sexta-feira, abril 30, 2010

Uma História de Amor

No dia de Ritual da Fecundidade, partilho a história da manta de retalhos co-criada por todos os que sentiram vontade. Que a energia aqui gerada seja reconduzida para honrar e curar a Grande Mãe, foi por Amor e em Amor a ela que a criámos.

A aventura de criar uma história a partir de uma imagem foi empreendida pelas seguintes almas generosas (por ordem alfabética):








Desta aventura saiu uma história mágica. Fiquei tão feliz e achei a actividade tão produtiva que provavelmente irei realizar o desafio mais vezes e também vos faço a sugestão. Criem um cenário, um início ou uma personagem e deixem que os vossos amigos dêem seguimento, serão surpreendidos!!!



Algures nos arredores de uma terra longínqua, há muito dominada por um Imperador cruel, havia uma criança que sonhava com outras terras. Imaginava campos cheios de flores, pássaros pousados nos ramos de árvores frondosas, muito coloridos cantavam hinos de alegria. Para a criança tudo isto não passava de sonhos irreais, afinal ela nunca conhecera tamanha beleza, na sua terra tudo era cinza, consumido pela poluição e pelo desrespeito à Grande Mãe.

Um dia a criança acordou com um som que nunca tinha ouvido tão perto dela. Era o cantar de um passarinho muito colorido, que pousou na sua janela.

"Já não temos muito tempo. Anda." - Sebastião nem queria acreditar! Chegou a pensar que ainda estava a dormir e a sonhar com aves pequenas que falam."Traz apenas a chave que encontraste na praia naquele dia em que começou a chover de repente quando a apanhaste do chão. Tudo o resto deve ficar. Vamos voar..."

A chave era mágica, ela abriria um portal místico de onde viriam fadas e anjos , que iriam ajudar a restaurar a paz e a harmonia, esquecidas durante o reinado do Imperador. E a menina acabara de descobrir ter sido escolhida, pela pureza de seu coração para abrir este portal.

A menina, com o seu coração carregado de emoções saltou pela janela, atrás daquela linda ave que voava diante de si...Seu coração batia forte como um tambor, latejando em seus ouvidos... A chave, estava bem apertada, envolta em sua mão. Sentia os dedos latejarem, tal era a força com que a segurava, absorta por uma espécie de medo de a perder durante a jornada.

Começaram a cair as primeiras gotas de chuva, trazidas pelos céus cinzentos de um dia quente... De repente, a ave pousou sobre uma velha e majestosa árvore... Havia dias em que a menina costumava brincar ali, imaginando a sua terra um mundo mais belo, cheio de árvores verdes e frondosas e animais de todas as formas e cores... Sonhos!... Seriam... Realidade?!... Avançou lentamente para a árvore, apertando a chave contra o peito, e sentindo as primeiras gotas escorrerem por seus longos cabelos...
Foi então que, pela primeira vez, sobre aquela velha casca, que tantas vezes abraçou, reparou em algo que nunca havia visto antes...

'... como era possível o Sebastião estar ali?' foi o pensamento da menina, lembrando-se que fora ele quem lhe pedira para se apressar. Afinal, era para ela poder conhecer um sítio mágico.

"Vieste..."- disse Sebastião segurando as mãos frias, e ainda trémulas do vôo, daquela que juntamente consigo devolveria a lembrança aos Homens. Percorrera muitos céus em busca de Isa, desde a manhã em que a ave do paraíso o havia acordado. Foi às cegas. Foi confiante. Aceitou a missão. Sabia apenas que a detentora da chave da Porta do Conhecimento teria uma madeixa de cabelo azul a cair-lhe sobre a face iluminada por dois olhos negros e grandes que consigam ler as almas das pessoas.

E agora ela estava ali. Com a chave.

As duas chaves estavam assim reunidas...de novo.

... e ainda que reunidas era preciso sabedoria para usá-las. Quem poderia trazer-lhes tais conhecimentos? Nem todos os inocentes estão preparados para conhecer as maravilhas de um novo mundo, assim como o ignorante não está para seguir uma nova trilha como um cego que anda à beira do abismo. Havia ainda outro Anjo a ser invocado, bastava chamar, Ele apenas esperava, só poderia ajudar se fosse invocado, estava no inconsciente colectivo de todos os seres mas nem sempre era lembrado...

..."Um Anjo para ser invocado!", pensou a menina, enquanto voltava a lançar um olhar para as duas chaves que segurava na mãos trémulas...

Uma ligeira brisa tocou-lhe no rosto ao de leve, como que a acaricia-la, numa espécie de afago de coragem!... A chave em tom de cobre, havia-lhe sido passada pela sua falecida avó materna. Dizia ela, que existia um lugar onde as Fadas e os Anjos guardavam um poder mágico tão belo e tão forte, que poderia transformar o mundo num lugar maravilhoso!... E ela, com seus olhos negros brilhantes, muito arregalados, e sua longa madeixa azul, escorrendo por sua testa, até lhe acariciar os lábios, ouvia tudo absorta por toda aquela magia do conto e da imaginação...

"Avó!... Esse lugar existe mesmo? E os Anjos e as Fadas..."

..."Minha querida! Quando as duas forem uma e dessa uma vier Um... Então sim! Esse lugar existirá com todas as suas forças!"...

E na última vez que lho contou, deitada convalescente na sua cama, onde três dias depois iniciou a sua "viagem" para "ir voltar a dançar sobre a lua" como costumava dizer com aquele sorriso tão brilhante e meigo, entregou-lhe aquela pequena chave de tom cobre... que agora fazia par com a chave cor de prata que Sebastião lhe entregara!...

- Quando as duas forem uma e dessa uma vier Um... Então sim! Esse lugar existirá com todas as suas forças... - disse baixinho, examinando ambas as chaves.

Voltou a lançar um olhar sobre o velho tronco da árvore, onde um pequeno buraco, que parecia muito fundo, parecia examinar a pequena viajante, agora molhada dos longos cabelos até aos pés...

Foi então que uma ideia surgiu em sua mente... "Quando as duas forem uma"...
Então aproximou ambas as chaves uma da outra e deixou que um grito de espanto lhe fugisse da garganta quando viu as pequenas duas chaves, como que se ganhassem vida própria, unirem-se, restando agora apenas uma chave maior, em tons de cobre e prata...

- E os dois se vieram a tornar uma! - bradou Sebastião muito satisfeito do alto do seu ramo

...A menina tremia... mas já não sabia se da chuva, se dos nervos que abraçavam todo seu Ser interior!...


Com a imagem nítida da sua avó a dar-lhe coragem, a criança cerrou os olhos para a ver outra vez.

"Assim seja!" e colocou a chave na pequena fechadura que aquela árvore mágica continha. Sebastião colocou a mão sobre o ombro esquerdo de Isa e os dois ficaram deslumbrados, boquiabertos, incrédulos perante a descoberta feita...

Perante os dois viajantes, abriu-se um porta da qual provinha uma luz maravilhosa... Desta surgiu um ser feminino, como a menina e Sebastião nunca haviam visto... Seus cabelos eram longos e envoltos num tom verde, mais verde que as folhas das árvores, seus olhos eram de um azul como nunca antes vira, seu corpo era longo e formoso, seu rosto era sereno, suas vestes eram longas e de um branco imaculado...

