sábado, setembro 12, 2009

Reflexão com o Aeon

Esta semana com o Aeon, Juízo Final, arcano XX na Rota do Peregrino foi algo interessante pela energia do Arcano em si, mas também por ter saído, com excepção de segunda-feira, todos os dias Taças e muitas vezes se repetiram. As Taças são as nossas emoções, os nossos sentimentos. É a Água que nos movimenta e onde nos movemos, que existe em nós, de onde vem a criação, o princípio de tudo. Poderá ter sido uma semana a movermo-nos dentro, mas também a mexer em águas exteriores, nunca pode ser uma movimentação muito rápida, mas terá sido produtiva?

Vamos conversar:
Depois de se libertar das bagagens desnecessárias, renascido para uma nova fase da sua Jornada, sente que deve caminhar com o apoio único daquilo que sente, já reconhece a sua voz no meio de todas as outras e sabe que pode confiar. Novamente se encontra livre e pode seguir viagem, o domínio das suas emoções é o que lhe dá essa liberdade. Todas elas foram despertas e agora estão a ser resolvidas, muitas vezes até se resolveram sem a sua rédea.

A sua liberdade está presente, a sua comunicação é efectiva, mas há ainda algo que o bloqueia. O Cavaleiro com a Taça ainda não sabe o que é, mas esse bloqueio não o impede de se sentir bem. Sabe que não está a conseguir visualizar o cenário todo, mas há uma confiança que não o impede de seguir. O Amor Incondicional transborda de si, para si e para os outros. Ele celebra a Vida e a Morte com a mesma intensidade, ele sabe ouvir as vozes dos Mestres. Quanto ao bloqueio, apenas confia que no decorrer do caminho tudo lhe será presenteado.

Ao longo da jornada vai cada vez mais encontrando outras almas reconhecidas e recebe as confirmações que precisava, está no trilho certo. Algumas dessas pessoas são apenas para o confortar e apoiar, outras, porém, mostram-lhe situações a serem ultrapassadas. Seja como for, o Peregrino segue a Viagem, mergulha dentro de si e reconhece os seus erros passados, mas não pára. Faz a viagem interior e exteriormente, resolvendo o passado dentro, o que lhe permite agir no presente de forma diferente, reprogramando o que está para vir. Apesar de parecer não agir ele está sempre em acção. A acção na água é lenta, mas muito efectiva.

É nesta constante de dentro e fora que ele segue, confiando no Universo e no seu Caminho. Sabe agora que a alegria ou tristeza apenas pode ser provocada por si. O que terá acontecido nesta Viagem que o deixou tão seguro? Em verdade, ele sabe que nada, nem ninguém, lhe poderá retirar esta sensação de eterna celebração com a Vida. De onde vem isto? Será este o bloqueio que ele terá de passar? Deverá tornar consciente a origem de tal emoção? A viagem segue, hoje sem saber para onde, mas sempre em sentido de melhorar a sua personalidade e a sua vida. Para servir, ele tem de aprender os seus limites, as suas necessidades e a sua força. Para depois poder ser humilde, dedicado e quem sabe mestre.
Ora, aqui está o que o Aeon nos ofereceu, liberdade e sentimentos de amor e partilha. O peregrino mudou por dentro, está tão seguro em si que nada o impedirá. De alguma forma sinto que esta leitura se aplica a mim, mas acho que haverá por aí muitos outros peregrinos a sentirem estas palavras escritas para si. Estarei errada?

Na segunda hora de Saturno, do dia de Saturno, S. Auta, S. Juvêncio
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...