segunda-feira, maio 12, 2008

Terceira Visão ou o Centro da Lua

Hoje iniciamos uma semana com um quarto crescente, o que me fez relembrar que seria uma óptima altura para colocar os centros energéticos alinhadíssimos. Contudo, antes de fazer isso, julgo haver necessidade de uma explicação simples sobre o que são e para que servem os centros energéticos, ou também denominados de Chakras.
O nosso corpo é constituído por energia e, como tal, ele é também um canal para que essa energia circule livremente. Ao longo do nosso corpo existem sete pontos de acumulação dessa energia que se vão desenvolvendo ao longo da coluna vertebral. Para os lados do corpo existem como rios e afluentes que saem dos grandes centros para, digamos, regar o resto do nosso corpo com energia. Porém, estes sete são os principais e os responsáveis para que o corpo não tenha a energia suficiente se não estiverem a funcionar correctamente.
Muitas vezes oiço dizer que devemos ter cuidado com o ego (plexo solar), e fico perturbada. Porquê com este em especial quando todos os centros têm os seus problema e alguns tão graves que se não estiverem alinhados não será o ego que nos pode salvar. Creio que cada centro tem o seu grande problema a ser resolvido e que todos devem ser controlados, talvez seja quando se tenta controlar e não se consegue que se comece a dizer que é um problema, talvez o ego seja difícil de domar e por isso se considere assim tão importante. Na verdade não sei o porque, apenas sei que não concordo com isso, mas amanhã falaremos sobre esse Chakra. O que pretendo dizer quando refiro funcionar correctamente é que cada chakra tem um tamanho e fluxo único que varia de pessoa para pessoa e que de acordo com esse parâmetro pessoal, a energia no centro do chakra não deve ser mais nem menos, deve estar equilibrada e limpa, para que a energia flua livremente em todo o meu corpo. Podem ocorrer três situações: o centro está a funcionar perfeitamente; o centro funciona hiper activamente estando a energia em excesso e, ainda, o centro está com falta de energia.


Todos os dias pretendo aproveitar a energia do Planeta e do Arcanjo regente de cada centro energético e acender a vela e queimar o incenso que falei há uns dias atrás, acompanhado de uma pequena meditação sobre como estão esses centros e sobre o que eles são para mim. Se alguma coisa não estiver correcta peço então à Energia do dia e ao Arcanjo para colocarem em equilíbrio. Quem quiser acompanhar já sabe que será bem-vindo na jornada da descoberta pessoal. Eu pela minha parte proponho-me ainda a procurar associar também alguma história de mitologia sobre o Deus ou Deusa a que o centro está associado, colocar uma pequena descrição sobre cada chakra, aquilo que neste momento sei sobre ele e o que significa para mim.

Comecemos então!

O Chakra da Terceira Visão está situado entre os olhos e como o próprio nome indica é como se ali houvesse um outro Olho que nos permitisse ver para além deste Plano Físico. Este centro tem a ver com a introspecção e a visualização, é associado ao terceiro ciclo de Saturno, onde o Peregrino se prepara para libertar do domínio da matéria iniciando um ciclo liderado pela Razão. Quando está a funcionar correctamente temos a capacidade da intuição bem desenvolvida, e uma imaginação muito activa, o que nos ajudará a criar o nosso futuro de acordo com as indicações que pretendemos.

Se estiver com falta de energia podemos ter tendência para pensar pouco em nós e relegar a responsabilidade de encontrar as nossas respostas em autoridades externas. Podemo-nos tornar rígidos no pensamento e confiar demasiado nas opiniões dos outros. Por outras palavras, não seguimos a nossa Percepção, não confiamos em nós e seguimos apenas os outros.
Se este centro estiver hiper activo podemos viver num mundo de fantasia, onde as ilusões prevalecem sobre a realidade, tudo o que a nossa mente criar nós vamos acreditar que é A verdade. Com este tipo de actividade energética a pessoa pode até a chegar a alucinar, portanto, chega a ser perigoso ter este centro em desequilíbrio, pois pode-nos afastar da realidade e consequentemente do Caminho.

Para este centro escolho falar de Hécate, a Deusa lunar tríplice - a Deusa da tripla face. Esta faceta tripla faz-nos associar outras Deusas para a completar, assim: Ártemis, a Virgem, personificada pela Lua Crescente; Hécate, ela própria, personificada pela Lua Nova e Selene, a Mulher, personificada pela Lua Cheia. Poderiam ainda representar os vários reinos da Lua: Selene no Céu, Ártemis na Terra e Hécate no Submundo.

Quem é esta Deusa? Ela representa para mim a Lua, nas suas três fases e pode ser melhor compreendida se for completada pelas outras entidades. Ártemis, a jovem, a Deusa da Caça, impulsiva e vingativa, que não controla o seu poder e se sente Invencível. São as qualidades que o plexo frontal nos transmite se estiver com falta de energia.

Selene, apaixonou-se por Endymion, um humano que estava sujeito às leis da Natureza e que teria de morrer, mas Selene não aceitou essa realidade e criou a sua própria, fazendo assim com que ele vivesse para sempre, dormindo com a mesma aparente idade. Esta Deusa representa a hiper actividade do centro, que nos coloca longe da realidade e nos afasta do Caminho.

Por último, temos a Hécate que representa a correcta funcionalidade do plexo frontal, mostrando-nos que todos temos essas qualidades e que quando estão em perfeito equilíbrio podermos então dominar a Percepção e tornarmo-nos nas feiticeiras correctas que poderão seguir o seu caminho com a consciência de que só nós temos as nossas próprias respostas e que somos os criadores da nossa vida.

Depois disto, resta-nos então meditar sobre este nosso centro queimando incenso de sândalo para que nos purifique e coloque na vibração da Energia do dia e acendendo a vela violeta para que a sua cor entre no nosso plexo frontal, limpando-o e energizando-o.

Num dia de Lua, de Santa Joana e do Arcanjo Gabriel.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...