quinta-feira, dezembro 04, 2008

Mas agora é todas as quintas-feiras?!?

Hoje aconteceu mais uma coisa bizarra na minha vida. É tão estranho e ao mesmo tempo não o é, mas não sei como lidar com isso, pois está a afectar a minha forma de estar na vida.
A semana passada, na quinta-feira precisamente, acordei com um mal-estar na alma, um peso incompreensível. Andei às voltas para perceber o que se podia estar a passar e com a ajuda dos comentários dos meus amigos visitantes lá cheguei a umas conclusões, mas dois dias depois vim a saber que tinha havido atentados terroristas em Bombaim na sexta feira seguinte e que muitas pessoas tinham morrido. Para ser sincera pensei que aquele peso que eu sentia na alma pudesse ter advido desse acontecimento, já que eu não conseguia fazer uma meditação sem sentir ainda mais essa dor. Era como se estivesse a captar essa energia que já estava a ser consumada. Mas da mesma forma que a ideia veio foi, não gosto de pensar que posso ter esse tipo de "poder", não quero achar que sou mais do que na verdade sou.
Hoje, quinta-feira novamente, acordei bem e fui trabalhar. Até fui ao blog da Hazel deixar umas palavras de conforto para que o dia dela corresse melhor! Mal eu sabia…como o meu iria ficar.
Depois de almoço comecei a ficar mal disposta, um peso no estômago, uma indisposição estranha, pensei que poderia ser do almoço mas foi apenas uma sopinha de legumes e uma sanduíche de queijo, não havia razões para tal. Contudo, prefiro sempre encontrar uma justificação lógica e, assim, permaneci com ela. A indisposição era tal que mais uma vez tive de ficar em silêncio, à tarde ia trabalhar e estava tão mal que tive de telefonar a dizer que não podia ir. Quando sai do trabalho e me estava dirigir para casa, comecei a ficar pior, só me apetecia chegar rápido para me colocar debaixo dos lençóis e perto de uma casa-de-banho, pois parecia que ia vomitar a qualquer momento. Mas o maldito IC19 está sempre contra nós, se temos pressa aparece uma fila. Enquanto esperava para poder andar apercebi-me que aquilo que eu estava a considerar um aperto no estômago era afinal um aperto no coração, que me revolvia as entranhas todas. Absorta do exterior nem reparei no que estava à minha frente…um carro parado na fila do meio e a polícia a tentar reanimar a pessoa. Não me aguentei e desatei a chorar, como ainda o estou a fazer enquanto escrevo. É uma dor tão forte que não consigo falar, apenas pensar e colocar em palavras. Entretanto apareceram os bombeiros e eu fiquei entalada na fila da esquerda, não podia avançar, nem recuar. Foi um momento bizarro, pois a minha vontade foi sair do carro e gritar desesperadamente “Deixem-me sair daqui!” Um bombeiro viu-me e começou a mandar os carros atrás de mim desviarem-se para podermos sair dali. Quando cheguei a casa a indisposição tinha desaparecido, mas a dor está cá.

Não sei o que isto é, mas sinceramente não me sinto bem, pois sentir uma dor que não é minha dentro de mim, é algo absurdo. E que dor é esta? O que significa?
Estou um pouco baralhada!?! Para já, consegui compreender que às quintas-feiras, dia regido por Júpiter, me encontro mais sensível ao mundo exterior, mas sinceramente, poderia captar as energias de felicidade, afinal, as pessoas hoje à minha volta estavam bem contentes. Porque não fui influenciada por elas mas sim pela energia de dor?!?
Estou cheia de interrogações e gostava de pedir as vossas partilhas, pode ser que alguém me consiga ajudar a compreender e ultrapassar isto. Já alguma vez vos aconteceu isto? Ou a alguém próximo de vós?

Num dia de Santa Barbara, São João Damasceno e de Saquiel, Regente da Energia de Júpiter
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...