"Eu vos saúdo, escolhidos!", saudou, quase sem mover os lábios, num tom de voz tão belo e sonante, que parecia fazer saltar os corações de quem se atrevia a escutar...

"Já é longo o tempo do nosso sono... mas eis que chegou o dia do despertar... O dia que nos era tão aguardado!"

A menina conseguiu suster a respiração, arranjar forças e perguntar num tom rouco e quase sumido:

"És um anjo?"...

"Sou a Guardiã da Terra... Aquela que vocês humanos baptizaram de "Mãe Natureza". Eu era a responsável pelo equilíbrio natural da ordem da Terra, até o dia em que um dos vossos antigos Imperadores, conseguiu, através da reunião das energias negras, trancar-me e a toda a minha classe de trabalhadores, dentro desta Árvore Guardiã, o último refúgio das Energias Brancas da Terra! Se não viermos a ser libertos, este planeta maravilhoso poderá conhecer seu trágico fim!"...

A menina nem queria acreditar em tudo que ouvia!... Era aquela a Guardiã da Terra?! Aquela que poderia transformar o seu planeta num lugar maravilhoso, cheio de animais de todas as formas e cores e de árvores verdes e frondosas, flores de todas as cores?! Oh!, que maravilha! Como gostava que sua avó estivesse ali para ver... Mas ela já estava a "dançar sobre a lua"!...

Mas, porque dizia Ela "se não forem libertos"?... Não estava já a porta aberta?...

"Não minha pequena!" - respondeu, para seu espanto. Podia Ela ler pensamentos?! - "Ainda não está finalizado o nosso acto de libertação! A conclusão do teu ritual ainda não foi concluída."

A menina olhou então para Sebastião, mas este limitou-se a devolver-lhe o olhar, em silêncio... Parecia que aquela missão dependia apenas de si!... Que poderia agora ela fazer? O que estaria a faltar?...


“Aproxima-te Sebastião. Assumiste a tarefa e tudo tens feito para que seja cumprida. Perseveraste e encontraste. Assim é com aqueles que confiam no que dizem as vozes. Aprendeste com o medo a vencê-lo e com fome a ficar mais forte. Deixaste o mundo que te era conhecido em busca de uma visão. Aqui todos vibrámos ao compasso da tua pulsação quando pousaste os teus olhos pela primeira vez naquela da madeixa azul que te aparecia em sonhos.

Foi um momento que grande alegria... E as fronteiras do nosso mundo alargaram-se. Por cada acto de amor dos humanos nós damos um pulo e ampliamo-nos. E a cada encontro de uma alma dividida nasce uma energia, que vos aparece em forma de passáro, encarregue de guiar outras almas divididas às suas outras partes. Os homens esqueceram-se do Amor, Sebastião. É tua missão relembrá-los.

Baixaram os braços e trancaram o coração. Agora, servem-se uns dos outros e escolhem a solidão que mata aos poucos. O Homem está a morrer por falta de Amor. E nós também. A diferença é que nós sabemos. A ti cabe-te levar a verdade. Tens a força. Tens a vontade. Tens Isa que te acompanhará. Ouve-a nas horas mais sombrias pois dela é o Conhecimento.

Por 365 dias deitarás sobre todos os solos a semente do Amor. Por onde passares e com quem te cruzares deverás deixar parte daquilo de que és feito para que cresça e se multiplique mesmo depois de tua partida. Rega com água da Fonte tudo debaixo do céu para possamos unir os nossos mundos. De novo. A escolha é tua Sebastião. Encontrar-nos-emos daqui a um ano.”

E a voz desapareceu ficando no ar um cheiro suave a terra molhada. Choviam pétalas de rosa brancas.


EPILOGO...

"Passou-se um ano... A Terra, lentamente, através da Semente do Amor que foi iniciada por Sebastião e a menina da madeixa azul, a Mãe Terra começou a ficar mais forte... A força que outrora possuía o sequioso imperador, foi-se desvanecendo e, por fim, o seu reinado de terror começou a ruir... As pessoas, tocadas em seus corações por aquele sentimento novo do amor, começaram a amar a Mãe Terra com todas as suas forças... Esse ano passado e tanto a menina da madeixa azul, como seu fiel companheiro de luta, Sebastião, viram todos os seus sonhos e esforços recompensados!...

As árvores começaram a ganhar belas folhas verdes, flores de todas as cores, aromas que impregnavam o ar e inebriavam a mente e os sentimentos... Apareciam animais que há muito haviam fugido para poderem sobreviver...A Terra era novamente um planeta maravilhoso!...

"- Mãe, essa história foi muito bonita!

- Sim, eu sei, minha querida! Tua mãe costumava ler-ma quando eu tinha a tua idade - respondeu a mãe, fechando o livro, de capa vermelha aveludada, onde se via uma antiga foto de uma menina correndo com um guarda sol... e ao fundo, uma linda árvore...

Pousou o livro sobre a mesa de cabeceira e aconchegou a menina entre os lençóis

- Agora, bons-sonhos, princesa! Dorme bem e sonha com um mundo assim!

- Gostei muito da Mãe Terra e da parte que a menina corre na chuva... Mãe?

- Sim querida? - perguntou a mãe, apagando a luz, deixando que apenas o pequeno candeeiro que servia de luz de presença, brilhasse, enviado estrelas azuis e brancas por todo o quarto...

- Como se chama a menina?

- Bem... O livro refere Isa... Mas a tua bisavó costumava chamar-lhe... Shin Tau!...

- É lindo!...E a menina lentamente adormeceu, deixando que o seu Ser Interior viajasse para o mundo dos sonhos, onde conheceu aquela linda menina de madeixa azul, que lhe falava da magia do mundo e da imensidão da existência... De como era bom amar, sonhar e viver de forma sempre bela e maravilhosa!...

Antes de adormecer, a última coisa que viu, foi a lombada daquele muito velho livro vermelho, com sua capa de veludo já muito gasta, e com as palavras douradas que brilhavam sobre a luz das estrelas daquele quarto... "GRIMOIRE"...

quinta-feira, abril 29, 2010

Úrano na casa III? Eu sou livre nas minhas Ideias

Este post estava a ser difícil de parir, mas ganhei coragem e fiz mais uma forcinha e cá está. Espero que esteja do vosso agrado!

As pessoas que têm Úrano na casa 3 vêem a sua liberdade muito envolvida com a sua comunicação, com as relações com amigos e irmãos.
São normalmente pessoas com mentes muito intuitivas, compreendem o mundo através de uma ideia que lhes chega e elas nem sabem muito bem como. É como se um relâmpago as atingisse e iluminasse. Porém, gostam de falar com base em experiência ou apoio técnico, mas não seguem facilmente as opiniões dos outros, não se deixam influenciar.

São pessoas criativas por natureza e muito comunicativas. São normalmente aqueles impulsionadores, os que gostam de improvisar e que normalmente se saem bem. São revolucionários nas suas ideias, podendo dar muito bons inventores. Adoram estar envolvidos em coisas diferentes, estudar assuntos pouco comuns. Têm a mente muito aberta!
É também muito comum ver estas pessoas rodeadas de amigos. As relações sociais são o seu meio natural. A busca da sua liberdade é expressa através desse meio. Procuram através dos grupos evoluir as suas ideias, debater opiniões e conseguir levar a educação, no sentido lato, a um novo patamar.

