segunda-feira, dezembro 29, 2008

O Elemento Água

Depois de ter feito um texto sobre o elemento Terra e de ter andado pelo Convento da Vitória a alinhar o meu terceiro Chakra e a trabalhar a minha água interior, surge esta partilha.
A Água, com a Terra, faz o segundo elemento feminino da Natureza. Está associado aos mistérios e à magia da Lua. A sua natureza, como a da Terra, é densa, mas ao contrário do outro elemento, este adquire já fluidez. A este elemento associamos as transformações interiores, as mudanças profundas, pois rege a nossa Intuição e os nossos Sonhos uma vez que à Água associamos o nosso Eu Psíquico.
Os rituais que tenham como objectivo a purificação, a transformação interior, os empreendimentos psíquicos, a adivinhação, as emoções, o amor romântico ou o acesso às vidas passadas deverão ter como elemento base a Água, pois ela domina todos estes aspectos, bem como o nascimento e a gestação.
O ponto cardeal que lhe corresponde é o Ocidente (a nossa área), o seu Anjo é Gabriel, as cores a si associadas são a azul, a prata, a púrpura, a índigo e, obviamente, o chakra é o umbilical (aqui há várias correntes que defendem outros chakras, cada um deve encontrar o seu, acho eu). No altar o caldeirão, o cálice e a água consagrada estão em sua representação e os elementais são as ondinas e os banshees. No Tarot está representada pela carta XIII A Morte e a XVIII A Lua e na alquimia pelo triângulo simples invertido.
Para meditarmos sobre este elemento, pois podemos ler tudo o que desejarmos mas nunca ficaremos a conhecer o elemento verdadeiramente, é necessário meditar e “ver” o que ele representa para nós. Assim, podemos usar o triângulo ou o animal Águia.
Este elemento é importante para nós na medida em que nos coloca em contacto com o mundo do Além. Apesar de ser ainda uma representação deste mundo físico já contém em si algumas características que nos permitem vislumbrar o Reino dos Deuses. Este elemento é a chave para o outro mundo, sendo que a porta somos nós próprios. Só conhecendo o nosso interior poderemos ascender ao Divino. Se estiver desequilibrado podemos revelar alguns destes aspectos:
  • Ser emocionalmente distante dos outros.
  • Falta de compaixão
  • Problemas crónicos de relacionamento
  • Ataques de mau génio
  • Pouca intuição
  • Perda ou falta de habilidades psíquicas
No dia-a-dia podemos realizar algumas pequenas acções que nos coloquem em sintonia e equilíbrio com este elemento. Beber chá de tília, jasmim, baunilha ou valeriana; meditar; manter um diário de sonhos (risos); ter ligações com crianças ou mulheres grávidas e comer: leite, iogurtes, queijos, ovos, maçãs, amoras, sumos de frutas e peixe ou marisco.
Antes de exagerar na dose, medite e verifique os seus níveis deste elemento, não se esqueça que um elemento em exagero também não é produtivo.
Por último os deuses que se podem identificar com este elemento são Vénus, Poseidon/Neptuno ou qualquer outro representante noutra cultura destes deuses.

Num dia de São Tomás da Cantuária, São Trófimo e de Gabriel, Regente da Energia da Lua
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...