segunda-feira, dezembro 22, 2008

Ritual do Solstício de Inverno

É a terceira vez que realizo este ritual. A primeira fui apenas assistente/participante, esse ritual foi muito importante para mim, fi-lo com uma prenda no bolso, a chave do meu Templo.
O segundo, realizei-o no meu Templo, com três mulheres a assistirem/participarem e foi um dos mais belos que realizei, dirigindo pessoas.
Este foi feito sozinha, mas na companhia de Todos! Têm sido muito bonitos, diversificados e reveladores.

Nestes últimos tempos, tenho sido questionada sobre estas práticas que realizo, como nunca tive problemas em justificar os meus actos, as minhas crenças, decidi esclarecer aqui algumas coisas, são as minhas visões pessoais sobre estes rituais e, por isso mesmo, têm a validade que têm.
Há oito rituais que realizo imperativamente, 4 dedicados ao Sol (os dois solstícios e os dois equinócios) que marcam a marcha da Luz, o Ritmo da Natureza, e 4 dedicados à Lua (Luas Cheias) estes relacionados com a fertilidade do campo, com o cultivo, a prosperidade. Estes rituais são de origem incerta, alguns crêem que vêm dos tempos egípcios, outros dos celtas, ou de mais tarde ainda. A mim a origem não me interessa, pois cada coisa tem o valor que lhe damos e eu atribuo a estes rituais um valor simples: colocar-me em sintonia com a Natureza.

Desde que comecei este Caminho, sinto-me mais equilibrada, mais em harmonia com os ciclos naturais da Vida. O meu corpo adaptou-se aos ciclos lunares e a minha mente/espírito aos do Sol. Sinto as coisas exteriores como reflexo de mim própria e vejo no mundo o meu próprio mundo interior. Estas são tão simplesmente as razões e os objectivos dos meus rituais de comemoração.
Quanto aos outros, nada têm a ver com a dita bruxaria popular, são complementos que realizo para treinar as técnicas e pedir prosperidade para o Universo. Os rituais têm bases pagãs, as tradições vem quase todas dessa cultura, mas não sinto qualquer problema em associar estes rituais à religião cristã. Para mim podemos chamar o nome que quisermos a Energia Primordia é simplesmente uma Energia e se lhe damos um nome diferente de cultura para cultura, religião para religião, as suas características não são diferentes. Eu posso chamar-me Maria, Shin Tau, Gally ou Nada, mas a minha essência é sempre a mesma.
Posto isto, espero que os Curiosos (risos) que me questionaram se sintam satisfeitos com a minha resposta, que compreendam acima de tudo que isto nada tem de Oculto, Misterioso ou Hermético, é apenas uma forma diferente de nos podermos encontrar enquanto parte Manifestada da Grande Obra Divina. Tão-somente isto!

Agora o ritual retirado do livro Rituais Antigos para um Mundo Novo – Manual de Magia de José Medeiros :

Colocar uma vela verde dentro da Taça do Fogo e as outras em volta da mesma, uma branca à esquerda, uma vermelha ao meio e uma preta à direita.
Tocar o sino três vezes e dizer:

- Hoje termina a regressão e começa a expansão. A Luz triunfará de novo. Energia Primordial Pai/Mãe do Universo, que o novo Sol conduza ao Espírito das tuas duas polaridades. As Águas Primordiais farão com que a Vida se volte a manifestar, renascendo do interior da Mãe Terra e a nova luz do Sol lhe dará força e vigor para que se multiplique. Hoje recomeçamos a avançar na espiral da evolução que dirige o nosso Plano.

Acender incenso de Olíbano e dizer:
- As Energias adormecidas vão despertar e aumentar com a força do Amor, enquanto farão avançar a Roda da Vida. A noite fria aguarda a chegada da aurora, anunciadora do novo Sol que ajudará a Grande Mãe a fazer ressurgir a Vida guardada no seu ventre. De novo as trevas darão lugar à Luz e as Energias Telúricas se manifestarão no nosso Plano. O novo ciclo começou.

Acender a vela branca e dizer:

- Que a Luz branca da Virgem me Ilumine no novo Caminho e faça germinar as sementes de novas iniciativas.

Acender a vela vermelha e dizer:

- Que a Luz vermelha da Mãe desperte a minha mente criativa, e auxilie na minha realização e me dê força para o Bom Combate.

Acender a vela preta e dizer:

- Que a Luz negra da Sábia me ajude a compreender os mistérios e me dê a Sabedoria para percorrer o Bom Caminho.

Acender a vela verde e dizer:

- Que a Luz verde da Grande Mãe das Três Faces, representando a Vida que ressurge da Terra e o Sol novo que Hoje se vai manifestar, me ilumine durante este novo ciclo.

Tocar o sino, uma vez, para Oriente e dizer:

- Regente da Porta de Oriente e Génios do Ar, acolhei a nova Luz que hoje se manifesta.

Tocar o sino, uma vez, para Sul e dizer:

- Regente da Porta de Sul e Génios do Fogo, acolhei a nova Luz que hoje se manifesta.

Tocar o sino, uma vez, para Ocidente e dizer:

- Regente da Porta de Ocidente e Génios da Água, acolhei a nova Luz que hoje se manifesta.

Tocar o sino, uma vez, para Norte e dizer:

- Regente da Porta de Norte e Génios da Terra, acolhei a nova Luz que hoje se manifesta.

Em frente ao altar, virada para Oriente, tocar o sino três vezes e dizer:

- Eu te saúdo, Sol Invictus, Luz da Nova Vida. Abençoa-me e ilumina a minha nova vida e o meu Caminho.

Tocar o sino três vezes e dizer:

- Eu te saúdo, Grande Mãe da Tripla Face, Senhora do Passado, do Presente e do Futuro, Renovadora da Vida. Abençoa-me e protege-me no Bom Combate. Que assim seja.

Saudar o Oriente flectindo a cabeça e cruzando os braços sobre o peito.
Colocar a taça com o vinho sobre o pentagrama e tocar-lhe com a Vara para Consagração.
Erguer a Taça, para Oriente, e beber um pouco de vinho; o resto será vertido sobre a Terra, no exterior depois de terminado o ritual.

Saudar o Oriente.

Meditação sobre o ressurgimento da Luz. Elaboração mental de planos para o novo ciclo.
Dizer:

- Que a Força do Tempo Velho seja transferida para o Tempo Novo. Pai/Mãe, Energia Primordial, dá Força ao Tempo Novo para que o Caminho se cumpra com Beleza e Sabedoria.

Saudar o Oriente, com os braços cruzados sobre o peito, o esquerdo sobre o direito, e dizer:

- Energia Primordial, Pai/Mãe do Universo, ajuda-me a percorrer o Bom Caminho e a vencer o Bom Combate. Que assim seja.

As velas do ritual deverão arder até ao fim, ou então, ser enterradas.


Num dia de São Honorato, São Flamiano, São Filadelfo e de Gabriel, Regente da Energia de Lua
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...