Estas pessoas têm a bênção no social. Tudo o que fizerem socialmente está condenado a ter sucesso, serão óptimos empreendedores. Tenho uma amiga com este posicionamento e revejo-a bem aqui.

Todavia, se o posicionamento não estiver harmonioso poderá haver muita probabilidade das relações com irmãos serem problemáticas. De sentirem que a sua mente não pára, sempre incansavelmente em busca de algo o que as fará mudar várias vezes de opinião de forma rápida e impulsiva.

E como operam as mudanças com este posicionamento? Deixo esta parte para quem quiser completar :)
Britney Spears, Edith Piaf, Albert Einstein, Nelson Mandela, René Descartes, Tony Blair, Janis Joplin, Johann Von Goethe, Malcom X, Catarina de Aragão, são alguns dos exemplos de famosos com este posicionamento.

Na primeira hora de Sol do dia de Júpiter, S. Hugo de Cluny, S. Pedro de Verona

quarta-feira, abril 28, 2010

Gabarolice

Ultimamente tenho andado a reflectir um pouco sobre a gabarolice. O que é esta característica que tanto me irrita, de onde vem e por que me a espelham os outros? (ultimamente quer dizer desde dia 21 de Julho, momento em que dei início a este post!)
Sou uma pessoa comunicativa, a minha existência no colectivo não faz sentido se não estiver em constante comunicação com ele. Com uma característica destas é natural que muitas vezes os outros me vejam a gabar quando eu estou apenas a ser expressiva. rkrkrkrrk Oh meu Deus!!! Abri a caixa de Pandora

Mas a verdade é que há pouco tempo dei por mim a de facto gabar-me, a ficar toda orgulhosa sobre algo que tenho na minha vida. Quando a ficha me caiu, fiquei envergonhada, oh se fiquei envergonhada!

Eu que detesto isso no meu pai, não é que afinal também sou!!! Chiça, mafarrico!!!

Agora resta-me aceitar e corrigir! Evitar a todo o custo cair nessa parvoíce que é gabar o que tenho. Atenção, uma coisa é dizer o que se tem e o que se faz de bem, outra coisa é olhar em volta, ver os olhares e ter desejo de continuar! Querer a todo o custo cair nas boas graças e que os outros te vejam com aqueles olhos!!! C'orror!!!! Credo!!!! Como é que isto me foi acontecer!

Ah, não pensem que me tenho gabado do dinheiro, do carro e do marido que tenho. Não, não é nada disso! Tenho-me gabado muito daquilo que faço no trabalho, relatado as boas experiências para me sentir bem! Enfim...que vergonha! Será isso um indício de que o medo de perder o que tenho está a surgir e daí a necessidade de o fazer perdurar, contando e revivendo os acontecimentos?!?

Bom, tudo isto para dizer que nesta semana regida pelo Papa, onde a pregação pode ser uma actividade mais focada, é importante compreender onde começa e acaba a gabarolice. Não caiam nesta armadilha do Ego, é feio, muito feio!!! E eu que o diga!

Há algum post aqui que tenham sentido como gabarolice minha?! Estou em pânico LOLOLOLOL

terça-feira, abril 27, 2010

Mantra mágico de Cura: Om Mani Padme Hum

Hoje estou num ponto central a tentar ser um facho de luz, receptor e emissor. A vós os dois, que amo do fundo do coração, envio toda a energia positiva de cura que me chegar!


Curem-se depressa, sinto a vossa falta!

segunda-feira, abril 26, 2010

Oh meu Deus...eu não aguento mais!!!

Shyamalan, Shyamalan, espero que seja desta que regressas!

Meus queridos, estou em pulgas, tão em pulgas que não resisto em partilhar convosco!

Vejam este trailer do filme The Last Airbender, adaptação do manga Avatar, Shyamalan teve de mudar o nome por causa do filme de James Cameron. Já tinha partilhado convosco a excelência deste manga, lembram-se? Não, então vejam aqui! Não se esqueçam de parar a música aqui de lado!



Digam lá que não ficaram com vontade de ver esta magia toda no ecrã??? Ah como gostava de ser Hierofante assim!!!

Chegou o Papa

Ah ah ah mas não é o Ratzinger ... esse é em Maio!!!
Para já teremos o Hierofante, a carta V da Rota do Peregrino, como energia a ser desperta esta semana. Energia do pentagrama, na semana de Ritual da Fertilidade!!! UUUU é festa é festa...na minha aldeia...!!!!

Pois é, Vénus entrou em Gémeos e Mercúrio está retrógrado em Touro, logo sai-nos a carta que representa o signo Touro no Tarot, mas também Hermes/Mercúrio - O Papa!

Para esta semana esperem ainda mais ajudas do que aquelas que tiveram na anterior. O Papa é a ajuda comunicada, verbalizada! Oiçam com atenção as pessoas que vos rodeiam e aprendam com elas. Será uma óptima semana para reflectir em conjunto com aqueles que apreciamos como conselheiros.

Atenção o Papa também nos alerta para a necessidade de pregar sermões, o que dado a conjuntura actual desaconselho!!! Ao menos que se queira chatear com alguém, se assim for, este é o momento ideal!!!

Para esta semana escolho como energia algo que já esteve aqui, Mercury Rev com Opus 40! Espero que gostem e aconselho a ver o vídeo que é simplesmente BRUTAL!!! (hoje estou a tentar afastar as más energias, daí estar tão exageradamente festiva!!!)

A todos uma boa semana com o Papa!

domingo, abril 25, 2010

A Estrela Perseverante

Em termos de Tarot esta semana foi tão repetitiva. Serão efeitos de Mercúrio retrógrado? Obrigando-nos a voltar atrás e rever o que fizemos, alterar erros e aprender lições? Não sei honestamente o que foi mas o 9 de Bastões foi sem dúvida o tema desta semana com a Estrela.

Vamos ver o que Alegria nos ensina sobre isto:
As preparações para a festa de Touro decorreram de forma harmoniosa. A população não se opôs à Vontade do Líder Espiritual que havia chegado até eles. Ordeiramente realizaram as tarefas como alegria lhes propôs.

Assim, o surpreendido foi ele. Ao constatar que afinal todos seguiam as suas directrizes foi obrigado a mergulhar dentro de si e compreender o que o estava a guiar. Aquilo que desejara estava concluído e agora qual o passo que deveria dar a seguir.

Alegria sempre fora um peregrino que agira por desafios, por etapas e oposições. Agora que estava num lugar onde tudo era fluído, não podia deixar de sentir uma ligeira insatisfação. Enquanto a azáfama dos preparativos para Beltane continuava, Alegria afastou-se e foi até uma colina que ficava nem a 100 passos dali.

Sentou-se em posição de lótus, fechou os olhos e esperou que a sua mente se acalmasse. Inspirou e expirou até que os seus pensamentos ficassem todos uniformes, uma mescla de tom vermelho.

Na sua mente uma imagem surgiu, muito calmamente, como se estivesse a sair de um nevoeiro. Era uma mulher, linda, brilhante. Cabelos loiros, enormes, ondulados que lembravam as próprias ondas do mar em formação. Trazia nas mãos duas ânforas, uma em cada. Na testa brilhava uma estrela de nove pontas.

