sexta-feira, dezembro 21, 2012

Chegou o fim?

Muito se tem escrito neste último ano sobre o fim do Mundo e nestes últimos dias então, parecia uma loucura. Na verdade sempre se escreveu muito sobre o fim dos tempos, é a eterna questão escatológica do Ser Humano. Este medo que não nos deixa dormir e nos faz esquecer tudo o que aprendemos.
A book of myths and legends

Pois bem, chegou o dia e nada aconteceu. Há quem diga que algumas fraternidades que se têm dedicado à cura do planeta tenham conseguido evitar tal catástrofe. (por respeito não me rirei)

Aprendi umas coisas interessantes sobre o assunto, quando me debrucei sobre os aspectos científicos do calendário maia e, de informação em informação, fui parar a conclusões muito interessantes. Alinhamentos astrológicos, planetas chave na questão, medidas de tempo e buracos negros.

Desta forma, surge a vontade de partilhar convosco os votos para esta nova Era que efectivamente começa hoje, partilhando também o que entendo sobre este novo início, que precede o fim, não do Mundo mas de uma Era, de uma forma de estar.

O importante neste momento é sabermos «quem somos», «o que somos» e «quem queremos ser», estas deverão ser as nossas metas. Sabendo, pois claro, que para o descobrir nos precisamos de afastar de tudo o que não é verdadeiro, de tudo o que é ilusório, transitório e que nos mantém aprisionados nesta dança de encarnações.

Outro aspecto importante para esta Era parece-me ser a descoberta do que nos complementa. Depois de estarmos em sintonia connosco próprios, de sabermos a nossa Verdade, precisamos de nos completar. Há quem lhe chame «almas gémeas», mas eu prefiro chamar simplesmente a união.  Ao fazermos a união dos nossos opostos tornamo-nos inteiros, deixando de ser um Ser imperfeito para alcançar a perfeição. Sortudos serão os que conseguirem já encontrá-lo.

Com a união, não teremos mais desculpas para não cumprir a nossa Missão, a de sermos felizes e por isso nos tornarmos num contributo harmonioso para o funcionamento do Universo. Só assim, para mim, faz sentido.

E é isso, esta nova era trar-nos-á a hipótese de plenitude, felizes serão aqueles que a aproveitarem. Para hoje alinhemo-nos com a energia que se transmuta e cresçamos na direcção da nossa realização. Relembremos que sem o Outro nada somos, mas que primeiro, para sermos no Outro temos de ser em Nós.

Que a Luz nos acompanhe neste momento e em todos os que se seguirem. Que o Amor guie sempre os nossos passos. Que os Mestres nos ajudem.

A todos desejo que entrem nesta Era repletos, inteiros e que assim não for, rapidamente se reencontrem.

Amo-vos.


Na primeira hora de Júpiter do dia de Vénus, S. Tomé, S. Pedro Canísio
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...