção no que quero e, até o conseguir, não descanso. Escusado será dizer que isto me esgota! Mas também me dá uma grande satisfação. O prato fica equilibrado.
Todavia, o desabafo de hoje ia noutro sentido, que era a dependência do outro para concluir uma tarefa, o exposto anterior serve apenas para contextualização.

Terei mesmo de estar ao sabor da vontade do outro para aprender esta lição? Claro, em cada momento há uma lição a aprender, sem dúvida que mesmo sem o outro retirarei algo da experiência, mas aquela lição que vos falo tem mesmo a ver com serem preciso dois para a concluir!

Eu estou cheia de assuntos sociais para resolver, estes assuntos só podem ser resolvidos em social. Não me basta estar em meditação a limpar as feridas e a aceitar o Karma, é preciso pôr em prática. É nesse momento de prática, em que dependo do social, que eu me pergunto:

Como posso lidar com esta sensação de frustração? Porque apesar de saber a teoria toda, na prática eu SINTO!

Sei a teoria: No devido momento outra pessoa surgirá para me ajudar a superar ou não a prova. Se esta se recusou era porque não era com esta pessoa que teria de o fazer. Não é o momento indicado para mim, etc, etc....
Mas e quando em nós há uma certeza de que era agora! Este era o momento indicado para conseguir, sentimo-nos com a Força toda!!! Como se pode apagar esta sensação?!?

Resta-me esperar que o momento chegue, que outro se disponibilize e ter esperança que nessa altura terei a mesma disponibilidade que tinha agora! Apesar de tudo fica uma dor, claro, mas não há sofrimento!

Na segunda hora de Lua do dia de Júpiter, S. Bernardino de Corleone, S. Félix de Nola, S. Fulgêncio, S. Noémia

terça-feira, janeiro 12, 2010

Amuletos e Talismãs

Antes de partilhar convosco o selo sagrado de cada planeta, gostava de esclarecer a diferença entre amuletos e talismãs.

Um amuleto é algo que usamos para nos dar protecção, normalmente feito de materiais naturais. O talismã, por sua vez, é um objecto criado por nós para atrair algo de que necessitamos.

As jóias foram usadas por todo o tipo de pessoas como amuletos, senão reparem. As tiaras, normalmente feitas de pedras preciosas com poderes diversos, eram usadas pelas Sacerdotisas como amuleto de protecção do chakra da terceira visão, altamente desenvolvido e que deveria ser mantido em equilíbrio.

Os colares de tamanhos diversos podem ser usados para proteger ou o chakra cardíaco ou o plexo solar, reparem nos altos postos das diferentes Igrejas, todos eles usam um colar com símbolos vários. Já os cintos servem para proteger ou equilibrar o centro umbilical.

Os talismãs, esses ajudam-nos a gerir os recursos que temos, podem ser criados para atrair dinheiro, amor ou saúde, o que todos já temos mas às vezes desejamos mais.

Posto isto, hoje deixo-vos os Selos Sagrados dos Sete Planetas que regem os doze Signos. Podem ser feitos por nós, aliás, devem ser feitos por nós numa hora que consideremos indicada e depois energizado ou consagrado em ritual adequado. Para tal precisaremos de uma folha de estanho onde gravaremos os símbolos. A folha de estanho é de fácil acesso, numa papelaria daquelas onde encontramos todo o tipo de materiais será fácil comprar um rolo.

Colocamos o desenho do símbolo sobre a folha de estanho e com uma caneta sem tinta ou um lápis passamos por cima, na folha de estanho ficarão gravados os símbolos, depois é apenas cortar com uma tesoura um círculo e teremos o nosso amuleto ou talismã. Divirtam-se muito!!!

Selo Mágico do Sol
Selo Mágico da Lua
Selo Mágico de Marte
Selo Mágico de Mercúrio
Selo Mágico de Júpiter
Selo Mágico de Vénus
Selo Mágico de Saturno

Deixo-vos com uma citação de Fernando Pessoa que nos diz ser necessário:

«primeiro, sentir os símbolos, sentir que os símbolos têm vida ou alma, que os símbolos são gente.»

Na segunda hora de Marte do dia de Marte, S. Satiro, S. Modesto

segunda-feira, janeiro 11, 2010

A Força


A Força é a carta para esta semana e a pergunta que nos deverá orientar é «De onde vem a TUA Coragem?»

Quando fiz esta questão várias imagens de momentos me assolaram a mente: os olhos do meu OM quando me vêem, a paz de um sorriso de uma criança, o abraço dos amigos naqueles momentos árduos, a fé da minha irmã em mim, o apoio incondicional dos meus pais, alguns momentos de realização pessoal...até que compreendi que cada momento destes apenas tinha a ver com uma coisa - a presença de outros na minha vida.

A minha coragem para agir, além de alguma inconsciência, advém mesmo do facto de saber que aconteça o que acontecer eu nunca estarei só, terei sempre alguém que me dará a mão, o ombro e um silêncio ou palavra amiga.

Com esta segurança em mim, posso dizer que a semana se tornará mais fácil, o mês mais doce e os anos que virão menos vazios.

Esta semana poderemos de facto pensar muito sobre este assunto, reflectir e deixar que as nossas preocupações se esfumem, pois a Força conseguirá abrir a boca do Leão (o nosso ego) e domá-lo muito bem. Este acto fará com que as nossas acções se centrem mais ao nível do plexo cardíaco onde reside a luz para qualquer questão.

Desejo-vos grandes momentos de clarividência e que a questão seja respondida com honestidade!

