domingo, novembro 27, 2011

Os amantes íntegros


A semana com Os Amantes começou como um desafio, foi assim o início. A energia instalada era mesmo essa, o que estava em jogo? Estaríamos prontos para o combate?

Quando se entra num combate a primeira coisa que as cartas nos dizem é que devemos analisar o que podemos perder, colocar sobre a mesa o pior caso possível. Sem nada a perder o jogo é mais fácil. Com consciência do que está em jogo podemos assim aplicar a paixão, essa emoção tão ativa e, muitas vezes, tão mal usada.

A paixão é perigosa, sim, é verdade. Contudo, quando sabemos os seus limites, isto é, que pode levar-nos a grandes atos altruístas e corajosos, mas ao mesmo tempo a sentir os piores dos sentimentos, inveja, ciúmes e ser, por isso mesmo, destrutiva; acabamos por conseguir usá-la para aquilo que desejamos.
Um bom sinal, aprendido com as cartas para testar se estamos ou não a aplicar bem essa paixão, é compreender se o nosso adversário, se o objetivo da nossa luta, somos nós ou o Outro.

Quando a nossa seta está apontada para outro que não nós, acabamos por usar meios menos dignos de quem busca a sua verdade. Escolher o caminho menos claro nunca pode ser uma solução para quem deseja com os Amantes aprender a ouvir quer a cabeça quer o coração, a fazer esse casamento alquímico entre o que é o desejo e a razão.

Com essa capacidade adquirida as decisões são tomadas mais facilmente, porém, é sempre preciso prudência, pois, por vezes, muitas vezes, até, os planos não correm como desejávamos. A semana termina ensinando-nos que se perdemos o combate, não devemos fugir em vergonha, mas retirarmo-nos para praticar, para nos tornarmos mais fortes, pois os combates nunca terminam. Se não vencemos desta, não vale a pena desistir, pois na próxima estaremos mais fortes e mais experientes, criando assim maior probabilidades de sucesso.

No I-Ching temos o número 63 - Após a Conclusão:


O oráculo 
Após a Conclusão. Sucesso em pequenas coisas.
A perseverança no curso correto traz recompensas.
Boa sorte no começo, desordem no final.
Conselho
O homem nobre reflete sobre o infortúnio e se previne de antemão contra ele.
Interpretação
As forças antagónicas, quando em atrito, geram energias necessárias ao homem e ao cosmo. Por serem hostis, essas forças exigem a máxima atenção para que possam ficar em relativo equilíbrio e evitar os danos. Mesmo quando tudo parece em ordem, o sábio reconhece os sinais do perigo e sabe como afastá-lo, graças às precauções tomadas no momento oportuno.

Ao somar o Arcano Maior obtemos o 15 - Modéstia:

O oráculo
A Modéstia traz sucesso.
O homem nobre leva seus empreendimentos até o fim.
Conselho
O homem nobre reduz o que está excessivo e aumenta o que está insuficiente.
Ele avalia e distribui as coisas pela justa medida.
Interpretação
O homem íntegro volta seu empenho para harmonizar as coisas que se encontram no seu âmbito de ação. Pondera cada facto e circunstância de modo a estabelecer um equilíbrio entre as partes. Trata-se de uma tarefa que exige sobriedade e disposição para servir ao bem comum, sem sobrepor a sua pessoa. A imagem da modéstia encontra-se aqui no facto de fazer parecer natural e fácil aquilo que exigiu um longo trabalho.

Na terceira hora de Sol do dia de Sol, Nossa Senhora da Medalha Milagrosa, S. Margarida de Sabóia
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...