«Procuras mais uma vez conselhos sobre que passo dar a seguir. E eu venho lembrar-te que a partilha da tua água é aquilo que deves sempre almejar. A estrela que te guia dirige-te para a Grande Fonte Eterna.»

«Não compreendo porque consegui o que desejava de forma tão fácil. Receio que me estejam a enganar e que, desejoso de alcançar o objectivo, falhe em vê-lo.»

«A eterna suspeição, a eterna desconfiança dos outros. Porque te haveriam de querer enganar? Achas que brincam com as suas próprias vidas?»

«Não consegui deixar de pensar nisso.»

«O teu receio é outro! Quererás descobri-lo ou desejas apenas que te dê a resposta?»

«Bem sei. Receio não estar à altura de viver este sonho. Habituei-me de tal forma a viver em desafios e a ter constantes obstáculos a superar que agora não sei viver de outra forma. Quando tudo fica tranquilo, eu desconfio. Quando os outros me ajudam, eu desconfio. Quando os outros se opõem, eu transformo-me no meu melhor e dou a volta.»

«Ora aí está! Egriala, aquilo que te faz perseverar não é a necessidade de desafio, mas sim a necessidade de ser útil. Estar em paz e harmonia para ti é uma ilusão, às vezes até uma mentira. Não estará na altura de encontrar paz em ti?»

As palavras foram tão cortantes que Alegria não conseguiu continuar a meditação. Inspirou profundamente e a imagem desvaneceu-se. Abriu os olhos e uma lágrima rolou pela face.
Seria isto verdade? Seria ele merecedor de viver em Paz?

Ergueu-se, ajeitou as roupas, secou a lágrima com o indicador e iniciou a descida até ao vale. Uma pergunta estava agora na sua cabeça: «Seria capaz de perseverar na paz e harmonia?»

A semana com a Estrela foi óptima para mim. Senti que tudo se colocou no sítio certo, na hora certa e no lugar certo. Houve muita harmonia. Todavia, a reflexão de Alegria levou-nos para uma questão central «O que nos faz perseverar?» Será que como ele ainda precisamos de desafios, obstáculos para que a nossa Força se manifeste?

Na primeira hora de Lua do dia de Sol, S. Marcos, S. Aniano

quinta-feira, abril 22, 2010

Desafio da Semana

Hoje trago-vos um desafio maior :) espero que o aceitem.

Partindo da imagem, vamos imaginar uma história, quem sabe conseguiremos criar uma história mais que maravilhosa, mágica!!! Depois criarei um único post com ela, a história de retalhos construída por aqueles que seguem esta corrente de Amor.

Eu dou o início, ok? Vamos tentar dar continuidade ao que os outros escreverem! (espero que consigamos, senão...ficarei um pouquito triste, confesso!)
Algures nos arredores de uma terra longínqua, há muito dominada por um Imperador cruel, havia uma criança que sonhava com outras terras. Imaginava campos cheios de flores, pássaros pousados nos ramos de árvores frondosas, muito coloridos cantavam hinos de alegria. Para a criança tudo isto não passava de sonhos irreais, afinal ela nunca conhecera tamanha beleza, na sua terra tudo era cinza, consumido pela poluição e pelo desrespeito à Grande Mãe. ... (quem se segue?)

Na primeira hora de Sol do dia de Júpiter, S. Sotero, S. Caio, S. Senhorinha, S. Teodoro

quarta-feira, abril 21, 2010

Sobre Vulcões

Recebi um mail com imagem maravilhosas do vulcão na Islândia e já tinha visto aqui uma partilha muito interessante sobre o tema. Senti vontade de falar um pouco sobre este fenómeno que me fascina e aterroriza. Mas acima de tudo que me deixa maravilhada perante tamanha Beleza.

Os vulcões são para mim mágicos, a representação viva de como aquilo que está por baixo dos nossos pés tem vida própria e que infelizmente para a maioria de nós passa despercebido. É a manifestação da Grande Mãe no seu expoente máximo. É uma força bruta que quando explode nos mostra a nossa incapacidade perante tudo aquilo que consideramos garantido. Mas o que fazer, é a Vida a manifestar-se simplesmente.

A propósito disso partilho convosco um excerto do documentário de 1977 do realizador alemão Werner Herzog, La Sufrière. Há um diálogo com um dos habitantes da ilha, o único que a não abandonou, simplesmente inspirador.
Este vulcão acabou por não entrar em erupção, porém, o mesmo não aconteceu na Islândia.



Na primeira hora de Saturno do dia de Mercúrio, S. Anselmo

terça-feira, abril 20, 2010

Úrano na casa II? Eu sou Livre com o que tenho

As pessoas que nasceram com Úrano na casa 2 têm uma questão para resolver com as finanças, as posses em geral. De uma duas: ou são muito agarradas a elas ou estas entram e saem das suas vidas como que por actos mágicos.
Gostam particularmente de experiências, para estas pessoas o material é um grande laboratório onde se podem dedicar a experimentar as mais variadas actividades. É de facto aqui que elas se sentem livres, na experimentação.

Quem for influenciado por este posicionamento poderá, sem dúvida, ter grandes oscilações nos valores morais. Ou são simplesmente pessoas cujos valores diferem daqueles que caracterizam a sua geração.

Para alcançarem a liberdade plenas estas pessoas devem aceitar o inesperado na sua vida, em particular nas suas posses. Compreender que o físico é apenas uma materialização de algo mais profundo e que tudo o que parte voltará para nós se assim nos for útil.

Se Úrano estiver aflito no mapa poderá haver tendências para rupturas com o habitat natural da pessoa, para revoltas infrutíferas, lutas sem causa. Mas, se por outro lado, estiver harmonioso estas pessoas mudarão facilmente o seu habitat natural de forma a encontrar harmonia na sua vida. Além de conseguirem desenvolver grandes capacidades para a gestão financeira sua e dos outros.

Algumas das celebridades com este posicionamento são: Johnny Depp, Leonardo DiCaprio, Uma Thurman, Picasso, Marilyn Manson, Vincent Cassel, Rochelle Gordon, Isabel II, Jeff Buckley, Honoré de Balzac, Paulo Coelho, J.R.R. Tolkien, Sylvia Plath, Samuel Beckett e Franz Kafka.

Na primeira hora de Vénus do dia de Marte, S. Marcelino, S. Inês de Montepulciano

segunda-feira, abril 19, 2010

A Estrela

Ora andavam a desesperar à espera da Estrela ou do Sol, pois cá está ela!

Compreendo perfeitamente porque me perguntavam «Então nunca mais vem a Estrela?» é que de facto a sua energia é tão especial que muitas vezes desejamos que esteja sempre connosco.

Para esta semana, em que o Sol entra em Touro e Mercúrio ficou retrógrado, poderemos contar com uma energia de reprogramação. Para aqueles que ainda não sentiram os efeitos da Primavera, onde a Vontade e o Acção começam a exercer grande força motriz nas nossas vidas, esta é a vossa oportunidade.

A Estrela é um despertar, relembrando-nos que todos somos feitos da mesma matéria, que todos temos dentro a beleza das estrelas. Além disso, poderemos esperar esta semana muitas ajudas físicas e cósmicas!
Não nos podemos esquecer que Mercúrio retrógrado nos tratará algumas dificuldades na comunicação com o exterior, por isso, o melhor mesmo será usar esta energia para mergulhar dentro de nós!

