domingo, maio 18, 2008

Centro do Sol ou Plexo Coronário

Depois de uma árdua semana, em que mergulhámos profundamente no nosso Ser, eis que chega a melhor parte, aquela em que todo o trabalho fica sintetizado. Neste dia especial, regido pelo Arcanjo Miguel e sob a Energia do Sol, o rei Astro, vamos mergulhar profundamente no nosso conceito de espiritualidade, vamos descobrir a parte divina que todos temos dentro de nós e assumir uma nova atitude perante a vida. Para o término deste trabalho proponho a realização de um ritual mágico, quem quiser poderá fazê-lo, mas quem preferir pode continuar a simplesmente queimar o incenso, acender a vela e meditar.
Este centro é, conjuntamente com o da raiz, o centro que se encontra na posição horizontal, tendo como função captar a energia divina, aquela que nos preenche as necessidades espirituais.
É este centro que nos liga à nossa Espiritualidade, fazendo uma integração dos nossos vários corpos, físico, emocional, mental e espiritual. Enquanto que o raiz tem os nossos arquivos cármicos, das vidas passadas, este plexo tem a porta para o conhecimento da nossa evolução, quando nos dá acesso à vida que presentemente vivemos.
Quando está activo e com um funcionamento normal, permite-nos a percepção da espiritualidade sem limites, liberta-nos dos dogmas adquiridos e faz-nos entender que cada ser vivo tem uma ligação única com o divino. Li num artigo do professor José Medeiros a explicação para o novo estado em que se nasce quando este chakra está alinhado que achei muito interessante, por isso passo a citá-lo:

Será uma maneira diferente de sentir, um estado transcendente da realidade terrena como reflexo da realidade cósmica, que desperta em nós um sentimento de plenitude, de paz e de fé.
Quando este chakra está com falta de energia, não conseguimos viver essa experiência de espiritualidade, não achamos necessário viver essa consciência cósmica e nem compreendemos as pessoas que falam das suas experiências pessoais.
Porém, se estiver demasiado activo, poderemos ser rígidos nas nossas formas de pensar, tornarmo-nos demasiado espiritualizados e relegar o corpo físico para segundo plano. Como sempre na vida, a perfeição está na capacidade de manter o equilíbrio entre os opostos, que neste caso nos é mostrado através de viver uma espiritualidade mas nunca esquecendo que só poderá ser feita se mantiver o físico nas suas capacidades.

Depois de ter feito este trabalho, devo dizer que me sinto melhor, em sintonia com o Universo e principalmente comigo. Há uns dias em conversa de Caminho, falava com uma pessoa conhecida sobre como o ser humano é um animal de hábitos, como facilmente durante a semana, com as tarefas diárias, nos vamos esquecendo de nós e do nosso caminho espiritual. Deste desabafo dessa pessoa, pus-me a pensar e fiquei muito contente por, mesmo com todas as tarefas que tenho durante o dia-a-dia, ir conseguindo gerir o meu tempo e a minha disponibilidade para me preocupar e dedicar à minha descoberta pessoal. Esta semana que terminou foi um exemplo real disso, tive de fazer um esforço sobre-humano para conseguir fazer tudo o que eram obrigações e ainda arranjar espaço para encaixar as minhas meditações sobre os chakras, os rituais, o ginásio, o trabalho, os amigos e escrever sobre tudo isso.
Esta partilha surge no sentido de mostrar como utilizar correctamente a força e energia que estão à nossa disposição pode ajudar a melhorar a nossa qualidade de vida. Eu não sou mais do que ninguém e se consigo fazer tudo isto, haverá muito mais gente que também conseguirá, por isso experimentem. Todos os dias antes de saírem de casa, assim que fazem os rituais de higiene pessoal, tentem fazer também um check-up aos vossos centros e ver se estão em condições de aguentar mais um dia. Se não estiverem visualizem a cor que necessitam a surgir, ou façam uma dança que vos faça sentir bem, queimem o incenso enquanto se vestem, enfim, experimentem e procurem a melhor forma de carregar as vossas baterias.
Ao longo do dia nas nossas reacções vamos também aproveitando para ver se estamos com as melhores atitudes, se são as correctas ou se nos estão a ser prejudiciais. Estar atentos a nós, não é narcisismo, como dizia aquela pessoa de quem falei, estar a tentos a nós é estar atentos ao caminho que estamos a fazer, sem permitir que sejam os outros os actores e realizadores do filme da nossa vida.

Espero do fundo do meu humilde coração que esta experiência pessoal possa ajudar alguém que precise de luz, pois um dos preceitos do mago é trazer a luz onde houver obscuridade.
Aqui fica então o ritual retirado do livro Rituais Antigos para um Mundo Novo - Manual de Magia de José Medeiros.

Queimar incenso de benjoim e dizer:

- Grande Mãe, Senhora da Arte, que o fumo deste incenso me purifique, afaste de mim as energias negativas e me auxilie na realização deste ritual.

Acender a vela branca e dizer:

- Miguel, condutor da Milícia Celeste, Senhor do Sétimo Raio, Regente das Energias do Sol, que a tua luz e a tua força me ajudem a completar este ritual. Limpa e purifica o meu sétimo centro para que o ciclo das sete energias seja percorrido e todos os meus centros energéticos fiquem alinhados.

Visualizar um vórtice de energia Branca que, saindo da vela, vem purificar e activar este centro coronário.

- Que o meu corpo seja o centro do Universo, onde as Energias Cósmicas e Telúricas se encontram. Desperta em mim a consciência do Caminho que devo percorrer, da Missão que devo cumprir e do Bom Combate que devo vencer.

Com o óleo consagrado, desenhar um círculo e uma cruz sobre a testa, cruzar as mãos sobre o peito e saudar o Oriente, flectindo a cabeça.
Dizer:

- Energia Primordial Pai/Mãe do Universo, que este ritual, através dos equilíbrio dos meus centros energéticos, desperte em mim a capacidade de cumprir a minha missão no Plano Manifestado e de contactar com os Planos Superiores.
Que assim seja.


Num dia de Sol, de São Venâncio, de São Erico e do Arcanjo Miguel

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...