Para esta semana ofereço-vos a música que faz parte da banda sonora do excelente filme Where the Wild Things Are de Spike Jonze. A banda sonora ficou a cargo de Karen O and the Kids, a vocalista dos Yeah Yeah Yeahs.
Espero que gostem! Eu adoro, amo :)

domingo, janeiro 10, 2010

A tranformação do Diabo e da Morte

Não houve muito tempo para escrever a história do Alegria na última semana do ano e nesta primeira também não. Hoje, porém, ficam aqui as duas reflexões numa só! Do Diabo à Morte, foi uma lição poderosa, espero que vos seja útil.
Depois do Karma ter sido desperto, Alegria soube o que estaria na sua frente. Era preciso ir ao fundo do seu poço interior e ver as amarras profundas, era preciso meditar nas suas raízes e ver onde elas se enrolavam, era preciso libertar-se desses traumas para poder seguir. Isso significa ir ao encontro da Morte.

Sentou-se, colou as suas mãos em posição de recepção, inspirou profundamente e meditou.
Na sua mente um quadro apareceu, branco, uma tela onde imagens se iam alternando. Subitamente uma dessas imagens parou e Alegria fixou-a. Três mulheres da sua família brindavam. Era um momento de alergia e convívio, mas ele não conseguia compreender qual. Os pormenores da imagem deram-lhe a referência temporal necessária, era Natal.

Alegria aparece na imagem, era novo, muito novo e as três mulheres davam-lhe de beber. Sentiu a bebida a entrar nele e o efeito que esta provocava. O efeito inebriante provocou-lhe a sua primeira impressão e compreendeu que aquele cenário era uma fachada. Olhou as mulheres e viu como elas se ocultavam atrás de estereótipos, como as máscaras eram cuidadosamente mantidas na frente dos rostos duros de uma vida pouco fácil.

Alegria entendeu que esse era o momento em que ele havia saído daquela família. Foram estes acontecimentos que despoletaram a sua revolta e desejo de quebrar aquela fachada. A dor que sentira na sua alma jovem e imatura ainda tinha resíduos em si. Cuidadosamente analisou cada sensação que perdurava em si. Trouxe luz à ferida e aceitou cada uma delas na sua forma, pois compreendeu que só assim, só com essas mulheres mascaradas ele pudera chegar onde estava. Era a sua missão.

Fora esse momento que lhe tirará o Lar, mas fora esse momento e esse Lar que lhe trouxeram a sua busca interior. Só poderia estar grato. Afinal, a anulação daquele lar trouxera-lhe a construção do seu Templo e isso era tudo o que ele agora desejava.

Abriu os olhos, inspirou profundamente e sentiu-se bem. Um sorriso quase que foi desenhado nos seus lábios. Agora era o momento de mudar, accionar pequenas mortes em si para que tudo se harmonizasse. Era um novo ciclo e com ele um novo Alegria deveria nascer.
«A espada embotada pelo combate é polida por mim. Eu guardo o descanso vigilante e supervisiono os preparativos da batalha. Eu trago apenas libertação e luz para os lugares escuros.»

- Ó Mãe do combate, que sabes como e quando agir, ensina-me a ser um guerreiro da luz.
- Quando estiveres numa qualquer situação e a saída não te parecer possível para nenhum lado, lembra-te, no mínimo há duas hipóteses: ficar ou sair. Às vezes, as saídas parecem inexistentes, mas por mais ténue que seja, ela está lá. Tu és já um Guerreiro de Luz!

- Mas Mãe, nesses momentos a minha visão fica toldada pelos acontecimentos passados. O meu coração fica com medo e a inércia apodera-se de mim. Recolho-me e fico cheio de pena de não ter a coragem ou ousadia para agir.
- Quantas vezes já te falaram do AMOR, quantas vezes já resolveste a situação com esse AMOR? Se o coração fica com medo, abre-o à Luz que existe em ti e fora de ti. Pega na foice e elimina-o. Transmuta-o para a sua oitava superior, pois o medo nada mais é do que a oitava abaixo da coragem e da acção. Tudo pode ser transformado.

«Para onde deves ir? Ambas as correntes fluem para o norte: qual é melhor para ti? Se esperares muito tempo o gelo congelá-los-á. Mantém os teus olhos-do-tempo no Caminho.»

Esta foi a lição que o fim de 2009 e o início de 2010 trouxe para todos nós. Em sintonia com a carta que nos irá conduzir, nesta primeira semana alertam-nos para que tenhamos os olhos atentos às oportunidades.

Como se diz em Cabala, a energia do momento se não for aproveitada, nunca mais se repetirá. Que escolhemos fazer?

Na primeira hora de Lua do dia de Sol, S. Paulo, S. Gonçalo de Amarante

quinta-feira, janeiro 07, 2010

Intenções do Ano Novo

Para este ano desejo abrandar um pouco o meu ritmo. Este ano quero realizar muitas coisas e, por isso mesmo, preciso de tempo e disponibilidade mental.
Assim, as partilhas serão talvez menos regulares, mas ainda mais intensas. Será um ano de dedicação a mim própria sem desvios (daqueles como a inércia e a preguiça!). Vou começar a estudar matérias novas e a construir o meu lar de forma diferente! Parei ou vou parar com os outros projectos onde me envolvi porque uma energia dispersa é uma energia inútil.

Este ano vou sem dúvida aproveitar ao máximo as oportunidades que me surguirem, aliás já estou!

Quanto a vós, desejo a vossa presença, mas não vos posso prometer conseguir ir todos os dias visitar-vos. Vou tentar fazê-lo de forma organizada, vamos ver se dá!

Por hoje é tudo, preciso de ir tratar de uns assuntos pendentes! A todos um excelente ano e uma semana em grande!

Na primeira hora de Vénus do dia de Júpiter, S. Teodoro, S. Ramundo, S. Reinaldo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...