sexta-feira, outubro 03, 2008

Pensamentos sobre o Equilíbrio

Andava eu nos meus pensamentos com os meus botões quando, de repente, me surge uma pergunta:
O que é afinal o equilíbrio?
Fiquei parada e perplexa pois não me surgiu logo uma resposta. Então pus-me a pensar, tenho um blogue que dedico ao Caminho do Meio, que representa esse Equilíbrio, e não sei o que isso é... Serei uma hipócrita???
Quando tenho questões para as quais pretendo uma resposta tenho por habito utilizar a técnica das perguntas. De pergunta em pergunta vou chegando ao cerne da questão, eliminado o joio e libertando então o trigo. Foi o que fiz.
Primeiro a minha definição, por muito errada que ela esteja, é sempre preciso ser honestos nas nossas respostas, senão não vale a pena. O equilíbrio é conseguir trilhar um caminho directo, recto entre o Rigor e a Tolerância, entre a Razão e o Coração, entre a Acção e a Reflexão, onde cada um dos opostos se encontra em perfeita harmonia e medida. Mas isso é impossível, veio imediatamente esta afirmação na minha mente!
Se os pratos da Balança se encontrarem equilibrados eu não poderei estar viva, pois estou imóvel e a imobilidade é contrária à vida, que se encontra sempre em movimento. Por isso o equilíbrio não pode ser ter a medida igual de Rigor e de Tolerância.
Então nunca encontraremos o equilíbrio? Não, a busca do equilíbrio é como a busca do Graal, é eterna. Estar em equilíbrio significa termos consciência das nossas acções e se hoje agimos com mais Rigor amanhã agiremos com mais Tolerância, se hoje fomos mais racionais a seguir poderemos ser mais emotivos. O equilíbrio é estar sempre atento a provar as nossas acções, pensamentos e desejos para os podermos controlar e para que saiam da forma que desejamos.
Fiquei então mais descansada pois percebi que afinal já era isto que eu fazia, acreditando, porém, que neste Plano poderia experimentar o tão desejado Equilíbrio.
Fica assim, para mim, assente que o equilíbrio é uma busca, é um caminho cheio de curvas, onde terei de me adaptar e ajustar para melhor o poder passar.
Foram uns momentos interessantes de raciocínio, agora vou desfrutar da sensação de paz que este raciocínio me deu.

Num dia de Vénus e de Anael, de São Maximiano e de São Francisco de Borja
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...