quinta-feira, junho 23, 2011

A Morte com o Solstício

Parece-me a combinação ideal!

A partir de hoje o deus Pai começa a recolher-se. Enfraquecido pela fertilização da deusa Mãe, dá o seu trono a esta. Inicia-se, assim, o tempo da Deusa.

A força do Pai é-nos dada a partir de aqui na forma de calor, enchendo a Mãe de energia e o povo que nela se deambula. As festas são muitas, onde se celebram ritos dedicados ao fogo e à água. Os povos unem-se com os corações em festa e preparam-se para as colheitas que hão-de vir.

Desta forma, a Morte surge como a energia natural neste período. É  tempo de matar os demónios e deixar os corações livres para podermos colher os frutos da caminhada. É hora de alegria e força. É tempo de no consciencializarmos das fases naturais da vida, dos ciclos de morte e renascimento, do princípio e do fim.

Espero ainda hoje ter uma surpresa para vós! Mas é preciso aguardar e dar tempo para que as coisas aconteçam. Estava sem inspiração para a Morte, mas inspirada nos textos apresentados ontem na celebração, relembrei a matéria. 

Abramos espaço para o devir! E como a Morte é uma dança, onde cada passo limpa o espaço ocupado, escolhi uma melodia mais forte. Esta semana teremos Snowman com a música Snakes & Ladders do álbum Absense. Esta banda é uma coisa divinal, se tiverem tempo e gostarem busquem ouvir outras músicas deste álbum

Na primeira hora de Lua do dia de Júpiter, S. Edeltrudes, S. João Sacerdote, S. José Cafasso
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...