Para quem viu nestes tempos os seus desejos e vontades serem alterados por forças externas, podem espera agora um desenrolar mais positivo das situações.

Como energia sonora para a Estrela e, porque esta semana estarão em Portugal, escolho Sonic Youth com um cover da música Superstar de The Carpenters. Esta música faz também parte da banda-sonora do filme Juno, um filme muito interessante!

A todos uma excelente semana.

Na primeira hora de Sol do dia de Lua, S. Hermógenes, Nossa senhora da Pena e Nossa Senhora dos Prazeres

domingo, abril 18, 2010

De Senhor do Prazer a Senhor da Obra Perfeita

Nesta semana alucinante, com uma quantidade de celebrações e de partilhas amorosas, Alegria andou às voltas com confrontações. Vamos lá ver o que a Temperança nos ensinou.
Com os novos cargos atribuídos Alegria não podia deixar de pensar que a perfeição era um dos seus objectivos. Ambicionava alcançar a perfeição do Amor, que esta nova comunidade conseguisse através dele chegar àquele estado perfeito, acabado. Os ritos deveriam ser tratados com perfeição e não apenas com prazer.

Sentia, porém, que muito trabalho era exigido. Aquelas pessoas com quem se encontrava agora estavam habituadas a um determinado padrão de comportamento, agiam sempre de maneira pré-formatada e ele queria mudar. Como poderia alterar os seus comportamentos sem os forçar. A insatisfação havia ganho algum terreno na sua personalidade ao longo destes poucos dias. O grupo precisava de sofrer mudanças de estado para que pudessem trabalhar em conjunto.

Precisaria da ajuda de alguém. Alguém que conhecesse estas pessoas há mais tempo, que o soubesse guiar nesta nova empresa. Alegria não queria entrar em conflitos e sabia que teria de ser prudente, agindo de forma equilibrada para poder operar as mudanças necessárias.

O Pajem surgiu e não esperou sequer que Alegria explicasse os seus motivos e desatou a apontar dedos e a fazer julgamentos.

«Porque razão queres agora mudar aquilo que até aqui estava a funcionar tão bem? Não sabes que se alguém têm de mudar terás de ser tu? Exiges mudanças quando tu não as fazes?»

Do centro da sua barriga um ardor começou a manifestar-se. Alegria sentia uma concentração de energia e sabia que aquela ira se estava a formar. Se o Pajem continuasse talvez Alegria não fosse capaz de se controlar. Respirou fundo e tentou falar num tom neutro para evitar mais conflitos.

«As mudanças são necessárias. Sou o Sumo-Sacerdote escolhido por vós, seria de esperar que confiassem em mim. Acredito que os ritos devem ser levados a cabo com uma grande dose de emoção, mas constatei que a vossa emoção vos tolda a Vontade de Perfeição. E isso não poderá continuar. É imperativo para a comunidade aprender a almejar o Perfeito, nessa via encontrarão a Emoção mais Perfeita de todas. Por isso quero que mudemos.»

O Pajem não teve reacção. Aquelas palavras ecoaram dentro dele e as suas vibrações operaram a mudança de consciência necessária para esta tarefa. Sentiu a Verdade daquela missão.

«Ter-me-ás ao teu dispor sempre. Lamento a minha impetuosidade, mas como protector do Vale tinha de agir.»

«Assim espero que o faças sempre. Todavia, deves recordar-te que serves o Graal e não o Vale.»

O Pajem saiu e Ela entrou na pequena cabana circular do Sumo-Sacerdote.

«As tuas mudanças estão a provocar um grande alvoroço. Creio que seria importante explicar-lhes os teus motivos. A Liberdade sempre foi um dos valores que nos uniu, eles sentem que lhes estás a impor novos valores e a menosprezá-los, retirando-lhes autoridade.»

«Não posso. Pois cada um deverá usar essa liberdade para tomar a sua decisão. Aceitar ou recusar o que proponho. Se fosse lá fora, facilmente os convenceria, mas a escolha é deles. Eles devem, sozinhos, decidir.»

«Arriscaste a que muitos se oponham e continuem a realizar os ritos como faziam antes.»

«Isso fará também parte da experiência. Alguns de nós só poderão escolher quando experimentarem as duas hipóteses. Alguns precisam ainda de provar para saber. Mas confio que depois disso compreenderão que aqueles que buscam a perfeição se começam a destacar daqueles que apenas buscam o prazer. E isso será a prova suficiente para que escolham mudar.»

«Não consigo ver o fim dessa tua narrativa, mas confio naquele que escolhemos para nos guiar. Seja feita a tua Vontade»

«A Nossa, pois a minha não existe sem a Vossa. Agora vamos. Comecemos os preparativos para a celebração do Touro, de certo que esta busca será mais fácil agora.»

Questionamentos exteriores, algumas oposições à nossa Vontade, mas espero que no fim tenham sido capazes de exercer a vossa Vontade com muita diplomacia.
Houve cura em algum ponto da vossa vida?
Deste lado do espelho relembrei, mais uma vez, como é bom confiar em alguém, que não há problema nenhum em ser guiada de vez em quando.

Na primeira hora de Lua do dia de Sol, S. Gualdino

sábado, abril 17, 2010

Em jeito de agradecimento ...

"O caminho para chegar ao conhecimento da verdade é atravessar o horizonte do temor, servindo."
Pois considero que o caminho está a ser trilhado dessa forma. O temor de sofrer por me entregar aos outros foi ultrapassado e, assim, pude começar a receber todo o Amor que há em mim e que partilho.

A festa de ontem foi um espelho disso mesmo. As mensagens de amor e alegria que chegaram até mim foram a prova de que estava simplesmente a receber aquilo que tenho dado, em triplicado!

A felicidade não é nada difícil de alcançar, basta a medida entre a razão e a emoção ser equilibrada. Que a acção e a inércia coabitem em nós em perfeito estado harmónico. Que a dor não ocupe muito espaço para que o sofrimento não se instale e passe a ser um dos comandos da nossa Vontade.

A todos os que por esta ou aquela razão se encontram ou encontraram no meu Caminho, o meu Muito Obrigada. Ser-vos-ei eternamente grata pelas experiências proporcionadas, as quais usei para crescer e permitir que este pequeno Ser se torne em algo mais luminoso e possa servir a um propósito maior.

Na primeira hora de Mercúrio do dia de Saturno, S. Aniceto, S. Elias

sexta-feira, abril 16, 2010

IUUU...Venham cá

A verdade é que uma festa já não é festa sem vós!!! Por isso, hoje estão todos convidados para a celebração de mais um aniversário, MEU!
Sim, é estúpido celebrar o facto de estarmos um ano mais próximos da morte, mas também é estúpido não celebrar o dia em que decidimos encarnar nesta experiência física. E que bela experiência física ela é!!!!

