sexta-feira, outubro 31, 2008

Ritual dos Planos

Bom, cá vou deixar escrito o ritual que se pode realizar hoje, noite das bruxas, em que os dois mundos se tocam e em que as portas se abrem, cuidado, não batam à porta errada, hoje tudo pode acontecer!!!
O ritual tem três momentos diferentes: o primeiro em que pretendemos convidar os Mestres e desencarnados que desejem estar presentes nesta comemoração, atenção nesta noite é apenas um convite que se faz, nunca uma invocação; depois surge o momento de queimar os nossos pedidos e realizar uma meditação sobre este novo ano que começa e por último a comunhão com a Energia Primordial e todos os nossos Irmãos do País da Luz que estiveram presentes de livre vontade, a festa.
Para realizar este ritual necessitamos de uma vela verde, papel onde escrevemos previamente os nossos pedidos de renovação ou de iniciação, pão e vinho para comungarmos da energia.
Depois de se ter encerrado o círculo mágico para nos protegermos das energias que poderiam influenciar o nosso ritual, devemos abrir o círculo para os Elementais e Anjos Guardiães das 4 Portas, invocando a sua presença (este ritual precede sempre os outros e por isso podemos invocar a sua energia).
Depois de sentirmos que estamos protegidos e bem energizados podemos começar o nosso ritual, que foi retirado do livro Rituais Antigos para um Mundo Novo – Manual de Magia de José Medeiros .
Acendemos a vela verde a Oriente e dizemos:

- Nesta noite especial, em que as portas dos planos estão abertas e toda a Magia é possível, convidamos os Irmãos do País da Luz que desejem reunir-se a nós para estarem presentes neste ritual.

Saudamos o Oriente flectindo a cabeça e erguendo os braços.

- Vinde festejar a data mais importante do ciclo, em que nos libertamos do já vivido e prepararemos o Caminho para o próximo ano.
Passai o Círculo, queridos Irmãos, vinde em paz e com muito amor.

Pegar no papel onde se escreveram os desejos/pedidos.

- Trago os símbolos do que me quero libertar inscritos neste papel, que queimarei. Nele escrevi, igualmente, os projectos que me proponho realizar. Ajuda-me, Senhor dos Mundos Subterrâneos, levando e destruindo o que não faz sentido ou não é necessário no meu Caminho e dando-me Força para concretizar o que for útil para a minha realização.

Queimar o papel na chama da vela verde, deitando as cinzas na taça do fogo.

- Senhor do Mundo Subterrâneo, agradeço o teu auxílio.
Agora que me sinto liberta e feliz, pedirei protecção aos Mestres para que este ano que começa esteja cheio de bênçãos e prosperidade.


Saudar o Oriente (símbolo da Luz) e fazer a meditação. Depois de meditar, dizer:

- Senhor do Mundo Subterrâneo, quando nos vieres buscar, guia-nos, ensina-nos e reconforta-nos. Assim renasceremos de novo para a graça da Grande Mãe e do teu Amor. Quando isso acontecer, pedimos-te para reencontrar os nossos companheiros da Roda da Vida, no mesmo lugar e na mesma época, para os reconhecermos e amarmos de novo.

Consagrar o pão e o vinho pela imposição de energia através das mãos.

- Recordemos que sem morte não há vida. Regozijemos em honra dos Mestres, comunguemos e renascemos de novo.

Partilhar o pão e o vinho se houver mais pessoas presentes.

- Na noite da Tradição, em que os Planos se cruzam e as Energias se tocam, o passado é destruído e reordenado para que nasça um novo ciclo.
Aproveitemos a orientação dos Mestres para retomarmos o nosso caminho com Vontade e Segurança.
Pai/Mãe do Universo, Energia Primordial, guia-nos no Bom Caminho e dá-nos Força para vencermos o Bom Combate.


Saudar o Oriente.

O ritual será terminado por uma despedida das Energias que estiveram presentes a nos proteger e por abrir de novo o Círculo para que a energia volte a circular livremente.

Uma última chamada de atenção para o que é o Senhor do Mundo Subterrâneo, pois nada tem a ver com a adorações a energias menos positivas. Os Celtas acreditavam que havia dois deuses gémeos e cada um governada em cada metade do ano. O deus Luminoso governava desde metade do Inverno até ao meio do Verão e o deus da Escuridão que governa o restante tempo. Cada um tinha características distintas mas ambos eram positivos, o deus Azevinho ou do Mundo Subterrâneo, aqui mencionado, representa o declínio da Natureza, o adormecimento e por fim o repouso completo, pode ser associado ao deus Saturno/Cronos, mostra-nos apenas outro lado do ciclo da vida, necessário para que ela aconteça.

Este ritual tem uma energia fabulosa e para quem ainda não se iniciou é sempre um momento fabuloso para o fazer. Se desejarem podem adaptar o ritual e fazê-lo ao vosso jeito, ou na verdade ou em meditação, de qualquer forma, esta noite tem uma Energia que não se deve desaproveitar.
Feliz dia das Bruxas!!!

Num dia de São Quintino e de Anael, Regente da Energia de Vénus, com a lua em crescente e em Sagitário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...