segunda-feira, fevereiro 28, 2011

O Mundo a nossos pés

O início de Março começa com o Mundo. Será um fim de ciclo? Acredito que esta carta nós traz muito boa energia, principalmente porque vem imediatamente a seguir ao Dependurado. Fizemos sacrifícios, descobrimos a nossa chama adormecida e agora temos o Mundo a confirmar que tudo o que está para acontecer, acontecerá.

Esta semana podemos esperar muito boas ondas a vir no nosso caminho, sendo, por isso, um momento ideal para nos dedicarmos a estar em paz e alegria. Celebrar é a palavra de ordem. Para aqueles que estão sempre em necessidade de alguma coisa em vista (como eu) esta semana será boa para reflectir sobre as ligações da nossa vida - encontrar o fio à meada. 
Como energia sonora escolhi While I Shovel The Snow de The Walkmen, uma música e banda que nos lembram a importância do todo! Estava a fazer uma visita aqui e achei ideal para este Mundo!

Well today there's clarity
And tonight I see tomorrow
All at once the winter's here
All the lochs are frozen over
As I look in back of me
See a shape beside the walkway

Afastemos o frio da nossa alma e acolhamos o calor do Uno! A todos uma semana em grande, como o Mundo!

Na terceira hora de Vénus do dia de Lua, S. Leandro

domingo, fevereiro 27, 2011

O Caminho da Verdade


Quando o Sol se levantou, Alegria perguntou a si próprio «Qual é o melhor caminho, agora? Qual das veredas deverei tomar?» Alegria sentia-se um pouco como Palomides, eternamente dividido em buscar o Graal ou perseguir a sua amada.

Não valia a pena dar justificações por todas as vezes que desejara estar com ela e se recusara. Alegria simplesmente se escondia por trás de princípios que já nem ele compreendia, mas que usava a seu bel-prazer sempre que necessário para esconder a sua inércia.

Como sempre, decidiu parar e meditar para obter uma resposta mais fiável sobre qual o melhor caminho naquele momento. Sentou-se, cerrou os olhos, controlou a respiração e entoou a canção do fogo...Uma aragem penetrou a totalidade do seu corpo e Alegria estremeceu.

«Muitos chegam até mim exigindo Justiça. A minha resposta é eternamente a mesma e provém da Terra,  obedecendo primeiro às Leis Naturais. O que buscas está dentro de ti e apenas em ti reside a chave dessa porta. Olha para os caminhos e vê qual deles tem mais Luz. Aquele que emanar mais luminosidade será aquele que te levará ao caminho da tua descoberta. Não busque no outro aquilo que ainda não tens. Só tu poderás abrir a porta que se encontra cerrada. Se ela ainda permanece assim, deverás questionar-te sobre se a tua Verdade te está a levar lá dentro ou se o teu medo te mantém à porta.»

O diálogo entre Alegria e aquele Ar que o evadiu durou por muito mais tempo. As perguntas e respostas foram muitas, no fim, Alegria estava exausto e decidiu dormir mesmo ali, debaixo da lua da Lua que era já fraca. No entanto, depois daquela conversa o seu coração estava mais sereno. Ainda não sabia qual dos caminhos iria escolher, mas sabia que seria aquele que o lavaria ao caminho da Justiça.

Quando acordou dos seus lábios saíram as seguintes palavras: «Levanto-me com a esperança da aurora, ao serviço da Justiça. Eu oiço a sua voz e sigo-a onde quer que me guie.» 

Olhou os dois caminhos, distorceu a visão para conseguir ver de outra forma e decidiu. «Irei para aquele! Este caminho é o caminho em que as lutas, as dificuldades, serão combatidas e provocadas por mim. Aqui serei eu a escolher as minhas batalhas e a decidir as minhas derrotas. Escolho fazer o caminho da Verdade, aquele que me levará cada vez mais próximo do meu eu verdadeiro. Isolo-me e não quero rivais. A única pessoa que está no meu caminho sou Eu mesmo.»

Pegou nas suas tralhas e seguiu. Um pensamento bem forte surgiu na sua mente. Ele levantava-se com a esperança da aurora, isso já era uma prática comum, mas agora precisava de reaprender a deitar-se de coração tranquilo. Era importante que as suas más ações fossem corrigidas a tempo e que o coração andasse leve e limpo todo o dia. O deitar seria agora um momento que deveria dar mais atenção.