Estou feliz, sou feliz! Estou contente com a minha vida, com as minhas escolhas, com os amigos e com a família até!!! LOL

Temos uns bolinhos para adoçar a conversa.
E umas bebidas frescas para quem quiser repor os líquidos depois da conversa.
A festa vai ser longa e muito mágica! Espero que se divirtam tanto quanto eu! E que haja muitas surpresas, I'm in the mood for surprises!!! Muitos foram convidados mas será que todos terão vontade de participar?!?
E para aqueles que têm estado sempre aqui, que através de uma corrente de Amor nos temos fortalecido e fortificado laços de Amizade, apenas vos digo:
OBRIGADA por serem tão especiais! Amo-vos! Abraços grandes e até já,

Marisa

UpDate: A manita catita fez um post especial!!! Que VERGONHAAAAAAAA

quarta-feira, abril 14, 2010

Úrano em que casa? Na I - Eu sou livre naquilo que faço

A posição de Úrano na casa indica o tipo de actividade através da qual o indivíduo expressa a sua necessidade de liberdade e criatividade. Assim:

Na casa I

Estas pessoas têm uma grande necessidade de liberdade nos seus comportamentos pessoais. Por se preocuparem muito pouco com os comportamentos convencionais, são muitas vezes vistos como excêntricos, estranhos ou avançados de alguma forma.

Há nestas pessoas um desejo, uma constante busca até por mudanças e excitação. Sendo-lhes muito difícil lidar com a rotina. Poderá haver um desejo de liderar grupos ou associações, desde que estes tenham a ver com ideias pioneiras, diferentes e promotoras de mudanças sociais ou espirituais.

Isto por estarem sempre desejosos de se envolverem com coisas novas, com o Diferente. Poderão, ainda, ser pessoas pouco moderadas, com tendências a andar sempre a tocar os extremos e de o fazer com muita rapidez. Não estranhem que mas suas actividades diárias elas pareçam um pouco loucas e inconstantes, é a sua forma de buscar essa liberdade criadora.
No caso de Úrano se encontrar aflito, (não, não é para ir à casa-de-banho, significa se tiver aspectos com outros planetas que não sejam harmoniosos) estas pessoas podem ser guiadas por um desejo de liberdade pouco construtivo. Essa ânsia pode levá-las a passar por cima dos outros sem qualquer hesitações sequer, fazendo com que isso seja um objectivo e não um meio para atingir um fim.

Porém, se os aspectos forem harmoniosos, estas pessoas podem ser verdadeiros génios cujas descobertas serão extremamente importantes, seja qual for o campo de trabalho.

Diz Lisa Morpurgo sobre este assunto:

«A personalidade afirma-se no espírito da decisão volitiva que se exerce no Hoje com uma capacidade perene de agir, de romper as barreiras, de mudar. É uma personalidade assaz drástica, por vezes cansativa para os conviventes, sujeita a contínuas crises de renovação, muitas vezes susceptível e irascível. Características negativas: inconstância, incoerente na acção. Decisões efémeras e vontade de acção frustrada.»
Alguns famosos com este posicionamento são: Madre Teresa, Bill Gates, John Lennon, Kurt Cobain, Isaac Newton, Beyoncé Noles, Mel Gibson, Jean-Sébastien Bach, René Magritte e os meus queridos Aleister Crowley e Nikola Tesla, dois grandes exemplos de genialidade!

terça-feira, abril 13, 2010

De Úrano

Úrano, deus grego que representa o céu, responsável pela criação de vida sobre Geia (Gaia ou a Mãe Terra), vinha todas as noites cobri-la. Porém, odiava as crianças que Geia gerava, com medo que a história se repetisse, isto é, que os seus filhos o destronassem como Caos fora destronado por Érebo e este pelos seus filhos.

Geia não gostava da forma como este os tratava, por mais assustadores e disformes que os seus filhos fossem, não mereciam ser aprisionados no seu ventre impossibilitados de ver a luz do dia. Desta forma, começou a incitá-los à revolta. De todos, apenas Cronos (Saturno, o mais novo)achou boa ideia e com uma foice atacou o pai, castrando-o.

Todavia, mesmo na sua morte, Úrano continuou a ser um criador e do seu sangue derramado sobre Geia nasceram os Gigantes, as três Erínias, as Melíades e, segundo alguns, os Telquines.
A partir dos testículos lançados ao mar nasceu Afrodite - a deusa do Amor e da Sexualidade.

Esta pequena história sobre este deus tem como objectivo levar-nos a reflectir sobre o nosso Úrano pessoal, falo, é claro, de astrologia.
(imagem daqui)

Aquilo que sobressai desta aventura mitológica é a força de criação que Úrano reservava, pois mesmo num momento de ataque ele continuou a gerar criaturas. Assim é com o planeta.

Úrano no nosso mapa representa o nosso lado criativo, a excentricidade, a originalidade e a capacidade que temos ou não de a colocar em prática. É muitas vezes sinónimo de pessoas revolucionárias, anarcas, regula todos aqueles que se oponham às formas estabilizadas e preconcebidas que toldem a visão única e pessoal do indivíduo.

Creio que Úrano é um planeta de alerta pois num mapa ele pode assinalar alguns dos campos em que temos de batalhar, campos importantes como a individualidade e as nossas necessidades amorosas que nos levam para o outro. Representante também da nossa liberdade, coisa que o deus não conseguia dar aos seus filhos e de certa forma das nossas capacidades inatas para resolver karmas.

Úrano é, porém, um planeta transpessoal e, por isso mesmo, não terá muita importância para cada pessoa a análise perante o signo onde se encontra, mais importante será a sua casa. O signo que recebe este planeta tem a ver com uma geração de pessoas e não apenas com a fulana que nasceu no ano tal, dia tal, às tantas horas. Pessoas com a mesma idade ou com diferenças entre os sete anos, poderão ter Úrano no mesmo signo, uma vez que este planeta leva por volta de 7 anos a completar a sua transição num signo.
(imagem daqui)

Sendo o planeta regente de Aquário, torna-se mais fácil de compreender a função que ele tem no nosso mapa. Além de romper com as amarras e todas as restrições à possibilidade de manifestação da nossa essência criadora e individual, Úrano age perante o inesperado, as mudanças bruscas, os rompimentos rápidos de forma célere, para que o indivíduo possa rumar para o colectivo.

Se Úrano tivesse compreendido que aprisionar os seus filhos por medo que a história se repetisse era apenas uma forma de estar a dar terreno para que ela acontecesse de facto, teria oferecido a liberdade e mantido a sua capacidade criadora. Que sirva de lição a quem deseja ter algo na sua vida, o medo e a posse apenas nos mantém aprisionados à eterna roda cármica.

Resumindo, Úrano pode guiar-nos a uma personalidade mais livre e única, pronta para ser entregue nos braços da onda cósmica, despertar a centelha divina que habita em nós. Para isso, deveremos largar os medos e actuar nos campos onde Úrano nos indica pois é lá que reside a nossa capacidade para aceitar as mudanças súbitas, para dar ouvido às necessidades espirituais e para desenvolver o SER.

Em guisa de conclusão, Úrano está para nós como a estrela esteve para os Reis Magos. Peço agora aos meus queridos amigos astrólogos que corrijam, complementem ou aprovem estes dados, pois como sabem, a minha iniciação é recente e posso estar a interpretar menos correctamente.

Em breve espero colocar textos de interpretação de Úrano nas casas. Até lá, beijocas!

segunda-feira, abril 12, 2010

Temos de ter TemPerança

A Temperança será a energia desta semana. Depois das escolhas vamos agir em equilíbrio e decidir, julgar, avaliar em consciência.

