terça-feira, novembro 11, 2008

Meditação com a carta I - O Mago

Depois da carta de tarot, o Mago, partilho convosco uma meditação pessoal.
Antes de qualquer meditação devemos realizar um pequeno ritual de início, gestos que ao serem repetidos enviam a mensagem ao nosso subconsciente de que vamos tentar aceder a áreas mais profundas. Seja qual for a preparação que realizem antes de meditar, ela deve ser sempre igual, pois poupa tempo na parte de nos libertarmos das trivialidades do dia-a-dia.
Depois de se terem colocado confortáveis e de fazerem o exercício inicial de energização e protecção, procurem encontrar uma paisagem agradável.
Sintam essa paisagem e procurem identificá-la, reconheçam essa paisagem, o que está próximo, o que está longe, que elementos estão presentes, há mais alguém, vejam tudo.
Quando terminarem de reconhecer o local, procurem um sítio para se sentarem. Ponham-se confortáveis e desfrutem da sensação que é estar sentado na Terra. Sintam-na viva por baixo de vós, coloquem a mão na Terra e remexam. Brinquem como quando eram crianças, não tenhas medo de sujar as unhas, desta vez a mãe não ralha! De repente encontram um objecto, retirem-no da terra e vejam-no. Identifiquem-no, reconheçam-no bem, para que noutra circunstância qualquer o possam identificar. Guardem-no convosco ele é o vosso escudo, a vossa protecção.

Depois de brincar com a terra é o momento de ir à água, procurem-na, se não existir à vista, andem até encontrar um curso de água, não deve estar longe. Ao encontrá-la entrem dentro dela ou coloquem apenas os pés lá dentro, como se sentirem confortáveis.
Sintam a água, caracterizem-na, é quente, fria, morna, corre depressa, está calma, sintam tudo o que puderem e vejam-na também, a sua cor e o seu fundo. Ao observar o fundo vão encontrar algo, um objecto, se for muito fundo podem visualizar o objecto a vir à superfície ter convosco. Peguem-lhe e como fizeram com o outro, reconhecem-no, assimilem-no, descrevam-no para vós. Guardem-no ele é precioso, vai ajudar-vos a conhecerem-se melhor.
Saia da água e volte para a terra. Procure uma árvore ou uma flor, algo que seja vegetal. Comunique com ela, envolva-se, interaja com ela. A árvore ou flor vai dar-lhe um objecto, guarde-o para si, pois será importante para depois.
Por último suba a um sítio alto, uma colina, uma árvore, um monte, uma escada, qualquer coisa, suba e sente-se. Enquanto vai desfrutando de uma visão mais elevada do lugar onde se encontra, surge à sua frente uma entidade. Cumprimente-a e interaja, faça todas as perguntas que quiser, diga o que lhe apetecer. No fim da conversa ser-lhe-á dado um objecto, aproveite para fazer todas as perguntas sobre os objectos que recebeu antes e sobre esse em particular. Faça uma reflexão sobre a ligação existente entre eles e você, pense sobre tudo o que lhe aconteceu, esteja à vontade e aproveite essa entidade para o guiar, se lhe for proposto ir a outro lado, aceite, confie.
Quando estiver pronto decida se quer trazer consigo os objectos ou se os vai deixar nessa bela paisagem, se esse for o caso, procure um lugar seguro para os guardar e, em especial, um sítio que nunca mais se esqueça pois quando quiser pode ir buscá-los.
Volte ao seus estado normal e não se esqueça, escreva a meditação toda assim que terminar, pois quanto mais tempo demorar a fazê-lo menos pormenores se irá lembrar.
Espero que a viagem seja agradável, mas que acima de tudo vos seja útil.

Num dia de São Martinho e de Samael, Regente da Energia de Marte
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...