Era mais fácil quando partilhava a cama com a sua esposa, ela trazia-lhe aquela sensação de calma. Não havia medo, inquietação ou tristeza que perdurasse quando Isis o abraçava no leito. Imediatamente se lembrou que não podia estar à espera de encontrar nos outros competências que ele deveria ter. Era esta a razão principal porque escolhera fazer o caminho que o levaria a estar só.Precisava encontrar as suas armas, todas elas, antes de se dar totalmente a alguém. Só assim poderia partilhar o seu verdadeiro Eu.

Foi nestes pensamentos que Alegria encontrou a Árvore e nela um homem encostado. Todavia, este homem não estava na posição de sentado, estava a fazer o pino. Cabeça no chão, braços em triângulo por baixo da cabeça e as plantas dos pés horizontais em sentido do céu. Sentiu um pequeno sinal de alerta dentro do deu, um pequeno aperto no plexo solar. 

Não obstante, decidiu saudá-lo, cortesia de caminhantes educados, e oferecer a sua ajuda. Mas do outro lado, veio o silêncio. 

Estaria morto? Estaria a dormir? Deveria insistir ou prosseguir a sua viagem? Na verdade apetecia-lhe ficar um pouco a descansar e aquela árvore transmitia energia de tranquilidade. Sentou-se e cumprimentou novamente o estranho. Mais uma vez, silêncio foi o que obteve.
Ali se manteve sossegado durante um momento de longo duração, na verdade quase lhe pareceu uma eternidade. Havia algo naquele homem que o deixava inquieto.

Deu por si a pensar nele. Quem seria e por que estaria em tão desconfortável posição? Estaria a ignorá-lo ou não se apercebera da sua presença, dado a sua compenetração no que fazia? E Alegria continuou a fazer perguntas, para as quais não conseguia resposta, sobre aquele dependurado. Quando os músculos das suas pernas se revelaram mais relaxados, decidiu levantar-se e continuar o seu caminho.
Olhou para trás e, com um sorriso de gozo, agradeceu a companhia. 

Para sua surpresa o Dependurado abriu os olhos, saiu da sua posição, levantou-se e agradeceu-lhe. Ao que parece havia muitos anos que ali estava, pela sua forma diferente de estar as pessoas evitavam sentar-se ali e descansar, apesar da energia positiva que aquela árvore emanava. Ninguém, durante anos se atrevera a permanecer um pouco com ele. E no fundo, era tudo o que ele queria, um pouco de companhia. 

Alegria não sabia, mas o homem conseguira ouvir todos os seus pensamentos. Esta qualidade havia sido adquirida durante os anos em que permaneceu em silêncio e que, pela força da necessidade, aprendera a ouvir os outros de outra forma. Estava tão feliz que nem parecia que não falava há anos. É que a sua prova final neste planeta era essa, conseguir que alguém falasse com ele, mesmo com toda a sua energia de perigo a ser emanada de si.Alegria fora o único que vencera a barreira energética e se sentara. 

O nosso Peregrino sentia-se ridículo pois estivera ali apenas para descansar e no fim ainda gozara com ele. Mas o homem não parava de o elogiar e dizer que ele se devia sentir orgulhoso por ter passado tamanha prova e revelado um espírito tão nobre. Feitas as despedidas e cada um seguindo para o seu caminho, Alegria teve tempo ainda de ouvir: «Estás verdadeiramente no caminho da Justiça! Passaste a prova da Verdade!»