Será uma semana com algumas atribulações, em que o jogo de cintura será uma arma muito utilizada. Será preciso respirar fundo várias vezes ao dia e centrarmo-nos naquele ponto de equilíbrio interior.
Durante esta semana também é possível sentir que as experiências anteriores serão consolidadas, como se tivéssemos colocado todos os ingredientes no grande caldeirão interior para fermentar, ganhar consistência e agora dar a partilhar.

É uma semana gira aquela que vejo pela frente...para mim mais um ciclo que se encerra e outro que reinicia :)
Para uma semana assim, e depois de prometido a mais uma das almas que se juntou ao grande Anel do Amor, Radiohead é a banda escolhida com uma música unreleased Spooks, apenas instrumental, e depois uma de Thom Yorke, do álbum The Eraser, Cymbal Rush.

Have fun!

domingo, abril 11, 2010

A Escolha e a Liberdade

A semana dos Amantes chegou ao fim. Foi uma semana peculiar nas acções. No final ainda tive oportunidade para ser confrontada com acontecimentos inesperados, que me revelaram muito sobre o meu EU. Bateram-me no carro a sério (ninguém se magoou) e aquilo que mais chateou foi como isso ia alterar a minha rotina das próximas semanas. Controlfreek!

Mas vamos lá ao Alegria que isso é que interessa.

Alegria estava um pouco confuso com aquela situação. Porque lhe chamavam Sumo-Sacerdote depois do Ritual? Não compreendia muito bem o que se passara e isso perturbava-o.

Apenas se recordava daquela sensação de bem-estar quando despertou do aparente transe ritualístisco. Da cara Dela. E um calor, uma chama pequena, revelou-se no seu centro cardíaco. Alegria sentia que Ela era uma pessoa importante para si. Sempre que pensava nela aquela chama manifestava-se, chegando até a ficar com uma erecção muitas vezes.

Mas hoje não podia pensar nisso. Tinha uma decisão a tomar e não se podia desviar desse intento. Porém, curiosamente não se conseguia concentrar, não conseguia usar a sua racionalidade para pensar sobre o assunto de ser ou não Sumo-Sacerdote desta comunidade. Aquela chama no coração não se apagava. Ao contrário, até, cada vez mais estava presente.

Então, depois de muitas tentativas para clarear a mente, Alegria decide auscultar aquela chama. Foi assim que um diálogo muito bizarro ocorreu dentro dele.

«O que buscas?»

«Uma resposta.»

«Para o quê?»

«Devo ou não aceitar esta situação?»

«Qual o teu desejo de Ser?»

«Viver em pleno estado de Amor constante.»

«Isso para ti ainda é difícil. Vives em estados intermitentes de contacto com o Amor Universal.»

«O que posso fazer para mudar essa situação?»

«Entrar no grupo. A vivência desse Amor só é possível através da união de várias energias que busquem a mesma coisa. Mas afinal que buscas mais?»

«Não sei?!?»

«Buscas o reconhecimento desse grupo. Por isso tens falhado e optaste até aqui a seguir um caminho solitário. Reconhece que sempre que te relacionas desejas secretamente comandar e ser reconhecido como comandante. »

«???»

«Negar a tua essência é negares-te a oportunidade de crescer.»

«Mas se assim agir, não estarei a permitir que o meu Ego destrua o dos outros. Isso não é algo muito bonito e não é de todo o meu desejo.»

«Apenas fazendo poderás aprender. Não podes recusar experimentar essa faceta pois se a dominares e evoluíres espiritualmente ela guiar-te-á ao teu verdadeiro Eu – ser Rei.»

«Rei? Queres dizer ter as capacidades de um Rei.»

«Não! Quero dizer o que disse, ser Rei! Aprender a comandar e ser capaz de avaliar e visualizar as consequências dos teus actos com antecedência. Agir no momento certo e escolher com prudência, pensando primeiro no bem comum. Isso é ser Rei.»

«Mas isso que dizes está tão longe de quem eu sou.»

«Porque boicotas as experiências que te levam a esse novo ser. Sempre que algo imprevisto ocorre usas a tua racionalidade para compreender as coisas e ao fazê-lo escondes as verdadeiras razões das acções pois usas o controlo mental para tudo. Aprende a retirar-te do centro das experiências e a colocares-te no centro de ti – o teu coração.»

«Receio que nessa tentativa os outros possam sofrer.»

«Isso nunca poderá ser desculpa para a tua inactividade. Deves fazer o teu caminho tendo os outros em consideração, mas que isso nunca seja desculpa para não fazeres algo. Se o não fizeres, assume a tua responsabilidade e não as apontes aos outros. É sempre uma escolha tua.
Neste momento podes escolher entre agir ou ficar no teu canto. Apenas perderás mais uma oportunidade, que isso te fique gravado na memória.»

«Quero ser livre para me expressar. Receio que isso seja difícil nesta nova situação. Esta posição está cheia de vícios, de ideias preconcebidas que podem divergir das minhas. »

«Podes sempre reformular! A mudança e a liberdade estão de mãos dadas, não consegues uma sem a outra.»

«Obrigada.»

Quando tudo se silenciou Alegria sabia que resposta haveria de dar aos seus pares. Iria aceitar, sem dúvida, esta nova situação. Iria dar o seu melhor para que tudo funcionasse. Sentia dentro de si que esta experiência lhe iria dar o equilíbrio necessário para aprender a ser Rei.

Esta foi a semana do Alegria, muito foi descoberto sobre o seu funcionamento. Foram os desejos secretos revelados e os medos expostos e uma nova escolha feita.
E nós? Escolhemos algo esta semana? Decidimos algo? Fizemo-lo seguindo o coração ou a razão?

Do meu lado foi tudo muito interior. Escolhas feitas ao nível da consciência. Inconscientemente também. Mas no fim, a sensação foi a mesma – irei conseguir esse equilíbrio perante o grupo.

Para ajudar a compreender este diálogo aconselho a darem uma vista de olhos no vosso mapa astral e compreender a posição que Úrano nele ocupa. Acreditem, ajudar-vos-á a saber onde devem agir com prudência depois destas escolhas. Afinal, ninguém quer que o seu Eu desapareça em prol dos outros, certo?

sexta-feira, abril 09, 2010

O Ideal


Nunca poderá ser pálida bonequinha,
Produto sem frescor qual manequim de molas,
Pés para borzeguins, dedos p'ra castanholas,
Que há-de satisfazer almas como esta minha.

Eu deixo a Gavarni, poeta de enfermaria,
Seu rebanho gentil de belezas cloróticas,
Porque nunca encontrei n'essas plantas exóticas
A rubra flor que anela a minha fantasia.

Meu torvo coração, na angústia que o oprime,
Sonha Lady Macbeth, alma fadada ao crime,
Pesadelo infernal que um Ésquilo criou;

E contigo também, ó Noite grandiosa,
Filha de Miguel-Anjo, esfinge misteriosa,
Sereia colossal que algum Titã gerou!

Charles Baudelaire, in As Flores do Mal


quarta-feira, abril 07, 2010

Da Lua à Morte renasce um novo Ser de Luz

Finalmente e depois de grande ansiedade e desejo, chegou o Alegria. relembro é a Viagem de duas semanas, o fim de Março e o início de Abril. Vamos lá num regresso ao passado!
Quando Alegria acordou daquela noite de purificação sentiu que o seu interior estava diferente, mudado. A sua mente estava clara e calma, o seu coração sereno e confiante. Mas havia algo que ele ainda não conseguia rotular, uma sensação diferente. Dentro de si germinava algo, o quê, ainda não sabia.

