sábado, janeiro 31, 2009

Ritual da Luz

Venho partilhar este ritual para quem o quiser fazer na noite de Domingo para Segunda ( 1 para 2 de Fevereiro). Normalmente faço a partilha depois de realizá-lo, mas como já não é o primeiro que faço, posso assegura-vos que os seus resultados são inacreditáveis.

O primeiro foi feito com um grupo de amigos, conduzida pela amiga Salomé, curiosamente foi onde as coisas comecaram a correr menos bem, e o segundo foi na Serra de Sinta (o mais belo em que participei até hoje) conduzida pelo próprio José Medeiros com um grupo fabuloso de dança - os Amalgama, foi um ritual mais do que mágico. Nenhum deles fui eu que conduzi, este será como se fosse a minha primeira vez!!! Para as bruxinhas e bruxinhos que aqui vêm deixo-vos o desafio lançado :P

O objectivo deste ritual é uma purificação, uma renovação interior, resolvendo ou apagando situações negativas do passado. É o ritual da Lua, representando um novo ciclo de vida.
Precisamos, além dos objectos ritualísticos normais, de: água, sal, vinho, trevo de três folhas, papel branco, caneta, carvão, incenso; hera, alecrim e louro, reduzidos a pó; uma vela de cor branca, uma de verde-claro e uma verde-escuro.

Depois de se fazer o círculo mágico e de realizar o ritual de abertura, fazemos uma saudação para Oriente. No incensário, depois de acender o carvão, queimamos o incenso misturado com pó de hera, alecrim e louro.
Dizer:

- Grande Mãe, Senhora da Luz, que és o passado, o presente e o futuro reunidos num momento, como os três corações que formam o trevo, ilumina o meu caminho e ajuda-me a purificar os aspectos negativos da minha vida passada.

Tocar o altar, por três vezes, com a vara. Acender a vela branca, colocá-la à esquerda da taça e dizer:

- Santa Mãe, eu te consagro esta vela, símbolo do teu primeiro aspecto e da sua pureza. Que a sua luz me ilumine e me ajude a despertar a minha consciência para a realidade do presente e aprender os ensinamentos da vida.

Tocar o altar, por três vezes, com a vara. Acender a vela verde-claro, colocá-la em frente da taça e dizer:

- Santa Mãe, eu te consagro esta vela, símbolo do teu segundo aspecto e da sua força. Que a sua luz me ilumine e me ajude a desenvolver a minha intuição e programar o meu futuro.

Tocar o altar, por três vezes, com a vara. Acender a vela verde-escuro, colocá-la à direita da taça e dizer:

- Santa Mãe, eu te consagro esta vela, símbolo do teu terceiro aspecto e da sua sabedoria. Que a sua luz me ilumine e me ajude a percorrer o meu caminho e cumprir a minha missão.

Escrever no papel as situações passadas que quer purificar ou modificar. Dobrar a folha, queimando-a em seguida na vela do altar e deitando as cinzas dentro da taça.
Dizer:

- Que os aspectos negativos do meu passado sejam purificados pela chama que consome este papel. Que os obstáculos que dificultam o cumprimento do meu destino sejam reduzidos a cinza e eu possa percorrer com segurança o meu caminho.

Colocar a taça com o vinho sobre o pentagrama, por alguns momentos.
Em seguida, erguer a taça e consagrar o vinho, dizendo:

- Santa Mãe, eu te consagro este vinho. Quinta Essência da Terra, para com ele selar este ritual.

Beber um pouco de vinho. O resto será guardado para ser lançado sobre a terra, no exterior, após a cerimónia terminar.

Dizer:
- Senhora, eu te saúdo no teu triplo aspecto e peço que a tua luz ilumine sempre o meu caminho, mantendo-me desperta para a realidade.
Que assim seja.

Depois realizar o ritual de encerramento e abrir o círculo mágico. Este ritual pode ser encontrado no livro Rituais Antigos para os Tempos Modernos de José Medeiros.

Desejo-vos a todos um bom fim-de-semana e um ritual mágico no Domingo.

Num dia de São Pedro Nolasco, São João Bosco e de Cassiel, Regente da Energia de Saturno
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...