sábado, março 21, 2009

Ritual do Equinócio da Primavera

Ontem fiz o meu ritual para acolher a Primavera, estação do ano pela qual nutro um carinho especial. Este ritual foi o meu primeiro, isto é, aquele em que pela primeira vez estive a conduzir a Energia, por isso, é um momento muito especial para mim. Há dois anos atrás, estava a Sacerdotisa de Ísis com uma túnica branca e um cálice mágico a aceder aos seus arquivos! Foi um dia que nunca mais irei esquecer!!!
Este ritual deve ser realizado na primeira noite de Primavera ou na primeira Lua Cheia com o Sol em Carneiro. O objectivo desta cerimónia é comemorar o equilíbrio entre a luz e as trevas, é agradecer ao Uno pelas graças que nos foram dadas e pelas aprendizagens feitas. Sendo o início do ano astrológico, podemos aproveitar a ocasião para fazer pedidos ou renovar objectivos de vida. Depois de um longo período de Inverno, onde as trevas nos obrigam a recolher no ventre materno, esta chegada do deus Sol, é propícia a renovações. Se quiserem pode dar um pulo à CASA DA FLORESTA e descobrir um ritual diferente! Descubram o prazer que é encontrar o mundo da Magia!

Precisamos de uma vela branca, um sino, perfumador, carvão, incenso, caneta e folha branca e cálice com vinho.

Iniciar com uma saudação para Oriente.
Dizer:

- Eis a Energia Primordial, criadora da Vida, o Pai/Mãe nas suas duas polaridades.

Acender a vela da taça colocada no meio do altar. Tocar a taça com a vara e dizer:

- Ó Grande Deusa, vem até mim como a Virgem que transporta a vida e a alegria.

Tocar o sino. Dizer:

- Ó Grande Deus do Renascimento, vem até mim como o Senhor das Florestas que traz a vida e o amor.

Tocar a taça com a vara e dizer:

- Que a Força do Tempo Velho seja transferida para o Tempo Novo. Pai/Mãe, Energia Primordial, dai Força ao Tempo Novo para que o Caminho se cumpra com Beleza e Sabedoria. Que assim seja.

Colocar o perfume escolhido sobre o carvão acesso e purificar o altar em programação (de acordo com a marcha dos ponteiros do relógio). Erguer os braços em saudação e dizer:

- Despertai, criaturas do nosso plano, que povoais a Terra, o Inverno terminou e a vida manifesta-se de novo. Chegou a Primavera. Saudai a Energia Primordial que faz girar a roda dos ciclos.

Tocar com o punhal no papel onde se escreverão os pedidos. Dizer:

- É chegado o momento de sair da escuridão e de me libertar do passado, renascendo para uma nova vida. Que todas as penas sejam terminadas, os problemas resolvidos e os obstáculos ultrapassados. Que o Renascimento me conduza ao Bom Caminho, em Honra e Glória da Energia Primordial.

Escrever no papel os desejos para a renovação (um desejo em cada papel). Erguer os papéis sobre o altar, em oferenda, depois de os ter dobrado. Dizer:

- Neste momento de alegria e renovação, em que uma nova vida é plantada como uma nova árvore, que irá crescer e frutificar, coloco estes pedidos nas mãos do Pai/Mãe do Universo. Atendei ao meu pedido e ajudai-me na renovação.

Acender os papéis um a um, na vela que está na taça, para que ardam completamente. Dizer:

- Que o fogo purifique os meus desejos e lhes dê força para que se realizem, com a ajuda das Energias Angelicais que governam os planos. Eles são justos e ajudar-me-ão a progredir no Caminho. Que a Energia Primordial os torne realidade.

Colocar o cálice com o vinho sobre o pentagrama, por algum tempo. Em seguida erguer o cálice, com as duas mãos, sobre o altar e dizer:

- Honra e Glória ao Pai/Mãe do Universo, Senhores dos Ciclos sem Tempo, que foram, são e serão Um só na sua dualidade. Que assim seja.

Beber um pouco do vinho; o resto será vertido sobre a Terra, no exterior, depois de terminado o ritual.
in, Rituais Antigos para um Mundo Novo de José Medeiros

Num dia de São Bento, São Nicolau de Flue e de Cassiel, Regente da Energia de Saturno
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...