sábado, junho 27, 2009

Reflexão Semanal com a Estrela III

Esta semana em que estivemos a receber a energia da Estrela, que aprendizagens nos forma colocadas no dia-a-dia? Que energia prevaleceu de forma a que compreendêssemos mais uma lição do funcionamento do Uno através do Tarot?

Foi uma semana em que a emoção e a acção foram trabalhadas, sendo que no início da semana reflectimos sobre o que sentimos e no fim da semana aplicámos as nossas energias em algo específico.

A semana da Estrela começa com a indicação de que é uma boa altura para avaliar o que pensamos, para ponderar os nossos projectos e para nos associarmos a pessoas ou grupos que nos poderão ajudar no caminho.

O 7 de Espadas levou-nos ainda a pensar na necessidade de nos mantermos indivíduos no meio da multidão, ao entrar numa associação, não esquecer de manter em mente quem somos enquanto ser único e quem queremos ser enquanto ser uno.

Como poderemos então realizar uma tarefa que nos parece antagónica.

As emoções são uma das muitas manifestações que recebemos do nosso subconsciente e quando nos sentimos bem connosco e com os outros as mensagens são claras, o nosso canal encontra-se limpo e as mensagens fluem. Porém, pode sempre haver mensagens contraditórias, que nos colocam em dúvida se escolhemos bem ou se fizemos uma aposta errada.

O importante é saber que se estamos em estado de alegria, se nos sentimos felizes, as escolhas foram bem feitas. Sempre que conseguimos concretizar algo e somos inundados pela energia do Amor, não pode nem deve haver dúvidas de que fizemos as boas escolhas, mesmo quando só a nós nos deixam feliz.

Todavia, se as nossas emoções são opostas ao descrito, devemos avaliar e ponderar o que escolhemos. Muitas vezes nesse caminho em que envolvem outras pessoas, são-nos colocadas outras emoções diferentes das nossas, é que todos temos formas de comunicar diferentes, o subconsciente de cada um é diferente e a forma de se manifestar também o é. Quando há muitas hipóteses, o melhor mesmo é distanciarmo-nos e sentirmos o que queremos. Parar e sentir é sempre uma das formas de caminhar.

Quando conseguimos este estado de comunicação com o nosso subconsciente, activamos a nossa força de Vontade, conseguimos accionar em nós o mecanismo de contrariar o subconsciente, de forma a que ele converse connosco de forma consciente. Dominamo-nos e podemos agir. Aí poderemos estar em paz que mesmo no meio dos outros faremos apenas as escolhas e tomaremos as decisões em prol da nossa realização.

Portanto, se aprendermos a ouvir e a reconhecer a forma que o nosso subconsciente fala connosco, se conseguimos parar o barulho que habita a nossa mente, poderemos estar seguros de que qualquer decisão que façamos, mesmo dentro de um grupo, será para o melhor da nossa Vida.

Quando estas condições se encontram reunidas a nossa capacidade de expressão será sempre verdadeira, conseguiremos expressar a nossa Verdade de forma empolgada mas respeitadora das outras. Seremos verdadeiros e deixaremos que os outros o sejam também.

Em suma, é possível estar num grupo se perder a nossa visão do nosso caminho único e pessoal. Para isso é preciso ter consciência de que apenas nós sabemos o que é melhor para o nosso Caminho, que as verdades dos outros não tem obrigatoriamente de ser as nossas verdades e que a diversidade é possível se houver respeito.

A Estrela ensina-nos que há sempre algo de bom à nossa espera ao virar da esquina e que se este grupo a quem nos associámos já não me oferece a individualidade que preciso para crescer, o melhor é largar e seguir em frente, na outra esquina haverá com certeza outro grupo de pessoas que melhor se adequarão a nós e nós a eles.
Isto foi o que as cartas nos ofereceram, mas pode não ser a vossa visão da questão. Acreditam que é possível estar unido a alguém e mantermo-nos coesos com a nossa verdade ou teremos de fazer concessões sobre quem somos para o melhor de todos?

Num dia de São Ladislau e de Cassiel, Regente da Energia de Saturno
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...