Na terceira hora de Sol do dia de Sol, S. Torcato, S. Custódia

sábado, fevereiro 26, 2011

Definição da Magia

 - Vistes alguma vez um fiacre transitando pelas ruas de Paris?
(...) se observaste atentamente esse fiacre, estais em condições de aprender rapidamente a mecânica, a filosofia e, sobretudo, a magia. Ora aí está.
Se a minha pergunta e, principalmente, a minha resposta vos parecem absurdas, é que  não sabeis ainda observar. Olhais, mas não vedes: experimentais passivamente sensações, mas não tendes o costume de as analisar, de procurar as relações das coisas, mesmo as mais insignificantes na aparência. Sócrates, vendo, um dia,  passar nas ruas de Atenas um homem carregado de lenha, reparou na maneira artística com que as achas estavam dispostas. Encaminhou-se para o homem, dirigiu-lhe a palavra e fez dele Xenofonte. É que Sócrates via com o cérebro mais que com os olhos.
(...)
O que vos deve interessar em um homem não são as suas vestes; é o caráter, o modo de agir desse homem. As roupas e, principalmente, a maneira de usá-las, podem, quando muito, indicar a educação do homem, e não são mais que reflexões das imagens mais ou menos exatas da sua natureza íntima.
Ora, todos os fênomenos físicos que ferem os nossos sentidos não são mais que reflexos das vestes de princípios bem mais elevados: as ideias. Este bronze que está diante de mim não é senão a roupagem com que o artista revestiu a sua idéia; aquela cadeira que lá está é também a tradução física da idéia do artista e, em toda a natureza, uma árvore, um inseto, uma flor, são traduções materiais de uma linguagem toda ideal, no verdadeiro sentido da palavra.
Esta linguagem é incompreendida do sábio, que só se ocupa com a aparência das coisas, dos fenômenos e que já que tem muito que fazer; os poetas, porém, e as mulheres compreendem melhor que ninguém esta linguagem, pois os poetas e as mulheres sabem intuitivamente o que é o amor universal.
Veremos, dentro em breve, por que a magia é a ciência do amor. (...)
Papus in Tratado Elementar de Magia

Na segunda hora de Saturno do dia de Saturno, S. Cesário, S. Porfírio

domingo, fevereiro 20, 2011

Um dia em fotografia

Fresquinha, fresquinha. É assim que gosto dela!
Acompanhada de uns doces diferentes...
E mais um filme numa tarde dedicada ao dolce far niente.

Basicamente hoje dediquei-me aos prazeres...o Alegria terá de ficar para outro dia. Hoje repus as baterias sensoriais para a semana do Dependurado ser menos ... complicada exigente.

A todos uma excelente semana a ver o mundo ao contrário!

Na terceira hora de Vénus do dia de Sol, S. Eleutério, S. Raimundo

sexta-feira, fevereiro 18, 2011

Lua em Virgem e a digestão

A lua em Virgem aciona o eixo 6-12, onde se encontram os instrumentos que necessitamos para viver esta experiência única - a viagem.
Durante os três dias que estaremos a receber a energia da Lua com as características de Virgem, podemos aproveitar para tomar conta dos órgãos que estão relacionados com a digestão. Já é de aceitação mais ou menos geral, que a manifestação física de uma doença, é um sintoma de um mal que habita no nosso interior espiritual. Muitas vezes são formas-pensamentos tão enraizadas que se torna difícil a sua cura sem a utilização de medicamentos fortes. Noutras são questões kármicas, herdadas em família, que nos acompanharão para o resto da vida, mas isso não quer dizer que não possamos mantê-las sob controlo.

Problemas intestinais ou relacionados com o pâncreas, de obstipação ou diarreia e de excesso de peso podem ser ajudados a limpar nas lunações em Virgem ao longo do ano. 
Numa primeira fase identifiquemos as formas-pensamento: «Não tenho tempo para digerir isto tudo que me está a acontecer.» «Viro a cara e depois logo se vê.» «Estou entediado!» «O passado tem mais para me oferecer que o presente ou o futuro.» «Supérfluo? Nada é supérfluo.» «Como posso proteger os meus sentimentos?» «Jamais vos perdoarei.» «Nada me deixa feliz.» 
Em seguida, devemos eliminar essas frases da nossa vida, encontrando as situações particulares em que as utilizamos com mais frequência. Problemas intestinais revelam pessoas com alguma falta de paciência. Na obstipação tem a ver com a espera de resultados. É preciso compreender que todos os processos têm etapas que devem ser seguidos, queimar etapas pode significar que o processo não está bem terminado.  Já a diarreia nos mostra o resultado dessa impaciência. Queremos livrar-nos rapidamente das coisas e não as digerimos bem.

Analisada essa parte da nossa vida, podemos ir para a etapa seguinte: a reeducação.

Disse anteriormente que o eixo 6-12 nos indicava os instrumentos que temos para fazer a viagem. Que maior instrumento pode haver senão o nosso invólucro. O corpo precisa de alimento para continuar a transportar-nos e permitir-nos fazer a tal viagem que queremos.

Os problemas relacionados com a digestão, precisam de uma reeducação alimentar primeiro. A alimentação pode ser uma punição usada pelos masoquistas para se sabotarem. A alimentação é a base de uma vida saudável e feliz. Não devemos seguir os padrões de beleza impostos pelos outros e devemos sempre encontrar o peso que nos deixa felizes, mas acima de tudo aquele que nos deixa saudáveis. 