Sentia-se focado, toda a sua energia estava direccionada para um novo empreendimento, mas a verdade é que ainda não sabia qual era. Uma certeza residia, porém, era algo concreto que iria terminar com a divisão do seu ser em mental e emocional.

A Sacerdotisa aproximou-se e sorriu, dizendo apenas com o olhar como estava feliz por o ver restabelecido. E o quanto o amava.

«Estamos todos a preparar a festa da Primavera. Quererás encontrar algo em que possas ser útil?»

Alegria olhou à sua volta e viu todas aquelas pessoas atarefadas, carregando comida, bebida, madeira, roupas e flores. Os animais deambulavam livremente pela praça, as crianças corriam umas atrás das outras com grinaldas nas mãos. Imediatamente sentiu um impulso, dirigiu-se aos homens que cuidavam da madeira e ofereceu a sua ajuda.

Toda a tarde se dedicou a cortar a madeira para as fogueiras dos ritos que iriam acontecer nessa noite. Sentia-se em casa, uma sensação como há muito não tinha, nem mesmo quando estava na casa onde crescera. Apesar de saber que dentro dele algo morrera, estava feliz, muito feliz. Sentou-se um pouco a beber cidra e deu por si a observar os homens com quem estivera toda a tarde a labutar.

Curiosamente não havia reparado em como as suas características físicas eram similares às destes homens que acabara de conhecer. Enormes, musculados, devido às tarefas exigentes daquela vida, barba cerrada e olhos escuros, estes homens eram de facto muito parecidos com Alegria. Seriam eles também antigos Caminhantes que aqui se quedaram a descansar da viagem?

Enquanto os observava deu por si a pensar que se essa fosse a forma que o seu aspecto iria tomar até nem estaria muito mal.

«Serei um Cavaleiro servente do Graal muito diferente daquele que imaginei no início deste caminho.» E riu-se recordando a imagem do Eremita que inicialmente imaginou e esta. Como havia mudado. E como rejubilava por ter compreendido essa mudança e permitido que ela acontecesse.

A noite do ritual havia chegado e Alegria poderia assistir, ainda não se sentia preparado para participar nos ritos, desejava apenas assistir como fizera numa outra vez. E assim foi.

A noite estava perfeita, quase irreal de tão similar com as imagens que ele virá em livros de magia. Tudo no seu lugar, como se tivesse sido preparado ao milímetro. Até o seu lugar era perfeito, não muito longe do círculo de forma a poder ver sem estar dentro dele.

As Sacerdotisas chegaram com as suas vestes azuis cristalinas, com as tiaras usadas em respeito pela sua tradição. As suas caras eram solenes e o público, inspirado por elas, modificou o seu comportamento. Cada gesto executado, desde o empunhar a vara para fechar o Círculo ao aspergir o lugar para purificação, era perfeito, exímio na sincronização. Aquilo era um sonho.

Mas Alegria não sabia o que o esperava, essa sua atitude de apenas assistente estava prestes a ser alterada. Quando o Ritual da Primavera teve início, Alegria foi empurrado para dentro do círculo por um cotovelo irreconhecível. Ao pisar o terreno sagrado tudo se modificou.

A Sacerdotisa deu lugar a uma figura mefítica cuja presença o deixava aturdido. Reconquistando o equilíbrio, ganhou força para a encarar e quiça descobrir que fora uma partida dos seus sentidos.

«Muitas vezes afirmaste que seguirias o Graal onde quer que ele te levasse e assim cumpriste. Outras tantas foste chamado de Louco e Sonhador mas continuaste afirmando que servirias o Graal nem que essa fosse a tua Morte. Pois eis-me aqui e agora para cobrar essas palavras. Estás pronto para morrer?»

«Sou esse Cavaleiro do Graal que anuncias. Não sou Louco nem Sonhador, apenas sigo a minha visão de mim próprio. Já bebi do Graal e por ele estou disposto a morrer sim!»

«Assim seja!» E de um só golpe a figura da Morte ergue o seu Bastão e, carregando-o com o máximo de poder possível, inicia a descida que irá retirar a vida do corpo de Alegria.

Este, num breve nanossegundo, recorda todas as ajudas que teve dos Irmãos do País da Luz e a certeza instala-se no seu ser, também agora eles não lhe falharão. Todavia, o seu cérebro é invadido por um pensamento latejante. Havia ainda tanto que desejava fazer, o Graal havia sido provado mas ainda poderia oferecer mais, não era a sua altura de morrer.

Quando encarou a figura hedionda que o ameaçava ela havia desaparecido. Na sua frente estava Ela com aquele olhar de quem está feliz por o reencontrar, como se não se vissem há muito tempo.

Estende-lhe a mão dizendo « Que alegria nos dás por teres voltado. Finalmente te reconhecemos e estamos prontos para dar início ao Ritual com a tua companhia. Sê Bem-vindo!». E todas as cabeças se baixaram em reverência ao Sumo-Sacerdote que havia chegado.

Assim foi a viagem da Lua à Morte empreendida pelo nosso Peregrino. A minha foi bastante similar, aprendi a aceitar a minha Lua, deixei de temer os sonhos e as irrealidades, confio em mim. No fim, tudo se resumiu a uma dança interior onde se transmutou o velho em novo, usaram-se as antiguidades para construir art déco.

E vós? Sentistes a Lua, germinou algo em vós? Aceitaram o convite da Morte e dançaram? Foi uma bela viagem esta, valeu a pena a espera?

Na primeira hora de Sol do dia de Mercúrio, S. Epifânio, S. Elvira

segunda-feira, abril 05, 2010

Depois da Morte as Escolhas em Amor

Nesta semana depois da Páscoa e da sua simbologia em paralelo com a Morte que nos acompanhou, chega a energia 6 da Rota do Peregrino - Os Amantes.

Para esta semana podemos esperar muitas situações em que teremos de fazer escolhas. Bem sei que as fazemos todos os dias...mas estas...terão uma importância maior no desenrolar da nossa história pessoal, por isso atenção.

Posso deixar um pequeno conselho, estas escolhas deverão ser feitas de forma contrária ao que estamos habituados, i. e., se habitualmente fazemos escolhas baseados na nossa intuição, é o momento para fazê-las com a razão. Se pelo contrário fazemos escolhas usando o coração, vamos lá fazer o oposto e usar a mente.
É que estas escolhas têm muito que se lhes diga pois vêm depois de uma Morte, é momento de nos testarmos.

Para esta semana era para escolher uma banda que já aqui esteve The National. Mas quando estava a escrever o santo do dia lembrei-me de outra, que ainda aqui não teve o destaque merecido. Em jeito de graça escolho a música Marry Me do álbum homónimo e Jesus Saves, I Spend, fiquemos com St Vincent.

O Alegria a está ser preparado com muito cuidado...e agora vou ter com o OM e continuar a desfrutar das férias!

Na segunda hora de Sol do dia de Lua, S. Vicente Ferrer

quinta-feira, abril 01, 2010

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...