quinta-feira, janeiro 14, 2010

A Frustração

Como podemos lidar com este sentimento tão negativo? Como poderemos aceitar que por causa de outro eu não consiga superar uma prova? Sim porque há provas, aquelas que envolvem relações, que estão dependentes da participação do outro.

Eu sei que o outro está no seu direito de se recusar a participar em algo, bem sei que lhe devo respeito, sincero... mas como lidar com aquela sensação de que eu poderia terminar esta tarefa já aqui, se ao menos me ouvisse!!!

Para mim é difícil esperar, aquilo que quero, quero já e agora (isto não é exagero, é mesmo assim). As minhas necessidades devem ser atendidas no momento em que as sinto, exigente e apressada, nada menos!!! Bem sei que a paciência tem vindo a ser trabalhada, sei desfrutar de uma agradável espera, talvez apenas quando sei que a concretização acontecerá, mas quando não há certezas (na medida em que as pode haver!) ... tudo se complica.
A minha mente torna-se obsessiva, toda a minha energia é direccionada para ali e ali apenas. Foco a minha atenção no que quero e, até o conseguir, não descanso. Escusado será dizer que isto me esgota! Mas também me dá uma grande satisfação. O prato fica equilibrado.
Todavia, o desabafo de hoje ia noutro sentido, que era a dependência do outro para concluir uma tarefa, o exposto anterior serve apenas para contextualização.

Terei mesmo de estar ao sabor da vontade do outro para aprender esta lição? Claro, em cada momento há uma lição a aprender, sem dúvida que mesmo sem o outro retirarei algo da experiência, mas aquela lição que vos falo tem mesmo a ver com serem preciso dois para a concluir!

Eu estou cheia de assuntos sociais para resolver, estes assuntos só podem ser resolvidos em social. Não me basta estar em meditação a limpar as feridas e a aceitar o Karma, é preciso pôr em prática. É nesse momento de prática, em que dependo do social, que eu me pergunto:

Como posso lidar com esta sensação de frustração? Porque apesar de saber a teoria toda, na prática eu SINTO!

Sei a teoria: No devido momento outra pessoa surgirá para me ajudar a superar ou não a prova. Se esta se recusou era porque não era com esta pessoa que teria de o fazer. Não é o momento indicado para mim, etc, etc....
Mas e quando em nós há uma certeza de que era agora! Este era o momento indicado para conseguir, sentimo-nos com a Força toda!!! Como se pode apagar esta sensação?!?

Resta-me esperar que o momento chegue, que outro se disponibilize e ter esperança que nessa altura terei a mesma disponibilidade que tinha agora! Apesar de tudo fica uma dor, claro, mas não há sofrimento!

Na segunda hora de Lua do dia de Júpiter, S. Bernardino de Corleone, S. Félix de Nola, S. Fulgêncio, S. Noémia
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...