Comer deve ser um prazer, pois significa que estamos a nutrir a parte importante da nossa viagem - o nosso carro. Sem ele a viagem será com certeza diferente. Compreender o processo da digestão é também de grande importância. Compreender que aquele alimento nos irá dar proteínas necessárias para termos energia, alegria e saúde, levar-nos-á a compreender que tudo na vida tem um propósito: encaminhar-nos para o nosso verdadeiro Eu. 
Peguem num livro escolar e relembrem o que aprenderam sobre a digestão, compreendam o processo para poder dar energia nos momentos em que ele for travado. Se não tiverem um livro, a Net é um tesouro para isso.

Nestes três dias em que a Lua estará em casa de Virgem façamos uma alimentação cuidada e levemos energia ao sistema digestivo que está dentro de nós. A atenção que lhe dedicarmos terá grande influência ao longo do ano. Apanhar urtigas para fazer chá nestes dias será muito aconselhado.

Desejo a todos uma excelente Lua em Virgem.

Na primeira hora de Júpiter do dia de Vénus, S. Teotónio, S. Simeão

quarta-feira, fevereiro 16, 2011

Quando o que me apetece dizer é isto, mas não posso!

Ficam as imagens que valem mil palavras:

Peço desculpa aos mais sensíveis! Mas a minha criança interior pedia-me isto há algum tempo!

Na primeira hora de Sol do dia de Mercúrio, S. Porfírio, S. Onésimo, Honesto, S. Juliana de Nicomédia

terça-feira, fevereiro 15, 2011

Sol, Sol, Sol

Nestes dias em que parece que as nuvens regressaram cheias de água para nos purificar, temos a energia 19 da Rota para nos ajudar a encontrar a Alegria que o Sol nos oferece.

O Sol é a carta do entusiasmo. Ela representa o encontro com a nossa criança interior. A Alegria de viver regressa. É muita energia para nos acompanhar com esta lua cheia!!!
Será um excelente momento para retomar actividades que tínhamos parado por alguma razão. Momento certo para investir em algo que temos mostrado interesse. Ideal para socializar. Mas, acima de tudo, muito bom para retomarmos o contacto com a nossa criança interior.
Como energia sonora fui ao baú e encontrei de New Order True Faith, para me lembrar que tudo é possível, mas que não basta acreditar, é preciso fazer!
I used to think that the day would never come
I'd see the light in the shade of the morning sun
My morning sun is the drug that brings me near
To the childhood I lost, replaced by fear
I used to think that the day would never come
That my life would depend on the morning sun

A todos uma excelente semana com o SOL!!!

Na primeira hora de Mercúrio do dia Marte, S. Jovita, S. Romualdo

quarta-feira, fevereiro 09, 2011

JustICE

E porque não?
Por que não poderá a Justiça ter esta aparência?  

Na primeira hora de Lua do dia de Mercúrio, S. Apolónia, S. Cirilo, S. Teodoro

terça-feira, fevereiro 08, 2011

Semana da Justiça!

Ups...está na hora de colher os frutos do que andámos a fazer. Preparem a Taça pois as energias estão a chegar, é hora de receber as dádivas.

Ter-nos-emos andado a portar "bem"? Então, nada de recear pois só vamos ter em triplicado o que plantámos. A Primavera já se avizinha e com a energia da Justiça, é um momento excelente para retomar a força da Natureza que também habita em nós.

Para esta semana escolhi a melodia The Mercy Seat de Ncik Cave & The Bad Seeds. Que esta voz nos faça sair da caverna e espreitar a luz do Sol que timidamente nos banha e energiza.

A todos uma semana cheia de Justiça, Equilíbrio e Rectidão.
All things either good or ungood.
And the mercy seat is waiting
And I think my head is burning
And in a way I'm yearning
To be done with all this measuring of truth.
An eye for an eye
A tooth for a tooth
And anyway I told the truth
Na primeira hora de Lua do dia de Marte, S. João da Mata, S. Jerónimo Emiliano

domingo, fevereiro 06, 2011

A Torre, o Imperador e a Roda ensinam Alegria a confiar em si e na Vida

Alegria seguia o seu caminho com uma passada calma, não havia necessidade de se precipitar para a novidade. No horizonte começou a desenhar-se uma forma. Aproximando-se desvendou que era uma torre. Estava totalmente aprisionada pela vegetação que há anos não era limpa e se declarara dona e senhora do espaço.

