sábado, novembro 17, 2012

Semana da Estrela - uma análise

Há muito tempo que não sentia a necessidade de registar a análise da semana com o Tarot, mas hoje, hoje, apeteceu-me mesmo. Às vezes é preciso pôr por escrito aquilo que vai dentro, talvez chegue mais tarde a fazer sentido. Na maioria das vezes, quando termino de escrever compulsivamente estas análises chego ao fim e tenho a compreensão do que afinal o Arcano Maior me ensinou. Outras, meses ou semanas depois apenas. Vamos ver como corre hoje.
Cut by Zsar Chakian
A Estrela esta semana não nos levou à acção, pediu-nos que parássemos e avaliássemos, primeiro a nossa estrutura material, o campo físico, em seguida o mental e depois o emocional. Só depois dessa avaliação poderemos então desfrutar das bênçãos que ela nos oferece, só assim teremos a Saciedade emocional desejada.

Foi com grande dificuldade que esta semana se passou, mas hoje compreendo os altos e baixos pelos quais atravessei. De facto, a semana pareceu dividida em departamentos distintos, com situações diferentes que proporcionaram emoções diferentes. Contudo, todas elas a acontecerem para me trazer aqui, hoje.

Para qualquer caminhada neste Plano Manifestado há a necessidade de uma estrutura organizada, uma base sólida material que nos sustente. O Peregrino precisa de um terreno sólido para que a caminhada seja mais leve e prazenteira. Traçar assim um percurso para se adquirir a estabilidade financeira necessária é urgente. Contudo, é preciso compreender que esse é um meio, nunca um fim em si. É fácil, principalmente quando as coisas correm bem, esquecermos que determinado objectivo material só existe para nos dar a possibilidade de um objectivo maior, o de crescermos rumo à nossa total realização. E assim se começou a semana, a relembrar o que é importante.

Mas a Princesa de Espadas, presente duas vezes, no dia de Marte e no de Vénus, lembra-nos que na nossa mente há muitos obstáculos. São as crenças, as ideias, as opiniões que vos falei aqui. Estamos tão cheios de conceitos que se torna difícil de acreditar, de largar a espada no momento certo e de a empunhar quando realmente necessário. Ela é a materializadora das ideias. Ela diz-nos que somos capazes de pôr em prática a nossa criatividade. Tendo saído nos dias em que saiu, o ensinamento só nos pode levar a reflectir sobre que batalhas e amores travamos. Urge desenvolver a capacidade de lutar e de amar no momento certo, deixando o medo e a culpa para trás.
Path of Illusions by Zsar Chankian
Na quarta este ensinamento culminou e levou a energia da semana para o campo emocional. Foi assim que a  Estrela nos mostrou que as decisões covardes, hipócritas, a paz assente em resignação só nos conduzem à dor, provocada pela culpa e pelo medo. Tormento a que por vezes cedemos, quase para sentir que no meio desta confusão social ainda estamos vivos, ainda sentimos alguma coisa intensamente. Todavia, em momento algum pode haver paz quando o desejo é recusado. Não há libertação e serenidade quando não há honestidade. As 3 espadas mostraram a dor, a dor que nos impede de seguir em frente. Só sendo honestos connosco, ouvindo e assumindo os desejos e as vontades, pois estas não podem, para mal de muitos de nós, ser controladas, só dessa forma poderemos estar em paz. Se não houver honestidade, ficaremos presos numa das elípticas da espiral. Pois o movimento deste 3 de Espadas ensina-nos que não há paz eterna, constante. Que toda a evolução se faz em curvas e que inevitavelmente voltamos ao ponto de origem. Contudo, cabe a cada um ter aprendido a lição para que quando voltar ao ponto de origem não esteja exactamente na mesma, mas mais evoluído, uma curva acima.
Desta forma, pudemos na quinta nutrir a dor. Assumi-la, enfrentá-la, encará-la no espelho e, por fim, beijá-la, acariciá-la, nutri-la. Ou pelo menos era isso que desejávamos mas não fizemos. O 4 de Copas espelhou-nos o esforço que fazemos para manter a aparência e o desgaste que isso nos traz. Tudo aqui é antinatural, é forçado, é imposto, e para quê? Para continuar na espiral da vida, presos à ilusão, encarcerados em responsabilidades que nos definham a alma? Não, não pode ser. O Amor é libertador, transformador e não existe com condições, condicionamentos. Ele tem vida própria e quanto mais limitações lhe pomos mais certo é de que estamos no caminho para o destruir.
empire State of Mind by Zsar Chankian
A confirmação desse ensinamento é dado hoje com o 10 de Copas que nos mostra que tal é a tensão emocional provocada esta semana pela Estrela que não resta outra solução senão mudar. Mudar porque chegámos ao ponto em que estamos tão cheios por dentro que a energia não cabe mais e por isso explodimos e libertamos, voltando à origem, ao 1, ao Às.

A Estrela perguntou-nos até que ponto estamos prontos para penhorar quem somos em função do que temos. Mostrou-nos durante uma semana o caminho a percorrer para chegar ao Entendimento, à Luz.

E agora, aprendemos?

Na segunda hora de Mercúrio do dia de S. Gregório Taumaturgo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...