sexta-feira, novembro 21, 2008

A Sacerdotisa

Depois de ter sido inspirada pelo poema do Mago, aqui fica um da minha autoria, neste dia especial, não poderia ser mais adequado. Desfrutem!

A mulher está sentada
Atrás de si os véus flutuam.
Os seus olhos falam-me...
e as páginas viram.
A calma instala-se
O preto e o branco misturam-se
O cinzento aparece e caminho.
Penetro...
O triângulo dourado omnipotente irrompe de cima
Na mão direita a Chave que segura a mão e a mão que segura a chave
Penetro e o vazio aparece...
Luz branca translúcida, sol imaculado,
No fim um azul sacerdotal
Aproximo-me e mergulho numa cor pura
Inspiro e expiro a cor, limpo-me.
Inspiro e expiro a luz, purifico-me.
Inspiro e expiro o azul, reinvento-me.
As minhas moléculas misturam-se
Já não sou Corpo mas Espírito
Encontro-me com a minha Essência e
Transcendo!

As Irmãs estão juntas sentadas
À volta da fogueira
Os Mestres abençoam a União.
As estrelas brilham no firmamento
e as raízes firmam-se no chão.
«-Como em cima é em baixo
Tudo sofre Mutação!
Juntos regressemos ao Templo
para celebrar a comunhão.»
Jakin e Boaz aparecem
A Sacerdotisa acordou
O quarto crescente é ungido na fonte
da nova mulher que se iniciou!


Num dia da Apresentação de Nossa Senhora e de Anael, Regente da Energia de Vénus
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...