Alegria teve a sensação que aquele lugar era especial, a sua energia tinha uma vibração diferente. Decidiu entrar. No entanto, não era fácil. Procurou por uma entrada e nada! Parou, reflectiu e compreendeu. 

«Peço autorização às Entidades que protegem este espaço para entrar.»

Aguardou uns segundos e na sua frente um raio de luz incidiu sobre um caminho. Estava aberta a entrada.
Assim, penetrou aquele espaço especial. Explorou o terreno circundante à torre e não descobriu nada. Decidiu entrar. Os seus olhos demoraram algum tempo a adaptar-se à falta de luz do lugar. Quando se encontrava em condições de ver, deu de caras com uma mensagem escrita no arco interno da porta. 

«Eu coso a bainha da Espada da Justiça. Teço o cinto da misericórdia com o meu cabelo para que o portador da Espada possa ser anelado com humildade e compaixão.»

Alegria baixou o olhar em meditação. Que lhe diziam aquelas palavras? Não faziam sentido, aquele lugar era, de facto, muito estranho. Auto-sacrifício? Teria ele de começar a usar os seus recursos para poder encontrar tais qualidades?
Enquanto pensava, instintivamente, os seus pés começaram a dirigir-se para o lance de escadas que ali se formava. Treze passos e encontrou mais uma inscrição:

«Eu pulo a espada lassa dos combates. Eu guardo o descanso e a preparação da batalha. Eu levo o salvamento e a luz aos lugares obscuros.»

Ao lado da inscrição apareceu a figura de uma mulher. Semblante marcado, rosáceas vivas, olhos negros e profundos. Um corpo esguio e o cabelo solto brilhante. Alegria, de tão distraído a meditar nas palavras nem se apercebeu da sua presença.

«Passaste o portal da Espada. Que buscas tu, ó Caminhante? Foste impelido por necessidade ou amor?»

Desta vez o peregrino assustou-se pois estava muito longe daquele lugar. Deu um salto para trás e imediatamente a sua resposta saiu: Amor, sempre por amor!

«Compreende, então, que estás no caminho errado. A prática a que te vens dedicando não te está a levar ao caminho que queres. Lembra-te: o amor exige perfeição e a prática, sempre a prática, só a prática te levará lá. Regressa para de onde viste e dedica-te à prática.»

«Não compreendo o que me dizes?!? Estou no caminho errado? mas não cheguei até aqui através do caminho certo? Não estou onde devia estar? Praticar?!? O quê?»

Contudo, todas as suas perguntas permaneceram a flutuar no espaço vazio, a Mulher desaparecera.

Entediado por não ter tido as suas respostas. Confuso por todas as dúvidas levantadas. Alegria sentou-se em posição de lótus e forçou-se a meditar. 
«Quem quer que passe a Ponte d' Espada é impelido pela necessidade ou amor.» «Para grandes males, grandes remédios.» «Dedica-te com coragem e faz a tentativa.» Frases soltas que ecoavam na mente de Alegria. Sinais da confusão instalada naquela Torre. 

A sua mente era um turbilhão de ideias cruzadas pelo agora e pelo antes...Alegria estava perdido.

Aprendera, há uns tempos, uma técnica muito interessante para se acalmar. Quando a sua mente se dispersava e se punha a deambular de enigma em enigma, causando-lhe agitação e perturbando a sua capacidade de raciocinar, Alegria aprendera a focar a sua atenção num momento que encerasse memórias de felicidade. Dessa forma, ao relembrar cada detalhe da memória, o seu coração acalmava e a instabilidade e ansiedade provocadas pela mente agitada, dissipavam-se.

Com as ideias novamente em ordem, voltou a pensar no que acabara de acontecer. Começando pelo início, desde a ombreira da porta até ao desaparecimento da mulher, Alegria reviu cada acção e palavra. Analisou o seu comportamento e compreendeu, finalmente, que aquela Torre era a torre das espadas e lhe fora colocado um teste na frente: confiar nas palavras dos outros ou nas suas?

«Não há verdades únicas, nem certezas absolutas.» Pensava Alegria. « As palavras dos outros são fragmentos da verdade que eu quero construir em mim. A minha personalidade é composta pelas palavras de todos, mas dentro de mim, a minha essência, é o fruto de uma destilação da personalidade. Em mim reside a minha verdade, que, em última instância, é aquela que me orienta.» 

