segunda-feira, dezembro 07, 2009

Abrir mão do que temos (Actualizado)

A propósito do comentário da IdoMind sobre as mudanças, onde nos disse que não gostava de perder nada, achei que era importante para todos, incluindo eu, relembrar uma lição espiritual.
Seria importante abrirmos a nossa mente para o facto de que nada nos pertence. Possuir algo é retirar-lhe a sua liberdade de ser e pertencer a quem precisar. Tudo na vida é circular, logo, como podem os nossos pertences ficar apenas nas nossas mãos?

Aquilo que hoje temos e possuímos na nossa casa, dá-nos com certeza muito prazer, mas será que precisamos disso tudo para sermos felizes? Não, claro que não. No mundo da prosperidade, cujo acesso é de todos, a prosperidade significa termos aquilo que nos é necessário para crescer saudavelmente, para fazer uma vida sossegada!

Ter uma televisão em cada divisão da casa, um carro para cada elemento da família, uma casa com mais divisões do que o necessário, não é de facto prosperidade. Prosperidade é ter o essencial, mas dirão «O essencial muda de caso para caso!» Talvez, mas se formos analisar as pessoas têm mais do que necessitam na verdade. A ganância, a competição levou-nos a um estado de vida que nos torna consumidores compulsivos e quanto mais temos mais queremos ter.

Mas esta conversa vinha a propósito das mudanças. Custa largar aquilo que temos. Claro, apenas porque temos medo e no fundo dos fundos da nossa alma não acreditamos que vamos conseguir mais. Largar é libertar e quando um acot desses é realizado, com certeza é com Amor. Logo, Amor gera Amor e algo melhor virá!

Quantas vezes teremos de perder tudo para compreender que não temos nada, que tudo na vida é passageiro? Abrir mão do que temos é dar oportunidade para que coisas novas entrem na nossa vida. O espaço livre é importante! Se temos as janelas de casa fechadas como pode o ar novo entrar? Se fechamos as portas do nosso coração como pode o Amor entrar em nós? Se nos regemos por formas-pensamento negativas, claro nunca vamos conseguir acreditar, mas acreditar com o coração, não com a mente, de que quando algo se vai, algo melhor vai aparecer.

Na primeira hora de Júpiter do dia de Lua, S. Ambrósio, S. Sabino
Depois de ter colocado o post e de todos os apontamentos feitos, ficam aqui três sugestões que complementam a ideia expressa neste post.
Um pequeno ritual para a Morte no Via Tarot .
E dois textos inpiradores para aceitarmos as mudanças, um no Difusão da Alma e outro no Jardim. Vale a pena ler!!!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...