«Ouviste para recuperar a fé que desabava: Não há Graal, não há caminho. Ouviste a tua verdade e passaste a prova, mas o caminho não termina aqui. Continua a tua aventura e descobre-te.»

E o peregrino tornou-se novamente Cavaleiro, munido do seu escudo e espada. O escudo para o defender e a espada para cortar as ilusões do mundo das formas-ilusão, onde nada é o que parece e tudo se transforma.
O mundo das formas-ilusão era astucioso, era preciso estar atento para conseguir distinguir o real do ilusório, o físico do imaginário, o verdadeiro do falso. Porém, Alegria sentia-se confiante. A sua visão era astuta e confiava que seria capaz de analisar cada situação com uma perspectiva aberta e, ao mesmo tempo, desconfiada. Além disso, com o escudo e a espada estaria a salvo.

Uma vez mais, era mantendo os seus medos e dúvidas por perto que estaria desperto o suficiente para analisar imparcialmente cada situação. Quando se sentisse desesperado, receoso ou impaciente, seria um sinal de que estava perante o mundo das ilusões e, uma vez mais, estaria a cair nas incertezas e receios que esse mundo provocava.

O mais importante seria aguardar. Serenar, lembrando-se de momentos bons, de felicidade, e esperar que a mente aclamasse e a visão ficasse clara como a água. Se assim fizesse, nada de errado poderia acontecer. Estaria, então, preparado para a prova seguinte: procurar a Justiça.

Na primeira hora de Lua do dia de Sol, S. Paulo Miki, S. Doroteia, S. Amândio.

sexta-feira, fevereiro 04, 2011

Desafio fotográfico Semanal

Que sensação vos provoca este momento capturado no tempo?
(foto por Shin Tau)

Na primeira hora de Lua do dia de Vénus, S. André Corsino, S. João de Brito, S. Gilberto, S. Teófilo

quinta-feira, fevereiro 03, 2011

O Grimoire tem Selo de Qualidade

Quando a vida dentro de mim, se tornou possível. ofereceu ao Grimoire um selo de qualidade muito bonito:
Muito Obrigada Rejane-Enajer foi completamente inesperado, uma autêntica surpresa.

O prémio traz algumas regras. Responder às perguntas e passá-lo a 15 blogueiros.

Nome: Shin Tau a.k.a. Marisa

Uma música: (tão difícil ser só uma!!!) OK, eu escolho: My Girls de Animal Collective

Humor: difícil, requintado LOL

Uma estação do ano: Primavera

Como prefere viajar: a pé ou de avião.

Uma série: Dexter


Frase ou palavra mais dita por você: "Good morning! How are you?" hehehehe passamos mais tempo no trabalho, certo?

O que achou do selo: uma delícia criativa e que me deixou muito bem disposta.

E passo o selo para :


Não sei se terei tempo de avisar todos, espero que se manifestem para eu saber!!! O vosso trabalho faz bem à Humanidade e a mim em particular!

A todos os meus parabéns!

Na primeira hora de Sol do dia de Júpiter, S. Brás, S. Óscar, S. Odorico

quarta-feira, fevereiro 02, 2011

A Roda Da Vida Gira e Torna a Girar

O Imperador fez a roda girar e é ela que nos irá dar energia esta semana, com a Grande Mãe a desaparecer, o Grande Pai a ganhar forças para retomar o seu domínio e o Filho buscando constantemente as respostas para as  suas inquietações.
Nesta semana devemos estar atentos às oportunidades que nos surgirão, às mensagens que poderão chegar através de todas as formas de comunicação, mas principalmente para aquelas que são súbitas e, quem sabe até, estranhas.

É um momento para aproveitar as oportunidades e não recusá-las apenas porque são diferentes do esperado. É-nos exigido uma atenção constante, centralização. Se estivermos conscientes de nós, das nossas vontades e desejos poderemos aproveitar mais e melhor as voltas da Roda da Fortuna.
Para que essas voltas se possam tornar numa dança escolhi para esta semana uma música fresca e fofa, acabadinha de sair do forno da criatividade da dupla que forma The Kills. Para ouvir e dançar até o corpo estar fortalecido e a alma preenchida: Satellite o single que inaugura o novo álbum Blood Pressures.

Na primeira hora de Mercúrio do dia de Mercúrio, S. Lourenço, Purificação da Nossa Senhora
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...